Casamentos Casa & Decor 15 anos

Navegue como ou

Sarampo é eliminado no Brasil

Tem boas novas para os papais! O Sarampo foi eliminado no Brasil. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a endemia do vírus está interrompida, e por isso, vamos receber um certificado declarando a eliminação da doença até o fim de 2016. “É um grande sucesso atingir essa situação. O continente Americano vai ser o primeiro a atingir a eliminação do sarampo, como foi também o primeiro a atingir a eliminação da rubéola e da síndrome da rubéola congênita. Sendo que nas outras regiões do mundo isso não está tão próximo de acontecer”, explica Jorge Nishioka, coordenador-geral de Vigilância das Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde.

Esta é uma ótima notícia, uma vez que é considerada uma doença grave, e uma das principais causas de morte infantil pelo mundo, principalmente de crianças menores de 5 anos. Segundo estudos, cerca de 114,9 mil pessoas morreram por conta da infecção por sarampo em 2014. No total, são aproximadamente 314 óbitos por dia ou 13 por hora. O sarampo é transmitido pelo ar e também por contato direto, sendo altamente contagioso.

Porém, o fato de ter sido eliminado não quer dizer que não há mais a necessidade de se prevenir, como explicar a dra. Paula Woo, pediatra neonatologista da Universidade de São Paulo. “O último caso de sarampo no Brasil foi registrado em julho de 2015 no Ceará. Após 1 ano sem casos novos, a doença foi considerada eliminada segundo o Comitê Internacional de Avaliação e Documentação da Eliminação do Sarampo. Mesmo assim, o risco de reintrodução sempre existe e por isso é importante manter a vacinação em dia. A falta de vacinação pode levar a volta do sarampo no Brasil uma vez que essa doença ainda está presente em outros países. Assim, um caso trazido de fora pode facilmente se disseminar se a população não estiver adequadamente vacinada.”

BABIES-SARAMPO-VACINACAO-INFANTIL-DESTAQUE

(Foto: reprodução)

Veja também: Descubra se você e seu bebê correm risco de incompatibilidade sanguínea

E mais: Tudo sobre vacinação de H1N1 em crianças

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *