Casamentos Casa & Decor 15 anos

Navegue como ou

Mitos e verdades sobre a saúde bucal das crianças

dentinho-de-leite-coluna

Olá mamães!

Aqui estão, com suas devidas explicações, alguns mitos e verdades sobre a saúde bucal das crianças que sempre geram dúvidas.

1) Atualmente é recomendado que bebês e crianças utilizem pasta de dentes com flúor

VERDADE! Embora há alguns anos a recomendação fosse que crianças não utilizassem pasta de dente fluoretada até os 6 anos de idade, essa informação está hoje desatualizada. O flúor da pasta de dente (mais do que aquele existente na água ou o que se aplica no consultório) tem papel fundamental na prevenção contra o desenvolvimento da cárie dentária, doença que pode ser facilmente prevenida, porém ainda bastante comum. Portanto o flúor hoje é indicado a partir da erupção dos primeiros dentes. Este conceito mudou quando percebeu-se que não valia a pena que as crianças corressem o risco de ter cárie apenas para evitar que não tivessem a fluorose, que são manchinhas esbranquiçadas as quais podem aparecer nos dentes permanente quando há GRANDE ingestão de flúor na infância, pelo fato de eles estarem se formando nesta fase da vida.

“Mas meu filho engole toda a pasta enquanto escova, não tem problema?” Essa é a grande chave da questão, não há problema com tanto que seja utilizada a quantidade correta de pasta. Ela deve ser utilizada APENAS 2 vezes por dia, não mais do que isso, em quantidade muito pequena, equivalente a um grão de arroz para crianças menores de 3 anos e um grão de ervilha para crianças maiores de 3 anos. Desta forma, mesmo que a criança degluta tudo o que foi colocado na escova, não há risco de desenvolvimento da fluorose e ela estará protegida contra a cárie.

2) Leite materno não causa cárie

MITO! O leite materno é indiscutivelmente o melhor alimento para o bebê, porém ele não é isento de açucares que podem sim causar o desenvolvimento da cárie dentária, juntamente com todos os nutrientes tão essenciais. Portanto, se o aleitamento se prolongar até a fase de erupção dos dentes, é necessário redobrar os cuidados com a higiene, caso contrário pode ocorrer o que chamamos de “cárie de acometimento precoce”. A partir da erupção dos primeiros dentes, as dedeiras não estão mais recomendadas, deve ser utilizada a escova de dentes mesmo.

3) A erupção dos primeiros dentinhos pode causar febre alta

MITO! Esta é uma associação que as mães costumam jurar que acontece…sempre que aparece algum dentinho, sua erupção é precedida de febre. Porém, cientificamente não há nada que prove esta relação, pois a erupção dentária é um processo totalmente fisiológico. Alguns sintomas como febre baixa, diarreia leve e aumento da salivação são mesmo comuns nesta fase. Porém, nem sempre eles estão diretamente relacionados ao aparecimento do dente, mas sim ao fato de esta ser uma época repleta de mudanças: introdução de novos alimentos, início da escolinha e do contato com outras crianças, maturação das glândulas salivares e, o que acontecesse com bastante frequência, o hábito de levar a mão ou outros objetos diferentes à boca, justamente como forma de alívio. Por este motivo, o contato com patógenos acaba sendo aumentado, e esta é a explicação para as mudanças citadas.

4) Aparelho dentário só pode ser usado depois da troca de todos os dentes de leite pelos permanentes

MITO! Esse pensamente parece bastante lógico, uma vez que se a criança irá trocar ainda os dentes de leite parece não haver necessidade de corrigi-los antes que isso aconteça. No entanto, existem vários tipos de aparelhos e a maioria daqueles utilizados em crianças corrigem muito mais do que a posição dos dentes, eles interferem também no crescimento e desenvolvimento dos ossos maxilares e isso é feito de maneira muito mais efetiva antes que a fase de puberdade chegue.

Sendo assim, se alguma alteração for diagnosticada e houver indicação para o uso de aparelho (o que depende também da maturidade da criança), o tratamento pode ser iniciado tão logo o dentista, juntamente com os pais, considerem que é o momento certo. Isso pode ocorrer por volta dos 5 anos de idade, sendo que a troca dos dentes só termina por volta dos 12 anos. Intervindo nas dimensões e no posicionamento das arcadas na época adequada, o correto posicionamento dos dentes torna-se muito mais fácil posteriormente.

5) Não há necessidade de higienizar a boquinha do bebê sem dentes

VERDADE! Só é recomendado higienizar a boca do bebê antes de nascerem os primeiros dentinhos quando ele não mama exclusivamente no seio materno, caso contrário não existe esta necessidade, principalmente nos 2 primeiros meses de vida. Nesta fase, a saburra do leite materno, aquela camada branca que fica depositada sobre a língua, assim como a saliva, possuem anticorpos que defendem o organismo do bebê, ainda com sistema imunológico imaturo. Caso o bebê tenha outras fontes de alimentação, como o leite em pó, a higienização pode ser feita com gaze ou fralda limpa e umedecida em água filtrada, dedeiras de silicone ou lencinhos umedecidos específicos para este fim. No entanto, assim que aparecerem os primeiros dentinhos já é hora de trocar pela escova com dentifrício adequado, como foi explicado aqui , ok?

Até mais!

Dra. Camila Guglielmi

Dra. Camila Guglielmi é graduada em odontologia. Especialista, Mestre e Doutora em odontopediatria pela Universidade de São Paulo (USP), atua em consultório junto à Clínica Biella Odontologia. Aqui, ela abordará mitos e verdades sobre a dentição das crianças e responderá as principais dúvidas das mães.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *