Casamentos Casa & Decor 15 anos
Topo

Saúde

Exibindo página 4 de 649

Navegue como ou

A verdade sobre o glúten. Seu filho é intolerante?

Atualmente, o vilão da vez em toda roda de conversa é o glúten. Muitos especialistas culpam a proteína do trigo, da aveia, centeio e da cevada por uma lista de problemas relacionados à saúde, entre eles a obesidade. A promessa do emagrecimento rápido e de uma barriga chapada fez com que muitas pessoas optassem por uma dieta glúten free. Mas será que o glúten uma das principais proteínas vegetais consumidas há mais de 10 mil anos pelo homem é tão maléfica para a saúde? Foi pensando em tudo isso que quis diferenciar a doença celíaca de possíveis modismos. Vamos aos fatos. Mas, afinal, o que é o glúten? O glúten é uma proteína composta pela mistura das proteínas gliadina e glutenina, que se encontram naturalmente na semente de muitos cereais, como trigo, cevada, centeio e aveia . É graças a ela que massas de pães crescem e, após a digestão, vira energia para nossas células. Na hora de preparar a receita, o cozinheiro mistura a farinha com água e sova bem. Isso faz com que a glutenina e a gliadina se unam, formando o glúten. O novo composto forma redes que aprisionam o gás carbônico liberado pelo fermento. É dessa maneira que o pãozinho ou outra massa qualquer conseguem crescer e ficarem macios. Doença celíaca ou intolerância permanente ao glúten: Ainda pouco conhecida, a intolerância ao glúten vem desafiando o conhecimento científico há muito tempo devido a sua apresentação clínica variada, que abrange desde sintomas leves e poucos específicos - como uma criança que não ganha peso – até...
Leia mais

Tira dúvidas: Alergias na infância

Alergias de pele podem causar bastante desconforto para o bebê e sua mamãe. Os sintomas e causas são variados, por isso pedimos ajuda à Dra. Carla Vidal para tirar algumas dúvidas sobre os tipos de alergia que podem aparecer nos pequenos e como identificá-las. Quais são as alergias de pele mais comuns em bebês e crianças? Em bebês são comuns as alergias chamadas dermatite de contato e as reações alérgicas medicamentosas. As dermatites de contato são reações a algumas substâncias que entram em contato com a pele e provocam uma lesão restrita ao local de contato. São comuns as reações causadas por xampus, sabonetes, perfumes e também a dermatite de contato das fraldas, na região pubiana e nádegas dos bebês. As reações alérgicas medicamentosas podem ser causadas por analgésicos, antiinflamatórios ou antibióticos. Nos pequenos são comuns as reações alérgicas medicamentosas e um tipo de alergia chamada dermatite atópica: reação alérgica que apresenta componente imunológico, em que a criança começa a apresentar lesões avermelhadas, descamativas e espessas na região das dobras. Quais são os primeiros sinais de alergia de pele? Os primeiros sinais são: vermelhidão, coceira, ardor e lesões cutâneas. As lesões podem ser classificadas em: pápulas, placas, vesículas, exantemas, dependendo do tipo de alergia e da fase em que se encontra. Quais as diferenças entre os tipos de alergia? Existem alergias causadas apenas pela irritação local de alguma substância e alergias causadas através de mecanismos imunológicos. Elas também podem apresentar diferentes quadros clínicos. Qual a diferença entre uma reação alérgica e uma irritação? A reação alérgica pode se apresentar em vários locais do organismo, pois...
Leia mais

Intolerância à lactose

Seu filho após consumir leite e seus derivados apresenta dores abdominais, náuseas, desconforto, diarreia e gases? Em geral, tais sintomas são notados como um simples mal-estar. Mas, atenção! Se o incômodo aparecer num período entre meia hora e duas horas após o consumo de laticínios, deve-se procurar o auxílio médico, pois a criança pode estar apresentando um quadro de intolerância à lactose. Entende-se por intolerância à lactose a incapacidade parcial ou completa de digerir o açúcar existente no leite e seus derivados. Ela ocorre quando o organismo produz em quantidade insuficiente - ou não produz - uma enzima digestiva denominada lactase. Como a lactose não é quebrada, ela chega no intestino grosso intacta. Ali, ela se acumula e é fermentada por bactérias que, por sua vez, fabricam ácido lático e gases e acabam promovendo uma maior retenção de água e o aparecimento de diarreias e cólicas. Tipos Podemos destacar 3 tipo de intolerância à lactose: 1) Deficiência congênita – a criança, por um problema congênito, nasce sem condições de produzir lactase. Essa é forma mais rara, porém é crônica; 2) Deficiência primária – é o tipo mais comum na população. Surge com a diminuição natural e progressiva na produção de lactase. Essa diminuição na produção surge da adolescência e persiste até o fim da vida do indivíduo. 3) Deficiência secundária – a produção de lactase é afetada por outras doenças  intestinais, como diarreias, síndrome do intestino irritável, doença de Crohn, doença celíaca ou alergia à proteína do leite, por exemplo. Nesses casos, a intolerância pode ser temporária e desaparecer...
Leia mais

Alergia alimentar na infância

Atualmente, ouço muitos pais falarem que seus filhos são alérgicos ao leite ou ao trigo. Mas será que seu filho é realmente alérgico ou apresenta apenas uma intolerância a determinado alimento? Foi pensando nisso que preparei para vocês uma série de matérias sobre alergias alimentares, a fim de tentar desmitificar e diferenciar alergia e intolerância alimentar. Então, Vamos aos fatos: Usualmente os termos “alergia’’ e ‘’intolerância’’ são utilizados de maneira errônea, como sinônimos para indicar uma situação orgânica adversa a determinados alimentos. Alergia alimentar: é uma resposta excessiva ou uma hipersensibilidade do sistema imunológico a determinada substância estranha ao nosso organismo, sendo o alimento o agente desencadeador dessa reação. A pessoa alérgica quando ingere determinado alimento alérgeno (que causa alergia, como por exemplo: leite, amendoim, trigo, soja, ovo etc), ativa o sistema imunológico que produz anticorpos para destruir a substância que desencadeou a alergia. Portanto, a causa das alergias alimentares está relacionada à produção de Imunoglobulinas E (Ig E) que provoca alergia a determinado alimento. Intolerância alimentar: é uma resposta anormal a determinado alimento ou aditivo, sem a ativação dos mecanismos imunes. As reações que ocorrem na intolerância podem ser causadas por toxinas produzidas por fungos, bactérias, fungos e a frutos do mar (ostra e camarão); agentes farmacológicos com cafeína (café, chá preto e cacau), histamina (peixe, vinho, cerveja, chocolate, e queijos) , teobromina (chocolate, chá), tiramina (queijo, abacate, laranja, banana, tomate), erros metabólicos por deficiência de produção de enzimas (lactase); idiossincráticas a um alimento ou uma substância química presentes na composição do alimento como corantes, principalmente tartrazina (corante...
Leia mais

Preparando uma lancheira saudável

Ultimamente, a maior dúvida que ouço dos pais que frequentam meu consultório é a de como montar uma lancheira saudável para os seus filhos. Confesso a vocês que não é uma missão muito fácil, já que os alimentos preferidos das crianças são justamente aqueles que não podem estar frequentemente presentes dentro da lancheiras. Os lanches, também chamados de refeições intermediárias, são de extrema importância para o desenvolvimento e crescimento das crianças. Se ela ficar muito tempo sem se alimentar entre as refeições ou não se o fizer de uma maneira correta, ela poderá ficar cansada, perder peso e até sentir tontura. Por isso, um lanche saudável se torna imprescindível. Quanto mais completo for o lanche da criança, mais nutritiva será a alimentação da mesma. Sendo assim, a regra é fácil. Um lanche equilibrado deverá ser, principalmente, com baixos teores de açúcar, sal e gordura. Veja logo abaixo como montar uma lancheira saudável: Importante salientar que alimentos que são perecíveis (queijos, iogurtes, leite fermentado, frios e sucos naturais) deverão ser acondicionados em lancheiras térmicas, principalmente em dias de temperatura muito alta. Além disso, pelo menos uma vez por semana, as lancheiras deverão ser higienizadas com detergente e hipoclorito. Preparei um cardápio diversificado e prático com sugestões de lanches para 15 dias. Espero que aproveitem a dica! Heloísa Tavares é nutricionista graduada pelo Centro Universitário São Camilo, especialista em pediatria clínica pelo Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da FMUSP, graduada em pedagogia na Faculdade de Educação da USP e atua há mais de 10 anos em consultório junto à...
Leia mais

Baby Bum 2014: Ideias saudáveis

Ideias saudáveis também fazem parte da Baby Bum 2014! Veja o que encontramos por lá: A Banca de Frutas é uma iniciativa para despertar o interesse dos pequenos pelas frutas. Super colorida e cheia de opções gostosas, é praticamente impossível passar em frente sem provar um abacaxi gelado ou um suco. No espaço ainda tem os jogos "O que vamos comer hoje?" e "O desafio dos pratos", confeccionados pela Perte Design, que ensinam às crianças como se alimentar de forma saudável se divertindo: Papinhas e comidas congeladas orgânicas são especialidade da Papá Gourmet, que faz entregas em domicílio. As comidinhas são separadas por estágios, com pratinhos para o início da mastigação e até sobremesa. Para bebês de 6 meses até crianças de 8 anos: Fotos: Aline Inagaki Baby Bum 2014 22 a 25 de maio, das 10h às 20h Vila dos Ipês Av. Mofarrej, 1.505 – V. Nova Leopoldina...
Leia mais

Vídeos: rotina do sono do bebê e organização

Durante a Baby Bum 2013.2, nós organizamos dois bate-papos super bacanas voltados para mães! O primeiro foi com Patricia Tsukada, da Mommy in Bloom, que falou sobre a rotina do sono do bebê; o segundo foi com a personal organizer Luciana Morgado, que falou sobre a importância da organização no dia a dia de pais e filhos. O Studio See You registrou os melhores momentos dessas conversas em vídeo. Vale a pena apertar o play! Bate-papo com a Mommy in Bloom: http://vimeo.com/87013817 Bate-papo com Luciana Morgado: http://vimeo.com/87072364 Vídeos: Studio See...
Leia mais

As comidinhas divertidas de Samantha Lee

Nós já falamos de comidinhas divertidas aqui e aqui, mas nenhum trabalho nos encanta mais que o de Samantha Lee! Ela cria pratos cheios de criatividade e nos mais variados temas para suas filhas e publica-os em seu Instagram (@leesamantha). Como vocês podem imaginar, as postagens fazem o maior sucesso! Apesar da aparente complexidade dos desenhos, os materiais utilizados são bem simples - tesoura, facas e palitos de dente. Ou seja, todo mundo pode tentar fazer em casa! Abaixo, alguns pratos pra lá de divertidos: Fotos:...
Leia mais

Picolé de fruta

Com essas temperaturas tão altas em todo território brasileiro, nada melhor do que se refrescar com um delicioso picolé. Mas, será que os picolés fazem mal para a saúde dos nossos pequenos? A resposta para essa pergunta é bem fácil. Não, se não houver exageros e se optarmos por um bom picolé de fruta e de boa procedência. Ricos em vitaminas e minerais, os picolés de frutas são menos gordurosos que os cremosos, não possuem lactose (para os pequenos que são intolerantes à lactose) e não possuem gordura trans. Além disso, são poucos calóricos (em média, não ultrapassam 60 calorias) e são importantes fontes de hidratação. Sem exageros, os picolés de fruta são sempre uma boa opção para os lanches e podem ser utilizados como opção de sobremesas. Mas é sempre bom optarmos por marcas conhecidas. Dessa forma, não se corre o risco de oferecer às crianças um picolé que seja feito com água contaminada. E por que não preparar picolés caseiros? Eles trazem muitos benefícios, já que podemos utilizar  água de boa qualidade e tratada, frutas frescas, iogurte, entre outros alimentos que fazem parte de uma alimentação saudável. O legal  disso tudo é que nos permite acrescentar o que quisermos e na quantidade desejada. O açúcar, por exemplo, pode ser ou não utilizado. Quanto menor a quantidade de açúcar, mais saudável será o picolé -  principalmente para as crianças que possuem alguma restrição quanto ao consumo de açúcar. Além de escolher bons alimentos para fazer um picolé saudável, você pode contar com a ajuda do seu filho na...
Leia mais

Suco, néctar ou refresco?

Eba, o verão chegou! Nada melhor, com todo esse calor, do que nos refrescarmos com um bom suco de frutas. Mas você ainda tem dúvidas sobre qual suco é a melhor opção para oferecer para os nossos pequenos? Qual a diferença, afinal, entre suco, refresco, néctar e suco de caixinha? Você acha que é tudo igual? Foi pensando nisso que resolvi desmistificar a diferença entre eles. Na maioria das vezes, a palavra “suco” é utilizada popularmente para se referir a toda bebida que é feita de frutas. Mas, na verdade, o que poucos sabem é que há muitas diferenças entre essas bebidas. Como podemos perceber logo abaixo: - Suco Natural É o líquido resultante do esmagamento da fruta. De acordo com a legislação brasileira, os sucos são aqueles que possuem apenas fruta em sua composição, sem adição de água, açúcar, corantes ou conservantes. Por esses motivos, além de ser ricos em vitaminas, do ponto de vista nutricional o suco é sempre o campeão e a melhor opção. Mas devemos ter cuidado ao oferecer em quantidades muito grandes, pois por serem concentrados podem ter o valor calórico maior e algumas frutas, tais como uva, melancia e laranja, têm índice glicêmico alto, o que dificulta o controle da glicemia em crianças diabéticas. - Néctar Já ouviu a expressão “néctar dos deuses”? Ela tem um sentido muito positivo e acaba confundindo os consumidores na hora da compra. Por esse motivo, o governo já estuda outra nomenclatura para classificar este tipo de bebida, já que o nome sugere que o néctar é superior...
Leia mais

Cuidados com o bebê no verão

O verão está chegando! A estação mais quente do ano é sinônimo de praia e diversão, mas também é importante tomar alguns cuidados! No calor, os bebês podem ficar mais irritados, com dificuldade para dormir durante as sonecas e no sono noturno. Se o bebê já se alimenta de sólidos, pode ficar irritado sentado no cadeirão durante as refeições. Pensando nisso, Patricia Tsukada, da Mommy in Bloom, dá algumas dicas para deixar o bebê mais fresquinho no verão. 1.  Sinais de calor: bebê suando, bochechas vermelhas e sinais de irritação. 2. Roupas: vestir o bebê com uma roupa leve (body manga curta, camiseta regata ou só de fralda). 3.  Berço fresquinho: não deve ter protetor de berço, ursinhos e outros objetos, até por medida de segurança, caso você nunca tenha recebido a orientação. 4. Janelas abertas: para arejador o ambiente e circular o ar. 5.  Ventilador: pode-se usar desde que ele não esteja direcionado diretamente para o bebê, e sempre ligar antes do bebê dormir para arejar o quarto. 6. Umidade do ar: você pode deixar toalha molhada no quarto  para umidificar o ar, pois a evaporação contribui para evitar o ar seco e baixar a temperatura. 7. Piscina ou Praia:  usar protetor solar específico para a pele do bebê. 8. Passeio ao ar livre: usar chápeus ou bonés sem esquecer o protetor solar. 9. Bebês que já se alimentam de sólidos: ofereça muito líquido durante o dia, de preferência água; sucos naturais são bem vindos. 10. Bebês que estão só no aleitamento materno: o intervalo entre as mamadas...
Leia mais

Rotina do sono do bebê: fuso horário

Patricia Tsukada, da Mommy in Bloom, está com a gente aqui na Baby Bum para falar sobre a rotina do sono do bebê. O bate-papo com as mães acontece hoje e amanhã, das 14h às 16h, então ainda dá tempo de participar (clique aqui para saber mais)! Aproveitando o tema, ela compartilhou com a gente algumas dicas para tornar a transição de fuso horário mais tranquila quando se faz uma viagem internacional com o bebê: 1) Planejar: comece uma semana antes a ajustar a agenda do seu bebê. 2) Adaptar o horário do sono noturno: colocar 15-30 minutos mais tarde a cada noite se você viajar para oeste. Se você planeja viajar para leste, coloque-o para dormir mais cedo. 3) Escolher o horário do vôo: ter em mente o horário de sono do bebê torna a viagem mais fácil e menos prejudicial para a rotina dele. 4) Ajuste gradual: seja flexível com a alimentação e a rotina de sono, pois pode demorar alguns dias para o seu bebê se adaptar. 5) Durante o dia: mantenha o bebê ocupado durante o dia, faça atividades ao ar livre para  ele se acostumar aos poucos com  o fuso horário. 6) Durante a noite: diminua as luzes, mantenha o ritual do sono, adapte o local para se tornar um ambiente familiar e acolhedor. 7) Tranquilizar o bebê: para esta fase de adaptação, traga um brinquedo favorito ou um cobertor para ele se sentir mais seguro. 8) Quando voltar para casa, siga o mesmo roteiro de adaptação do sono noturno e, principalmente, seja flexível...
Leia mais

A importância da quinoa na alimentação infantil

Tenho certeza que muitas mães já ouviram falar da quinoa. Mas você sabe realmente o que é e como incluí-la na alimentação dos pequenos? Considerada um alimento sagrado pelos Incas, há mais de 5000 anos este vegetal da família do espinafre é produzido nas regiões andinas da Bolívia e do Peru, onde a temperatura gira em torno dos 10°C. Graças ao seu alto poder nutritivo, a quinoa foi considerada pela Academia de Ciências dos Estados Unidos o melhor alimento de origem vegetal para consumo humano, fazendo parte inclusive da dieta dos astronautas da NASA que saem em viagens muito longas. Se você perguntar a qualquer especialista sobre quinoa, ele provavelmente irá salientar a qualidade da proteína dessa semente, comparável a de alimentos de origem animal. O segredo não está na quantidade, mas na combinação de aminoácidos (componentes da proteína) semelhantes a do arroz e feijão juntos. Cada grão contém 20 aminoácidos diferentes, entre eles podemos citar a metionina e a lisina, responsáveis pela formação de uma proteína completa e de boa absorção – quase uma exclusividade dos alimentos de origem animal - e o triptofano, que é capaz de liberar no cérebro a serotonina, substância que dá uma sensação de alegria e bem-estar. A quinoa é uma excelente fonte de carboidrato de baixo índice glicêmico, e ainda tem vitaminas (B1, B2, B3, B6 e A.), ferro, cálcio, fósforo e ômega 3. Com tudo isso, podemos dizer que além de combater a depressão, o vegetal também auxilia na manutenção do sistema imunológico e no tratamento de problemas urinários, osteoporose, anemia e...
Leia mais

Novidades Zest Kids

O Zest Kids criou este lindo editorial para apresentar as novidades do seu cardápio. Comidinhas gostosas e com apresentação atrativa para os pequenos! Fotos: Rogério Voltan | Buffet: Zest Kids | Peças: D....
Leia mais

Pote para controlar as guloseimas

Fazer com que as crianças se alimentem de maneira saudável é uma preocupação constante de toda mãe. Regular as guloseimas durante as refeições, no entanto, não é tarefa fácil, principalmente se os pequenos pedem por biscoitos, balas ou chocolates o tempo todo. Por isso, adoramos o conceito do Kitchen Safe, que vimos no Hypeness: um pote que conta uma trava impossível de abrir durante o tempo que você mesmo determina - o limite é de 9 dias. Uma ideia prática e eficaz para controlar as tentações e melhorar a alimentação! Como o produto busca um financiamento coletivo, ainda não está disponível no...
Leia mais

Restaurantes japoneses com cardápio infantil

A culinária japonesa é colorida, saudável e pode ser super atrativa para os pequenos! Pensando nisso, fizemos uma seleção de restaurantes japoneses, em São Paulo, que oferecem menu especial para crianças. Kodomô Kodomô significa criança em japonês, então nada mais natural para esse restaurante que oferecer pratos especiais para os pequenos. Destaque para o Bentô Box, servido em um prato com formato de urso e para os mini sushis bem coloridos. Local: Praça de alimentação do Kinoplex - Itaim Bibi Endereço: R. Joaquim Floriano, 466 - Itaim Bibi Tel: (11) 3168-5662 Horário: segunda a quarta e domingo: 11h30 às 22h30; quinta a sábado: 11h30 às 23h Preço médio: de R$ 50 a R$ 6o Gendai A rede de restaurantes oferece duas boas opções para os pequenos: o combinado kids e o yakissoba kids, ambos vêm com uma mini gelatina que faz sucesso entre as crianças. Clique aqui e consulte as unidades. Owan Combina pratos da culinária japonesa, tailandesa e chinesa e oferece opções especiais para crianças. Local: Shopping Morumbi Endereço: Av. Roque Petroni Jr., 1.089, piso Lazer, loja 43 Tel: (11) 5182-5082 Horário: segunda a quinta, das 12h às 15h e das 19h às 22h30; sexta, das 12h às 15h e das 18h às 23h; sábado, 12h às 22h30; domingo, das 12h às 22h Shigueru O restaurante oferece mini porção de yakissoba e bentôs que podem agradar a criançada, como o de frango e filé mignon à milanesa. De sobremesa, a dica é o tempurá de sorvete. Endereço: Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 275 - Itaim Bibi Tel:...
Leia mais

O que fazer para meu filho comer bem?

Certamente essa é uma pergunta feita por muitas mães! Pensando nisso, as chefs e consultoras em gastronomia Mayra Abbondanza Abucham e Patrícia Abbondanza, criadoras da Dedo de Moça, estão lançando um livro que pretende ajudar os pais no preparo de pratos saudáveis e gostosos para os pequenos. O que fazer para meu filho comer bem? traz o passo a passo das receitas de forma bastante didática, especificando em cada uma o rendimento, tempo de preparo, nível dificuldade e dando ainda sugestões de outra forma de preparo, acompanhamento ideal e substituições de ingredientes. Partindo da necessidade (como mães) e da larga experiência com a cozinha, as chefs buscaram criar uma publicação que orientasse pais e mães a alimentar bem os filhos de forma condizente com a realidade dos ingredientes brasileiros e fáceis de serem preparados. Recheado de fotografias, o livro ilustrado traz diversas sugestões de apresentações de pratos atrativos aos pequenos. Dentre os tópicos abordados no livro estão: alimentos desaconselhados; primeiros alimentos; papinhas feitas em casa; cardápio semanal elaborado para bebês e crianças; como envolver os filhos na preparação dos pratos, dentre outros. O livro estará à venda na Livraria da Vila, Fnac, Livraria Cultura e site da Editora DBA. *E no nosso post sobre alimentação saudável em casa tem duas receitinhas gostosas e nutritivas da Dedo de Moça para a criançada. Clique...
Leia mais

Icterícia em recém-nascidos

Conhecida popularmente como “amarelão”, a icterícia fisiológica atinge mais de 80% dos recém-nascidos. Abaixo, a neonatologista Dra. Graziela del Ben, do Hospital e Maternidade Rede D’Or São Luiz Itaim, tira dúvidas sobre essa condição. Antes de mais nada, é importante saber que, se controlada, a icterícia não apresenta riscos. Caracterizada por uma coloração nos olhos e na pele do bebê, a doença ocorre devido ao excesso de bilirrubina no sangue. Segundo a Dra. Graziela del Ben, isso ocorre porque, ao nascer, o fígado do bebê ainda está com capacidade limitada para capturar toda a quantidade de bilirrubina produzida. A icterícia começa a se manifestar a partir do segundo dia após o nascimento e pode durar cerca de dez dias, ficando mais amarelada no quinto ou sexto e desaparecendo espontaneamente, geralmente começando por pés, pernas, barriga, tórax e, por último, pelo rosto. Em um primeiro diagnóstico, o médico aperta suavemente o dedo indicador na cabeça e no corpo do bebê para verificar se a área fica amarelada ou se a cor da pele permanece igual. Posteriormente, é realizado o exame de sangue para detectar o nível de bilirrubina presente. De acordo com a neonatologista, é essencial determinar o grau da doença e manter acompanhamento médico após a alta, para que não aumente. Nos casos em que a icterícia não desaparece sozinha, o médico pode indicar a fototerapia, também conhecida como banho de luz. A técnica consiste em colocar o bebê em um aparelho em contato com várias lâmpadas para ajudar a diluir a pigmentação, que será excretada por meio das...
Leia mais