Casamentos Casa & Decor 15 anos

Saúde dos pequenos

Navegue como ou

Agosto Dourado: 20 vantagens da amamentação para bebês e mães

Após sancionada a lei pela Presidência da República, no dia 12 de abril de 2017, Agosto passou a ser o mês do aleitamento materno, um mês inteirinho pró – amamentação. Uma das intenções do projeto “Agosto Dourado” é intensificar ações de conscientização e esclarecimento sobre a importância do aleitamento materno. “Hoje, as famílias estão muito mais conscientes dos benefícios e das vantagens da amamentação, se comparado com as gerações passadas. O leite materno é muito superior a qualquer outro leite ou fórmula artificial e é o alimento mais perfeito e completo da natureza”, explica médica pediatra dra. Gabriela Ochoa, que reuniu para nós as vantagens da amamentação para o bebê e para a mãe. Mas antes das dicas, vale lembrar que a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Ministério da Saúde (MS), a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Academia Americana de Pediatria (AAP) preconizam o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses e complementado até os 2 anos ou mais. Vantagens da amamentação para o bebê : Fortalecimento do sistema imunológico (a mãe passa anticorpos através do leite, fortalecendo o sistema imune do bebê). Proteção contra diversas infecções, como as respiratórias, otite (ouvido), intestinais, dentre outras. Proteção contra anemia (graças a presença e boa absorção do ferro). Diminuição do risco de desnutrição. Diminuição do risco de contaminação. Diminuição do risco de alergias (alergias alimentares, dentre elas a alergia à proteína do leite de vaca). Proteção contra diarreia. Fortalecimento dos músculos da face e boca, evitando problemas na fala e dentição. Contribuição para o desenvolvimento da criança (cognitivo e...
Leia mais

Dicas para prevenir as crianças das doenças do inverno

O inverno chegou e isso significa que a temperatura começa a cair e o tempo tende a ficar mais seco, evidenciando a poluição e facilitando a propagação e a sobrevivência dos vírus no ambiente. Com a mudança de estação e, consequentemente, do clima, acompanham as temidas doenças respiratórias e a preocupação com os pequenos. Para ajudar os pais neste momento, conversamos com a médica pediatra dra. Gabriela Ochoa, que deu boas dicas para prevenir as crianças das doenças do inverno. Vem ver: - Por que as crianças ficam mais doentes nessa época? Nas épocas mais frias as pessoas se concentram em locais fechados (salas de aula sem circulação de ar adequada, janelas de casa fechadas... ), o que facilita a propagação de vírus e bactérias. Além disso, para as crianças que tem predisposição (asma, bronquite, bebês chiadores...) o ar mais frio e seco pode desencadear o broncoespasmo. A contração dos brônquios leva ao edema das vias aéreas, ao chiado e ao temido desconforto respiratório. Outra consequência é o aumento da produção de secreção pelo organismo com a função de lubrificar as vias aéreas superiores, levando ao acúmulo de muco no nariz, garganta e congestão. - Quais são as doenças mais comuns da época? Resfriado: é uma infecção respiratória leve, causada por diferentes tipos de vírus (rinovirus, adenovírus, vírus sincicial respiratório, parainfluenza,...). Espirros, coriza, congestão nasal e tosse, podendo ou não apresentar febre, são alguns dos sintomas mais comuns. Gripe: também é uma infecção respiratória, porém um pouco mais "intensa" que o resfriado. É causada pelo vírus influenza e seus vários subtipos...
Leia mais

Os perigos de acrescentar açúcar e sal na papinha do bebê

Quem não gosta de uma comidinha bem temperadinha e um suco bem docinho??? Por gostarmos tanto, muitas vezes achamos que um pouquinho de açúcar e sal na alimentação infantil será inofensivo para saúde do bebê. Ainda mais porque, no início, quando os adicionamos às papas pode parecer que o bebê está realmente satisfeito e apreciando a comida. Mas, tenha muito cuidado, porque essa prática pode trazer malefícios à saúde e prejudicar as preferências alimentares a longo prazo. Vem ver os perigos de acrescentar açúcar e sal na papinha do bebê: SEM SAL E AÇÚCAR...  Açúcar e sal são dois dos temperos realçadores de sabor e achamos que sem eles nossa dieta não é completa e muito menos prazerosa. Uma coisa que sempre falo em minhas consultas e orientações é que o bebê não conhece nem o sal e nem o açúcar. Quem os apresenta e quem os vicia somos nós, os adultos por acharmos que a comida ficará muito mais gostosa. Como os pequenos são muitos espertinhos: uma vez apresentados a esse mundo, eles acabam preferindo sucos e papas de frutas mais docinhos e papinhas mais salgadas. Na verdade, você não deve adicionar qualquer pitadinha de sal ou açúcar ao alimento do seu bebê, até que pelo menos tenha 1 ou 1½ anos de idade. E se puder retardar por mais tempo essa adição: melhor ainda. Quando o assunto é alimentação infantil, percebo que a maioria dos pais se preocupam muito com a adição de açúcar e se esquecem do sal. Não se engane, tanto um quanto o outro são...
Leia mais

Como e quando esterilizar chupetas e mamadeiras

A Sociedade Brasileira de Pediatria não recomenda o uso de chupetas e mamadeiras, alertando que as mães que não tenham condições de amamentar seus filhos devem recorrer aos copos desde cedo. No entanto, elas ainda são itens muito utilizados em casa. Para os pais que recorrem a elas, cuidados com higiene e esterilização são importantes em cada fase dos bebês e crianças. Para entender cada processo, conversamos com médica pediatra dra. Gabriela Ochoa. Vem ver: QUAL A FORMA CORRETA DE HIGIENIZAR E ESTERILIZAR? Limpeza e esterilização são procedimentos diferentes! A limpeza se destina à remoção de resíduos e pode ser feita com água corrente, sabão neutro e escovas próprias para a higienização. Já a esterilização tem como objetivo a eliminação de germes e bactérias, e pode ser feita de duas maneiras: Forma convencional: coloque água para ferver em uma panela. Em seguida, os itens a serem esterilizados (bicos de mamadeira e chupetas; recipientes de mamadeira...), de forma que fiquem totalmente cobertos. Deixe ferver por, pelo menos, 5 minutos. Os objetos devem ser colocados para secar naturalmente sobre um pano limpo. Certifique-se que o objeto resfriou completamente antes de dar para o bebê. Esse processo de fervura também pode ser feito com recipiente de vidro no microondas. Esterilizador elétrico: é um aparelho próprio para esterilizar os utensílios por meio do vapor quente. Deve-se seguir as recomendações do fabricante. A vantagem desses esterilizadores é a praticidade e a conservação dos objetos, já que ele desgasta menos, prolongando a vida útil. TODA VEZ QUE FOR UTILIZAR A MAMADEIRA É PRECISO ESTERILIZAR? Não. Antes do...
Leia mais

Descubra os cuidados necessários com bebês na praia

As férias de verão estão prestes a começar, e nada melhor que aproveitar os dias ensolarados na praia, ao lado da família e amigos. Para os pais de primeira viagem, os cuidados com bebês na praia são indispensáveis para evitar complicações sérias para a saúde do pequeno. Para esclarecer todas as dúvidas e pegar dicas valiosas, conversamos com a médica pediatra dra. Gabriela Ochoa. Vem ver: A PARTIR DE QUE IDADE OS BEBÊS PODEM IR PARA PRAIA? Não existe protocolo sobre a idade ideal para levar os pequenos à praia, vai depender da conduta e opinião de cada pediatra. Na minha opinião, o bebê está relativamente apto a partir dos 6 meses de vida, quando ele já tomou a primeira "leva" de vacinas e está mais desenvolvido do ponto de vista neuropsicomotor. QUANTO TEMPO UM BEBÊ PODE FICAR NA PRAIA? Como ele ainda não irá aproveitar totalmente o passeio, limite a permanência na praia para curtos períodos do dia, o ideal é que não ultrapasse uma hora. Dos 3 aos 6 meses, somente no carrinho para um breve passeio à beira-mar, com proteção e nos horários adequados. QUAIS HORÁRIOS SÃO RECOMENDADOS E QUAIS DEVEM SER EVITADOS? Evite exposição solar entre 10 e 16 horas (até as 17 no horário de verão) devido ao calor intenso e a ação nociva dos raios ultravioletas à pele. Essa dica vale para qualquer faixa etária. O horário mais recomendado para os bebês é pela manhã, entre 7 e 9 horas, onde a temperatura e o calor estarão mais amenos e a praia mais...
Leia mais

5 marcas de protetor solar são reprovadas em teste de qualidade

Atenção pais, seus filhos podem estar em perigo! A Proteste Associação de Consumidores testou 10 marcas de protetor solar facial e, para surpresa, cinco delas não passaram no teste de qualidade. Sundown, L’Oreal, ROC, Sunmax e La Roche Posay apresentaram o fator de proteção solar (FPS) menor do que o indicado na embalagem. Dentre os rótulos, a La Roche Posay foi a mais crítica: FPS 42% menor do que o informado. A reprovação se deu pelo fato de que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) permite uma variação de até 17% em relação ao que é prometido, o que não aconteceu com as marcas citadas. Ainda no teste, a proteção UVA foi avaliada, e segundo normas da Anvisa de 2012, um terço do FPS precisa ser cumprido. Neste teste, a L’Oreal ficou em último lugar. O produto tem apenas 26% do FPS apresentado no rótulo ao invés dos 33% exigidos para UVA. Para entender a importância, os raios UVA são os responsáveis pelo envelhecimento precoce da pele. Já o FPS está associado a capacidade dos protetores de filtrarem a radiação do tipo UVB, que pode causar vermelhidão, queimaduras e câncer de pele. OS APROVADOS!  A boa notícias é que outros passaram no teste. Cenoura & Bronze, Natura e Nivea Sun  foram aprovados como boa qualidade. Já Boticário e Cetaphil estão entre os classificados com média qualidade. PUNIÇÃO  Como punição, a Protese reivindicou que as fabricantes corrijam os rótulos e façam recall dos produtos, este último item será cobrado pela Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon). O POSICIONAMENTO DA L'ORÉAL  "A L’Oréal refuta, de forma...
Leia mais

Como proteger seu filho das doenças causadas por mudanças de temperatura

No verão é comum usarmos e abusarmos de ar-condicionado, mas o uso deve ser feito com cautela. As mudanças de temperatura que enfrentamos quando entramos e saímos desses ambientes podem ser prejudicial ao nosso organismo. Para crianças e bebês, essa variação pode ser ainda pior, tudo por conta da imaturidade do sistema imunológico. Para entender mais sobre os riscos, bem como pegar boas dicas para proteger as crianças das doenças causadas por mudanças de temperatura, conversamos com a médica pediatra dra. Gabriela Ochoa. Vem ver as recomendações dela: QUAIS OS RISCOS QUE OS PEQUENOS CORREM AO ENTRAR E SAIR DE UM AMBIENTE COM AR-CONDICIONADO? O sistema respiratório possui cílios em todas as suas células, que, em situações normais, se movimentam constantemente para expulsar vírus e bactérias que entramos em contato, funcionando como uma barreira de defesa para o nosso organismo. Quando somos expostos à mudanças bruscas de temperatura, o batimento desses cílios é inibido, facilitando a entrada de vírus e bactérias, predispondo assim à infecções. Quando falamos em crianças e bebês, isso é ainda mais nocivo, pois os efeitos são mais intensos e o mecanismo de defesa do organismo é menos competente. Além disso, temos que ficar atentos ao choque térmico, que é a mudança instantânea da temperatura corporal, sem que o organismo passe pela adaptação adequada. Esta situação pode levar desde incômodos leves, como dores e desconfortos, até alterações pulmonares, arritmias cardíacas e paralisia facial. COMO AMENIZAR AS DIFERENÇAS DE TEMPERATURA E EVITAR SUAS COMPLICAÇÕES? Quando utilizar o ar-condicionado em um local que você possa controlá-lo, como em...
Leia mais

Campanha de Multivacinação para crianças e adolescentes

Começou nessa segunda-feira (19) a Campanha de Multivacinação para crianças e adolescentes de todo o país. Este é a primeira vez em que estão disponíveis todas as vacinas pelo SUS para crianças de até 5 anos e para crianças e adolescentes entre 9 e 15 anos incompletos, incluindo a imunização contra HPV para meninas. Ao todo, o Ministério da Saúde enviou 19,2 milhões de doses extras das 14 vacinas para os postos de saúde de todo o país. São cerca de 36 mil postos fixos de vacinação e 350 mil profissionais de saúde envolvidos nos 12 dias de mobilização (a campanha acaba no dia 30 de setembro). E assim como novidades na distribuição ocorreram, nas vacinas também temos mudanças. Veja na tabela abaixo: [table id=4 /] Para chamar a atenção das crianças e incentivar os pais e responsáveis a levarem seus filhos, o Ministério lançou um clipe com o mascote símbolo da vacinação infantil, Zé Gotinha, dançando com o Carreta Furacão. https://www.youtube.com/watch?v=NlXCBcmieAA Veja também: Sarampo é eliminado no Brasil E mais: Calendário de vacinação infantil sofre mudanças em...
Leia mais

Sarampo é eliminado no Brasil

Tem boas novas para os papais! O Sarampo foi eliminado no Brasil. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a endemia do vírus está interrompida, e por isso, vamos receber um certificado declarando a eliminação da doença até o fim de 2016. "É um grande sucesso atingir essa situação. O continente Americano vai ser o primeiro a atingir a eliminação do sarampo, como foi também o primeiro a atingir a eliminação da rubéola e da síndrome da rubéola congênita. Sendo que nas outras regiões do mundo isso não está tão próximo de acontecer", explica Jorge Nishioka, coordenador-geral de Vigilância das Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde. Esta é uma ótima notícia, uma vez que é considerada uma doença grave, e uma das principais causas de morte infantil pelo mundo, principalmente de crianças menores de 5 anos. Segundo estudos, cerca de 114,9 mil pessoas morreram por conta da infecção por sarampo em 2014. No total, são aproximadamente 314 óbitos por dia ou 13 por hora. O sarampo é transmitido pelo ar e também por contato direto, sendo altamente contagioso. Porém, o fato de ter sido eliminado não quer dizer que não há mais a necessidade de se prevenir, como explicar a dra. Paula Woo, pediatra neonatologista da Universidade de São Paulo. "O último caso de sarampo no Brasil foi registrado em julho de 2015 no Ceará. Após 1 ano sem casos novos, a doença foi considerada eliminada segundo o Comitê Internacional de Avaliação e Documentação da Eliminação do Sarampo. Mesmo assim, o risco de reintrodução sempre existe e por isso é importante manter a vacinação em dia. A...
Leia mais

Os benefícios da shantala para o bebê

Quando fizemos o No Ninho com a Livia Colucci, da WhiteHall, ela nos contou que o presente que mais gostou de receber foi um curso de shantala, da Shantala Neles. A gente achou curiosa a lembrança, e foi conversar com a professora Patricia Lomonaco, para entender melhor o que é a shantala, como funciona e os benefícios para os bebês. Vem ver as explicações dela: O QUE É A SHANTALA E PARA O QUE ELA SERVE? A Shantala é uma massagem feita por pais em seus bebês. Trata-se de uma massagem indiana muito antiga que foi divulgada no ocidente por um médico francês na década de 1970. Esta tem vários benefícios: melhora cólica e alivia os gases, melhora qualidade do sono, alonga, fortalece o sistema imunológico, proporciona consciência corporal e aumenta o vínculo dos pais com o bebê. QUALQUER PESSOA PODE PRATICAR A TÉCNICA? Na teoria qualquer pessoa pode shantalar um bebê, entretanto, sempre mais gostoso que eles recebam dos pais. Como disse acima, este momento aumenta o vínculo, é um momento de intimidade, troca profunda de olhares, risadas, falas... É uma oportunidade de conhecer melhor este bebê, suas preferências e características, tudo através da linguagem corporal. QUALQUER BEBÊ PODE RECEBER A SHANTALA? A PARTIR DE QUANTO TEMPO É RECOMENDADO E ATÉ QUE IDADE? De maneira geral, os bebês que nascem com mais de 37 semanas podem receber a massagem depois de 30 dias. Saibam que 15 minutos de massagem para um bebê com esta idade é bastante coisa, então deve ser introduzido aos pouquinhos, para que o pequeno vá...
Leia mais