Casamentos Casa & Decor 15 anos
Topo

Navegue como ou

O cuidado com mamadeiras de plástico

Ele não aparece e o nome bem que poderia decorar caixinhas de remédio. Mas o Bisfenol A (BPA), produto químico usado na fabricação de plásticos, é bastante utilizado no revestimento interno de todas as latas de alimentos e bebidas, inclusive de produtos para alimentação de bebês. Por ser forte, leve e duradouro, aumentando a durabilidade do produto, o Bisfenol A está maciçamente presente nas mamadeiras. E aí está o perigo.

Se mal fabricada, a mamadeira revestida com o produto pode permitir que a substância migre para o alimento, fazendo com que o seu bebê ingira o tóxico junto com o alimento fornecido. Para piorar, isso ocorre principalmente quando o alimento é aquecido, pois o calor propicia a migração do BPA.

Agora que você já sabe o que é o BPA, vamos entender o porquê dele ser tão prejudicial à saúde.  Diversos estudos mostram que essa substância pode provocar câncer, influenciar a má formação de órgãos masculinos do feto, ser responsável por puberdade precoce em meninas e até causar hiperatividade. Essas toxinas enviam falsas mensagens para o nosso organismo, alterando a ação dos hormônios produzidos pelo nosso próprio organismo, principalmente daqueles envolvidos com o controle energético como catecolaminas, hormônios tireoidianos, estrogênio, testosterona, cortisol, insulina, hormônio do crescimento e leptina, podendo provocar problemas no futuro como a obesidade e a resistência em perder peso.

Algumas pesquisas indicam que o risco é ainda maior em crianças, por isso o BPA já foi banido no Canadá, França, Dinamarca e Costa Rica. Nos Estados Unidos, o material é proibido apenas em alguns estados, mas a tendência é que isso se estenda por todo o país.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informa que a quantidade de Bisfenol A presente em plástico (0,6mg/kg) é segura – eu, particularmente, discordo. Segundo a Anvisa, o componente é eliminado pela urina, sem alcançar a corrente sanguínea.

De outro lado estão os pesquisadores que estudam o impacto dessas substâncias na vida das pessoas – para estes, não existe nível seguro. Até mesmo a sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) se diz contra o uso de mamadeiras com essa substância.

Portanto, mamãe ou futura mamãe: dê preferência a produtos livres de BPA. No Brasil ainda é difícil encontrá-los, mas, fora do País, existe uma gama de produtos para crianças BPA-free, e algumas marcas já usam o mote até como estratégia de marketing.

Caso você não encontre mamadeiras livres de BPA, a opção é substituir pela mamadeira de vidro. Não foque na mamadeira, foque no futuro do seu bebê.

Até a próxima!

Drª Karina Al Assal é nutricionista graduada pelo Centro Universitário São Camilo, especialista em nutrição clínica pelo Hospital Sírio Libanês, especialista em nutrição clínica funcional pelo Instituto Valéria Paschoal, mestranda em nutrição e cirurgia metabólica do aparelho digestivo pela Faculdade de Medicina de São Paulo e graduanda em fitoterapia funcional.
* Envie dúvidas e sugestões para a coluna pelo email karina@karinaalassal.com.br .

asdasdasd

6 Comentários

  1. Cegonha Trends 31 de março de 2011

    Karina, adorei que vc tenha abordado o tema. Sou tão encanada com isso que procuro não só produtos BPA free, mas tb produtos de outros materiais. Ex: mordedor de madeira, brinquedos de tecido, de borracha natural (sophie la girafe!), etc. Acho até legal essa variedade para o bebê explorar melhor o mundo, conhecer outros tipos de materiais (novas texturas e sabores) além do plástico. Qto à proibição da substancia, infelizmente as coisas demoram um pouco aqui no Brasil, mas acho q se nós como consumidores passarmos a exigir o BPA free, a indústria passará a aumentar a oferta desses produtos por aqui.
    Parabéns pelo post!
    Bjs

  2. Ivy Farias 31 de março de 2011

    Dra, eu adorei a sua coluna de hoje pois nem sabia da existência- quiçá os malefícios- deste tal de BPA. A minha dúvida é quanto às chupetas, já que o BPA está presente na maioria dos plásticos: as crianças também absorvem estas substâncias ou a absorção só de dá quando existe em contato com o alimento?
    Eleonora: bem que você poderia dividir com a gente quais os produtos BPA free não?
    Um beijo,
    Ivy

  3. Karina Al Assal 1 de abril de 2011

    Ivy
    as chupetas são feitas com um outro tipo de plástico, normalmente o BPA está presente em plásticos mais resistentes como de garrafas, mamadeiras ou potinhos
    Bjs

  4. Gabriela 4 de abril de 2011

    Oi, bisbilhotando em farmácias achei mamadeiras da marca brasileira Kuka, agora feitas sem bisfenol, que são bem mais baratas (e um tanto mais frágeis…) que as congêneres estrangeiras. Pelo menos temos mais opções agora… Essa é realmente uma questão que deve ser discutida com todas as mães preocupadas com o bem estar de seus filhos. Beijos. ps: achei isso na internet http://www.kuka.com.br/nota/

  5. Danielle 4 de abril de 2011

    Constance ,
    Boa tarde

    Sou Eng e trabalho em Petroquimica .
    Li a materia e realmente gostaria de salientar que existem varios tipos de plastico, ate por isso é possivel encontrar outros “plasticos livres de bisfenol A” , sugiro que a referencia plastico seja revista, para ajudar a leitora a selecionar o correto e entender qual realmente contem BPA.
    O bisfenol-A (BPA), é um composto utilizado na fabricação do policarbonato,é um tipo de plástico rígido e transparente. É o monômero mais comum entre os policarbonatos empregados em embalagens de alimentos. O BPA é também um dos componentes da resina epóxi (plástico termofixo que endurece quando misturado a um agente catalisador ou “endurecedor”), presente por exemplo no revestimento interno de latas para evitar a ferrugem.( fonte da definição: http://www.otaodoconsumo.com.br/bisfenol)

    O Bisfenol é utilizado na fabricação de policarbonados, o que perto do conjunto dos plásticos é uma parte muito pequena, representa mais ou menos 1% de todos os tipos.

    Por este motivo podemos achar mamadeiras no mercado de outros tipos de plasticos que não policarbonato e não contem Bisfenol A .

  6. nicole 12 de abril de 2011

    A marca MAM aqui no Brasil tb é livre de Bisfenol!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *