Casamentos Casa & Decor 15 anos
Topo

Navegue como ou

No ninho: Cissa Sannomiya e Felipe

noninho

Foi em um dia chuvoso, no comecinho de novembro, que Cissa Sannomiya nos recebeu em sua casa, na região sul de São Paulo. Seu lado profissional nós conhecemos bem. Responsável pelos cliques de alguns dos casamentos mais badalados da cidade, ela aparece com frequência no nosso blog dedicado ao assunto. Por aqui, Cissa nos mostra um pouco do seu dia-a-dia com a família. Mãe de um menino lindo, o Felipe, de 2 anos, ela concilia muito bem sua agenda lotada de festas com as dores e delícias da maternidade.

A responsabilidade de registrar a top fotógrafa com seu pequeno ficou por conta de outro grande talento, a Aline Inagaki, que fez um registro lindo da dupla! Em seguida, batemos um papo descontraído com Cissa. Tranquila e super “pé no chão”, ela nos contou sobre a rotina do sono do bebê, falou sobre as dificuldades dos primeiros meses e deu bons conselhos para as mamães de primeira viagem.

Fotografia Infantil

 

Ser mãe de menino

“Eu adoro! Sempre achei que fosse ser mãe de menino. É mais prático! Menino é mais solto, mais brincalhão, não tem tanta frescura. Por outro lado, meninos têm muito mais energia. O Felipe não para um minuto, é 24 horas correndo pra lá e pra cá!”

 

Carreira x maternidade

Eu trabalhei até os 8 meses de gravidez, e desde o começo eu sabia que seria assim. Nunca pensei em parar de trabalhar. Depois de um mês, já voltei à minha rotina de casamentos. A vantagem é que minha profissão me permite fazer meus horários. Hoje, por exemplo, estou em casa de manhã cedo, então eu consigo estar bastante presente na vida dele. Ele se acostumou desde pequenininho a essa realidade, ele sabe que eu saio pra trabalhar, não é um problema. Outra coisa bacana é que meu marido faz home office, está sempre aqui em casa, ele adora“.

Mas ter voltado a trabalhar rapidamente também teve seus perrengues. Como amamentei até os seis meses, o peito ficava muito cheio de leite e doia! Então eu tinha que parar no meio do evento, tirar o leite e voltar para as fotos. Não foi fácil, mas era necessário. Sou autônoma, não tinha como ficar muito tempo sem trabalhar.”

 

Cuidados durante a gravidez

“Eu me alimentei bem. Evitei refrigerante durante toda a gravidez e durante a amamentação, porque dizem que tudo que você come vai para o leite. Tomava suco verde diariamente, a pedido do meu médico. Semprei fui muito atleta, mas parei antes de engravidar. Eu fazia treinamento pra corriga, yoga, natação. Na gestação, fazia hidroginástica duas vezes por semana, exercícios mais leves”.

 

Rotina do sono

O Felipe não é uma criança que dorme a noite inteira. Mas o processo de gravidez já te prepara para noites mal dormidas, já é um tanto desconfortável. No início, eu deixava ele dormindo no berço e dormia na cama ao lado. Nunca tive babá para acompanhá-lo à noite. Acordava de três em três horas, dava de mamar e voltava a dormir.

Quando ele estava com 8 meses, fiz a técnica do livro ‘Nana, Nenê’. Foi sofrido e, apesar de ter dado certo, não faria novamente. Ele chorou por uma hora seguida. Pela técnica, você tem que entrar no quarto de 5 em 5 horas, mas não pode tocá-lo, apenas acalmá-lo com palavras. Ele passou a dormir direitinho, mas, depois de um tempo, a gente desacostumou o Felipe novamente! Ele vinha dormir com a gente de vez em quando, mas não achava nada demais. Depois, resolvi partir para um método mais light, não tão radical. Em vez de largá-lo na cama chorando, eu fico ali do lado, espero ele dormir e saio“.

 

Enxoval: necessários x desnecessários

“Fiz o enxoval em Miami. Comprei absolutamente tudo que estava na lista que as amigas me passaram. As mamadeiras usadas de 0 a 6 meses foram inúteis para mim, já que amamentei nesse período (e só parei depois disso porque meu leite secou). Também me falaram para comprar vários paninhos (paninho de babador, paninho específico para a criança arrotar etc), e eu achei uma frescura! Os mais úteis foram a maquininha de tirar leite materno da Aventi e o saquinho para armazená-lo. Como não parei de trabalhar, esses utensílios foram uma mão na roda.”

 

Moda

“Eu faço uma compra boa por ano fora do Brasil, em Miami. É algo bem pensado. Dificilmente vou ver algo numa vitrine e comprar de forma impulsiva. Mas claro que tem acessórios que nos chamam atenção. Meu marido é surfista e skatista, então quando ele vê um tênis legal, diferente, tem vontade de comprar para o Felipe.”

O Felipe ama tênis estilosos!

O Felipe ama tênis estilosos!

 

Escolha da escola

“Ele vai entrar na escolhinha no início do ano que vem, mas ainda não tomei a decisão final. Estou levando em conta vários aspectos: se a escola tem um bom espaço aberto, salas arejadas, o tempo de brincar oferecido…Estou analisando o que ela tem a oferecer para o meu filho, como aula de música, aula de inglês, esportes etc. E, claro, a qualidade dos professores, mas isso é algo que se percebe mais com o tempo. O Portinho (Colégio Visconde de Porto Seguro), uma escola super rígida que eu estudei, é minha primeira opção. Mas estou também entre outras duas escolas de inicialização, a Ursinho Branco e a Quintal. Em seguida, penso na Miguel de Cervantes, que é uma escola bilíngue que está entre as melhores de São Paulo.”

 

Alimentação

Sou ‘chata’ nesse quesito e exigente com a rotina! Ele come de tudo, só não gosta de peixe. Ele adora frutas e legumes, come arroz, feijão, carne, frango…Açúcar só aos finais de semana, quando ele sai com os primos que comem bastante doce. Nessas horas, não tem como negar uma guloseima. Mas enquanto eu puder controlar, eu vou controlar! No dia-a-dia, nada de refrigerante, chocolate etc.

Fotografia Infantil

Quando chegamos o Felipe tinha acabado de acordar. Apesar de ser um dia atípico, Cissa fez questão de manter a rotina. “Sou rígida com os horários dele. Todo dia tem que tomar café, brincar, tomar lanche, almoçar, jantar e dormir nos momentos certos”, explica.

 

Passeios

“Quando está sol, nós gostamos de ir ao Parque do Povo. Ele adora jogar bola, é a brincadeira predileta. Quando dá, nós vamos à praia, mas é algo raro, já que trabalho aos fins de semana. O Felipe também brinca muito com os primos mais velhos, de 3 e 6 anos. Ele gosta de crianças mais velhas. Como a casa tem cobertura, aproveitamos alguns domingos para fazer um churrasco e chamar a criançada. Tentamos ao máximo fazer atividades ao ar livre, acho fundamental. Também almoçamos fora uma vez por semana.”

 

De mãe pra mãe

“Todo mundo pinta que a gravidez e os primeiros meses de vida são uma fábula, mas não são mesmo! Eu tive um pouco de depressão pós-parto, algo mais comum do que se imagina. Então não se sinta culpada se, logo no começo, você não estiver explodindo de felicidade. Na primeira semana você não dorme, porque você fica preocupada com cada reação da criança. A gente checa até a respiração de hora em hora! Na segunda semana, você só chora por causa do baby blues (melancolia pós-parto que, segundo estimativas, atinge de 50% a 80% das mulheres). Alguém te pergunta como você está, e você começa a chorar! E na terceira semana você pensa: ‘Eu amo meu filho, mas como vai ser minha vida a partir de agora?’ Tudo ali é muito novo, sua vida muda completamente com o primeiro filho. Principalmente para as mulheres mais ativas, que sempre trabalharam. Depois, claro, as coisas começam a entrar nos eixos. Não se desespere. Depois você até se arrepende um pouquinho de não ter curtido tanto esses primeiros meses.”

cz-babies-kids-no-ninho-cissa-sannomiya-felipe-aline-inagaki-4

 

Um conselho

“Não dê tanto ouvido a opiniões alheias. Quando eu tinha alguma dúvida, perguntava ao pediatra. Além disso, você aprende muita coisa sozinha. Faz algumas besteiras, claro, mas isso é normal, não é nada demais. As pessoas falam para não deixar seu filho dormir no colo, e, sim, no berço. Mas você ouve seu filho se acabando de chorar…Você aguenta deixá-lo assim? A mesma coisa com a amamentação. Dizem que o correto é amamentar de três em três horas, porque se você amamentar num período de tempo menor, ele vai ficar mal acostumado. Mas cada criança é de um jeito, não tem regra. Se eu tiver um segundo filho, por exemplo, tenho certeza que ele vai ser completamente diferente do Felipe. Se adapte a sua situação.”

 

Um orgulho

Quando ele me dá um beijinho, a primeira vez que ele falou ‘mamãe’…são esses pequenos momentos…O Felipe é um menino muito carinhoso, eu me derreto.

Fotos: Aline Inagaki

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *