Casamentos Casa & Decor 15 anos

Navegue como ou

A maternidade me fez uma pessoa melhor

CONFISSOES-DE-MAE

Olá, mamães!

A Cons me convidou para escrever aqui no blog e não sabia por onde começar… No Dia das Mães me peguei pensando como a maternidade me mudou e achei que poderíamos começar por aí!

destaque

Toda mãe concorda que a maternidade naturalmente transforma a gente de uma maneira positiva, não?

Como empresária, passei boa parte da vida em busca de cursos e workshops e palestras e coachings pra aprimorar os meus conhecimentos e melhorar meus pontos fracos. Como é difícil enxergar as próprias falhas, largar velhos hábitos, rever o jeito de pensar, não é? Aí veio a maternidade, que trouxe algumas mudanças positivas para mim de uma maneira tão eficaz! E o engraçado é que em parte foi por vontade própria e em parte foi sem eu nem perceber. Não sou mais a mesma Malu de antes.

Longe, muito longe de pensar que cheguei à perfeição (nem como mãe, nem como mulher). O processo de crescimento pessoal não para nunca. É uma delícia ver o quanto aprendo e cresço como pessoa a cada dia, à medida que os meus filhos também crescem. Mas resolvi fazer uma listinha de 8 coisas que mudaram em mim depois da maternidade:

– O tal do #amormaiordomundo, o amor incondicional (que a gente não sabe como é até experienciar) aumentou a minha capacidade de amar e aumentou a minha compaixão. Fiquei mais amorosa com outras pessoas e com a vida de modo geral. Passei a me colocar no lugar de outras mulheres e as entender melhor, fiquei mais compreensiva em tantas situações. Hoje, o sofrimento de uma criança me toca de uma maneira muito mais profunda. Meu olhar para o mundo ficou mais maternal. 

– A gente educa principalmente pelos exemplos que dá, o que nos obriga a rever nossos hábitos. Passei a me policiar mais com coisas corriqueiras pras quais eu não dava tanta importância (de fazer errado), como me controlar mais no trânsito, cortar palavrões do vocabulário, comer mais frutas e salada, deixar as minhas coisas organizadas… e já repararam como nossos filhos são bons fiscais do “faça o que eu falo, mas não faça o que eu faço“? Qualquer derrapada e recebo um puxão de orelha: “Ué, mamãe, você não falou que não podia fazer isso?”

– Nunca fui boa em administrar meu tempo. Como mãe aprendi a aproveitar muito melhor o dia. Bebês e crianças precisam de rotina e isso me ajudou a organizar melhor o meu próprio tempo. Claro que eu ia amar se o dia tivesse 28 horas (4 horinhas cairiam bem!), mas hoje eu percebo que consigo realizar muito mais coisas durante o dia do que antes. E a gente sempre consegue encaixar um tempinho extra, mesmo estando exausta, mesmo tendo mil coisas para fazer, para  estar com os nossos filhos quando eles precisam, não é?

– Passei a vida adiando o projeto de aprender a cozinhar. Até que virei mãe! Tudo começou com as papinhas. Queria garantir uma alimentação saudável a eles. Depois descobri uma talentosa doceira em mim. Tinha a lembrança de fazer biscoitos e bolos na fazenda quando pequena e queria proporcionar essas vivências para os meus pequenos também.

– A maternidade foi o único “remédio” para a minha obsessão por controle (mas ainda não estou 100% curada). Nada como ter filhos para entender que não temos o controle sobre nada nessa vida. Paciência e orações são os meus aliados no dia-a-dia!

– Falando em paciência, a maternidade tem sido um exercício constante de paciência! Ainda não cheguei num nível zen budista (e duvido que eu vá chegar lá), mas pensando que antes eu tinha paciência zero, estou no lucro!

– Detesto política, mas ando cada vez mais preocupada com o futuro do país e do mundo. Em uma cidade como São Paulo a gente enfrenta o problema da violência que deixa o nosso coração de mãe na mão, o que já é motivo suficiente pra querer sair nas ruas e reinvidicar nossos direitos. Mas também queria que meus filhos pudessem crescer em um país com infra-estrutura, com bom nível de educação geral, com mais igualdade social… mesmo tendo aversão a políticos, hoje sinto uma responsabilidade ainda maior do meu voto.

– “Quando você for mãe, você vai estender“. Entendi o que a minha mãe queria dizer! Sou ainda mais agradecida por tudo o que ela fez por mim! E com isso a nossa relação de mãe e filha melhorou muito!

E como vocês acharam que maternidade mudou vocês como pessoas?

Malu é mãe de um casal de “anjinhos sapecas”: uma menina de 4 anos e um menino de 2. Como muitas outras mães, tem que se desdobrar em mil para cuidar do trabalho, da casa, do marido e dos filhos. Aqui, ela divide suas experiências e descobertas do mundo da maternidade – sempre com honestidade e bom-humor, mas sem se levar tão a sério.

1 comentário

  1. Alba Marilia 26 de maio de 2014

    Concordo com tudo !!! Malu! Parabéns! Que Deus abençoe sempre vc e sua família!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *