Casamentos Casa & Decor 15 anos

Navegue como ou

Descubra o que pode cortar o efeito da pílula anticoncepcional

No último No Ninho de trigêmeos que publicamos no site, a mãe Juliana nos contou que engravidou após o uso de medicamentos pós-cirúrgicos cortar o efeito da pílula anticoncepcional. Para entender melhor o que pode cortar o efeito da pílula anticoncepcional, conversamos com o médico e mestre em obstetrícia e ginecologia pela USP Dr. Wagner Hernandez. Vem ver os cuidados que ele ressalta para quem não planeja uma gravidez neste momento:

O que corta o efeito da pílula anticoncepcional, Pílula antico

– É VERDADE QUE ANTI-INFLAMATÓRIO CORTA O EFEITO DA PÍLULA? ALGUM OUTRO MEDICAMENTO TEM ESTE PODER?

O anti-inflamatório não corta o efeito da pílula pelo que demostram estudos, tanto que não constam nas bulas dos anticoncepcionais um alerta específico. O que pode acontecer é que o uso de muitos medicamentos podem levar a vômitos e diarréia e isto indiretamente levar a perda do efeito do anticoncepcional. Outra situação comum é a paciente confundir os antinflamatórios com anticovulsivantes ou antibióticos que são medicamentos que podem reduzir o efeito da pílula.

– O QUE PODE INIBIR OU CORTAR O EFEITO DA PÍLULA ANTICONCEPCIONAL?

O metabolização da pílula acontece pelo fígado e medicamentos que alteram algumas enzimas hepáticas podem diminuir ou cortar o efeito da pílula. Os principais medicamentos que colocam as usuárias de pílulas em risco de uma gravidez indesejada são os anticonvulsivantes (Fenobarbital, Carbamazepina, Basrabitúricos, etc). Vale lembrar que o Topiramato é um anticonvulsivante muito utilizado para emagrecimento e que este também pode interferir no efeito do anticoncepcional. O único antibiótico que comprovadamente diminui a eficácia da pílula é a Rifampicina. Todos os outros antibióticos não tem comprovação científica, porém alguns laboratórios colocam na bula que durante o uso de antibióticos (especialmente os derivados de penicilinas e tetraciclinas), deve-se usar algum outro método de barreira (camisinha masculina, camisinha feminina ou diafragma) para se proteger durante o tratamento com antibiótico e estender de 7 a 28 dias após seu término.

– SE HOUVER O USO DE REMÉDIOS QUE CORTAM O EFEITO, QUAL O TEMPO NECESSÁRIO PARA QUE A PÍLULA VOLTE AO SEU FUNCIONAMENTO CORRETO?

Isto depende do tipo de remédio. Em remédios de uso contínuo, como os anticonvulsivantes, o efeito é permanente e por isso mulheres que façam uso deles devem ser orientadas pelo ginecologista a usar outro método. No caso dos antibióticos, geralmente o risco permanece até 7 dias após o termino do tratamento. O único antibiótico que mantém o efeito da pílula reduzido é a Rifampicina que exige mais um mês de precaução.

O que corta o efeito da pílula anticoncepcional, Pílula antico

– É VERDADE QUE ALGUNS CHÁS PODEM TER O MESMO EFEITO INIBIDOR? SE SIM, QUAIS?

A erva de São João também conhecida como Hipérico ou Hipericão também tem efeito teórico na redução do ação do anticoncepcional oral e por este motivo a mulher que consome o chá desta erva deve tomar muito cuidado.

– MULHERES QUE ESTÃO COM CASOS DE DIARRÉIA OU VOMITO AUMENTA O RISCO DE BLOQUEIO DO EFEITO?

Sim. Para aquelas mulheres que vomitam até 3 a 4 horas após a ingestão do comprimido do anticoncepcional ou apresentem diarreia intensa, podem ter sua absorção prejudicada e tenham risco de engravidar. Nestes casos, a mulher deve proceder como se houvesse ocorrido o esquecimento daquela pílula e agir de acordo com as bulas ou de acordo com a orientação do seu ginecologista.

– EXISTEM NÚMEROS DAS CHANCES DE SE ENGRAVIDAR NESTES CASOS?

Nos casos em que a mulher toma corretamente o anticoncepcional oral a taxa de falha em média é de 1 a cada 1000 usuárias de pílula. Quando a mulher esquece de tomar, vomita a pílula ou tem algum outro fator que possa atrapalhar seu uso ideal; a taxa de falha sobe para 8 em cada 100 usuárias. Estes números demonstram bem a importância do uso ideal da pílula para que funcione perfeitamente.

– POR FIM, QUAL A MELHOR MANEIRA DE TOMAR A PÍLULA?

Justamente por ter sua eficácia ser dependente do uso regular da pílula, a melhor estratégia é que a mulher programe sua ingestão de maneira a nunca esquecer. Isso irá variar de mulher para mulher. O mais importante é tomar diariamente sempre no mesmo horário, independente de jejum ou tipo de alimento ou bebida. Hoje em dia existem muitos aplicativos de celular para ajudar a mulher a tomar a pílula regularmente sem esquecimentos.

Para aquelas mulheres que habitualmente esquecem de tomar alguma pílula com frequência, outra maneira de evitar filhos dever ser discutida com seu ginecologista. Hoje temos disponíveis métodos que não necessitam de lembrança tão frequente como as injeções mensais e trimestrais, implantes, DIUs e que podem ser melhores opções paras aquelas mais esquecidas.

(Foto: Reprodução)

Veja também: Mães criam aplicativo com emojis sobre maternidade

E mais: A importância do pré-natal e os exames obrigatórios

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *