Casamentos Casa & Decor 15 anos

Mães

Exibindo página 5 de 1750

Navegue como ou

Parto normal x parto humanizado: as principais diferenças

Você sabe as diferenças entre parto normal x parto humanizado?  Será que todo parto humanizado é normal? E será que todo parto humanizado é feito em casa? Estas são algumas das dúvidas que o médico e mestre em obstetrícia e ginecologia pela USP Dr. Wagner Hernandez tirou em entrevista ao blog. Vem ver as explicações que ele nos deu: O QUE É O PARTO HUMANIZADO? A primeira coisa que deve ficar clara é que o chamado "Parto humanizado” não é um tipo de parto. "Parto humanizado” é a maneira na qual a assistência ao parto ocorre da maneira mais natural possível. Praticamente sem nenhuma intervenção, respeitando o processo natural. A nomenclatura “humanizada” no meu modo de ver é inadequada, pois dá a impressão que o parto que não segue todos estes preceitos seria “desumanizado” ou “animalizado”, o que não é real, e na maioria das vezes injusto. QUAIS AS PRINCIPAIS DIFERENÇAS DELE PARA O PARTO NORMAL? O parto normal é o resultado final. Ou seja, todo parto chamado de humanizado, ou não, que acontecer pela via vaginal será um parto normal. A diferença é como ele será conduzido para que ele aconteça. No parto normal / tradicional (ou "não humanizado”) que segue os ensinamentos da obstetrícia clássica, existem alguns passos feitos muitas vezes de rotina, como por exemplo, romper a bolsa das águas entre 6 e 8 centímetros de dilatação. No parto, chamado humanizado, a bolsa deve estourar espontaneamente ou pode até ocorrer o parto sem a sua rotura. O que deve ficar muito claro é que o parto normal bem assistido, com as intervenções...
Leia mais

Acupuntura na gestação: benefícios, indicações e contraindicações

A acupuntura na gestação é uma técnica muito buscada pelas futuras mamães que não querem recorrer a medicamentos para sanar dores nas costas, azias, enjoos e outros incômodos comuns durante a gravidez. Para quem desconhece a técnica, a acupuntura vem da medicina tradicional chinesa e consiste na estimulação das terminações nervosas do corpo. O método mais comum é feito por meio de agulhas bem finas, geralmente aplicadas nas mãos, pés, orelhas e costas, com o objetivo de equilibrar a energia do organismo e, assim, fazê-lo curar ou prevenir doenças. Existe, no Brasil, uma associação regulamentadora, a AMBA (Associação Médica Brasileira de Acupuntura), na qual é possível encontrar profissionais certificados. Para entender melhor os benefícios, indicações e contraindicações, conversamos com a fisioterapeuta especialista em ortopedia, RPG e acupuntura Thays Carvalho Simões. Dá uma olhada no que ela explica: - A acupuntura é aconselhada durante a gravidez em quais casos? Qualquer desconforto gerado pela gestação tem indicação da acupuntura, tanto físico como emocionais. Lombalgias, enjoos, dores de cabeça, ansiedade, insônia, entre outros. Já no pós-parto, quando ocorre uma nova mudança, dessa vez mais abrupta em relação ao peso, e a coluna sente ela também é recomendada. - Quais os benefícios que a técnica pode trazer para as futuras mamães? O maior beneficio da acupuntura na gestação é poder tratar dores e incômodos sem precisar de medicamentos, já que gestantes não pode fazer uso de muitos medicamentos. Harmonizar corpo e mente, sendo muito eficiente para equilíbrio energético e emocional. - Alguma contraindicação para a acupuntura na gestação? Não há contraindicação, apenas alguns cuidados que o acupunturista deve ter...
Leia mais

Enquete CZ: o carrinho de bebê mais usado pelas mamães

Na semana passada, fizemos uma enquete no nosso Instagram (@babies_cz) para saber qual o carrinho de bebê mais usado e recomendado pelas mamães. Entre os modelos que colocamos estavam: Travel System, Bercinho e Guarda-chuva! Dá uma olhada no resultado e o que algumas delas comentaram: “Amei todos! Até os cinco meses, usei muito o modelo com moisés (bercinho), e também o com bebê conforto, quer fica super prático até os seis meses. O carrinho grande é ótimo para todos os terrenos e mais confortável. Uso até hoje (meu bebê está com um ano). E o guarda-chuva é imprescindível para passeios rápidos e viagens.” “Uso o travel system da Britax. Na época em que comprei, meados de 2013, era disparado o melhor custo-benefício. Encomendei pela Amazon, e trouxe dos EUA. Usei com meu primeiro filho até os 10 meses com o bebê-conforto. Depois, só o carrinho até quase 2 aninhos. Agora, estou usando de novo para o segundo filho que chegou! Acho muito prático, principalmente para quem sai bastante de carro com o bebê.” “Usei o modelo travel system com moisés no começo. Depois de um ano, o guarda-chuva foi minha opção!” Veja também: 8 carrinhos de bebê leves e práticos E mais: Conheça os tipos básicos de...
Leia mais

10 dicas de saúde para as grávidas não sofrerem com o calor

As altas temperaturas do verão costumam causar incômodos para a maioria das pessoas, principalmente para as grávidas. O ginecologista e obstetra Claudio Basbaum, membro do Corpo Clínico do Hospital São Luiz em São Paulo, destaca que a elevação na quantidade de hormônios no organismo da gestante promove a dilatação dos vasos, tanto arteriais quanto venosos. Tal fato predispõe o aparecimento ou piora das varizes nos membros inferiores, alterações que contribuem para o inchaço nos pés e nas pernas. Outra consequência é a queda de pressão arterial, tão comuns nos meses de verão e sobretudo na segunda metade da gestação. Abaixo, ele lista cuidas básicos para as grávidas não sofrerem no verão: 1 - Evitar exposição ao sol entre 10 e 16 horas; Além dos já conhecidos riscos causados sobre a pele, a gestante tem muita facilidade de ficar com manchas escuras no rosto e sobre eventuais cicatrizes antigas (Cloasma gravídico) 2 - Usar o protetor solar diariamente; 3 - Comer alimentos mais leves como frutas e saladas; 4 - Hidratar-se bem. Consumir ao menos 2 litros de água por dia; 5 - Utilizar roupas com tecidos leves, evitando os sintéticos e roupas justas; 6 - Trocar a roupa íntima pelo menos uma vez por dia, além da primeira, e dormir sem calcinha é uma boa sugestão; 7 - Lavar e enxaguar bem as roupas íntimas, sem deixar resíduos de sabão. Seca-las ao sol e não dentro do box do chuveiro , onde a umidade facilita a proliferação de fungos; 8 - Não permanecer por muito tempo com maiô molhado; 9 - Tomar banhos mornos ou frios durante o...
Leia mais

No Ninho: Rejane Wolff e Branca

O primeiro No Ninho de 2016 traz uma dupla conhecida - e muito querida - por nós: a fotógrafa Rejane Wolff e a pequena Branca. O lado profissional da mamãe de primeira viagem, nós conhecemos bem. Responsável pelos cliques de alguns dos casamentos mais badalados do interior de São Paulo, ela aparece com frequência no nosso blog dedicado ao assunto. Por aqui, Rejane nos mostra um pouco do seu dia-a-dia com a família, bem como concilia sua agenda lotada de festas com as dores e delícias da maternidade. Os cliques foram feitos pelo papai, o também fotógrafo Daniel Poletto: QUAL A PRIMEIRA COISA QUE PASSOU NA SUA CABEÇA QUANDO FICOU SABENDO QUE ESTAVA GRÁVIDA?: "Quando fiz o teste de farmácia fiquei passada, com cara de boba, não acreditava. Nós estávamos planejando engravidar, mas confesso que tinha certeza que iria demorar. Meu esposo até foi na farmácia comprar um segundo teste, e mesmo dando positivo, ainda não tinha certeza. Isso tudo aconteceu em uma sexta-feira à noite e no dia seguinte iríamos fotografar um casamento. Então, só no domingo de manhã fui ao hospital fazer o exame. A sensação foi engraçada. Estava super feliz, mas ao mesmo tempo bateu aquele sentimento de “e agora???”. Acho que toda gestante passa por esse mini desespero. rs!" E COMO ESTAVA SUA VIDA NESSE MOMENTO?: "Eu e o Daniel estávamos casados há quase 8 anos quando resolvemos engravidar. Nós nos casamos muito novos, com pouco tempo de namoro e decidimos que iríamos “namorar” depois de casados. Foi muito gostoso, porque a gente aproveitou muito. Viajamos para muitos dos lugares que queríamos, saíamos...
Leia mais

Amamentação em público: lei prevê multa de R$ 500 para quem proibir

Finalmeeente, na última semana, entrou em vigor a lei que prevê multa de R$ 500 a quem impedir qualquer mãe de amamentar em público. (Meio óbvio, não?) A medida, publicada no Diário Oficial de São Paulo, punirá quaisquer estabelecimentos "destinados a atividades comerciais, culturais, recreativas ou à prestação serviço público ou privado". Ou seja, agora as mães podem ficar tranquilas ao alimentarem seus bebês. E tem mais, o decreto ainda prevê multa dobrada em caso de reincidência. As denúncias devem ser feitas, de forma escrita ou oral, à subprefeitura da região, e não podem ser anônimas. Para quem não se lembra, o projeto de lei é do vereador Aurélio Nomura, e foi sancionado em abril de 2015 pelo prefeito Fernando Haddad. Nos autos do documento, Haddad fez questão de salientar que nenhum estabelecimento precisa ter uma área própria para o aleitamento materno. "Todo estabelecimento localizado no Município de São Paulo deve permitir o aleitamento materno em seu interior, independentemente da existência de áreas segregadas para tal fim. Para fins desta lei, estabelecimento é um local, que pode ser fechado ou aberto, destinado à atividade de comércio, cultural, recreativa ou prestação de serviço público ou privado", ressalta o...
Leia mais

No Ninho: Camila Klein e Betina

Como hoje é a noite de Natal, não podíamos deixar de ter um No Ninho com alguns cliques temático. Nossas convidadas são a arquiteta Camila Klein e a sua filha Betina, de um ano e sete meses. A dupla recebeu a gente em seu apartamento, em São Paulo, para mostrar a árvore de Natal, o presépio e também como a diversão entre mãe e filha acontece no dia a dia. Camila aproveitou para contar um pouquinho sobre a rotina da Betina, os preparativos que fez para ter um parto tranquilo e seguro, e como concilia a maternidade com a vida profissional.  Os cliques pra lá de fofos são da fotógrafa Nina Amaral: A GESTAÇÃO: "Foi planejada. Sabia que precisava engravidar nesse período para conseguir conciliar meu desejo de ser mãe com um dos momentos mais importantes da minha carreira. Nina nasceu de 8 meses." PREPARAÇÃO PARA O PARTO: "Três coisas me ajudaram bastante. Acrescentei chia, frutas e ômega 3 e diminui o consumo de café e chimarrão (que adoro!). Eu e Betina ficamos com mais energia e menos agitadas. Durante a gestação, fui adepta da terapia sacral, que é uma técnica de massagem que faz com que a criança se encaixe na posição certa no dia parto." CARREIRA X MATERNIDADE: "Acredito que tudo é planejamento. Desde a gravidez, sempre me preocupei em como conciliaria minha filha e vida pessoal com o trabalho, e a terapia me ajudou muito nesse sentido. Hoje, tenho horários, rotina, almoço em casa, até porquê é a hora da mamada dela, depois volto pro trabalho, e às 18hs encerro...
Leia mais

No ninho: Cissa Sannomiya e Felipe

Foi em um dia chuvoso, no comecinho de novembro, que Cissa Sannomiya nos recebeu em sua casa, na região sul de São Paulo. Seu lado profissional nós conhecemos bem. Responsável pelos cliques de alguns dos casamentos mais badalados da cidade, ela aparece com frequência no nosso blog dedicado ao assunto. Por aqui, Cissa nos mostra um pouco do seu dia-a-dia com a família. Mãe de um menino lindo, o Felipe, de 2 anos, ela concilia muito bem sua agenda lotada de festas com as dores e delícias da maternidade. A responsabilidade de registrar a top fotógrafa com seu pequeno ficou por conta de outro grande talento, a Aline Inagaki, que fez um registro lindo da dupla! Em seguida, batemos um papo descontraído com Cissa. Tranquila e super "pé no chão", ela nos contou sobre a rotina do sono do bebê, falou sobre as dificuldades dos primeiros meses e deu bons conselhos para as mamães de primeira viagem.   Ser mãe de menino "Eu adoro! Sempre achei que fosse ser mãe de menino. É mais prático! Menino é mais solto, mais brincalhão, não tem tanta frescura. Por outro lado, meninos têm muito mais energia. O Felipe não para um minuto, é 24 horas correndo pra lá e pra cá!"   Carreira x maternidade "Eu trabalhei até os 8 meses de gravidez, e desde o começo eu sabia que seria assim. Nunca pensei em parar de trabalhar. Depois de um mês, já voltei à minha rotina de casamentos. A vantagem é que minha profissão me permite fazer meus horários. Hoje, por exemplo, estou em casa de...
Leia mais

Translactação: uma alternativa para as mães com dificuldades para amamentar

No começo deste mês, Fernanda Gentil compartilhou um texto sobre amamentação em seu Facebook. Nele, a apresentadora da Globo conta que seu leite secou, o que a fez se sentir culpada, e sobre a chegada da mamadeira na rotina do pequeno Gabriel, de dois meses. (o relato completo está aqui). Seu depoimento levantou um grande debate na internet, imagino que muitas de vocês tenham lido. Bom, eu li muuuuita coisa - algumas relevantes e outras nem tanto. Li sobre a pega correta (que já tinha ouvido, em uma palestra sobre o tema, não ser "óbvia" nem para a mãe nem para o bebê), sobre o trabalho de enfermeiras que auxiliam as mães nesse processo (que não necessariamente são encontradas na maternidade), entre outras coisas. Mas de tudo, o que achei mais interessante e uma verdadeira novidade para mim foi a translactação! Com toda a minha ignorância sobre amamentação (apesar de já ter lido um bocado a respeito, ainda não tive a experiência), sempre achei que a mamadeira fosse o único destino para as mães que, por diversos motivos, não conseguissem amamentar seus filhos. Já sabia que a sucção do bebê induzia a produção de leite, mas não entendia até que ponto isso poderia ser poderoso! Por isso, achei que seria importante fazermos um post sobre a sonda de translactação. Encontramos uma mãe que fez uso dela e uma pediatra que explicou melhor o processo. Para começar, vamos à definição: a sonda de translactação é um dispositivo que leva, através de um caninho, o leite de um recipiente ou seringa até o bebê enquanto ele mama o peito. Desta forma, o bebê continua a...
Leia mais

No Ninho: Paula e Felipe

A gente decidiu começar o No Ninho desta semana de forma diferente, com uma foto, para você já entender quanta gostosura vem pela frente! Esse é o Felipe, filho da médica Paula Guglielmetti. Com apenas seis meses, ele é a alegria da família, que conta com vovô, vovó e titios babões. "A gravidez foi muito desejada e programada. A vida estava muito tranquila. Sem querer ser clichê, faltava apenas o Felipe para torná-la completa." Batemos o maior papo com essa mãezona, que deu várias dicas valiosas sobre enxoval, hora do sono, papinha e o retorno da vida marido e mulher. E sabe o que mais gostamos? E que a Dra. Paula mostrou que mesmo sendo pediatra neonatologista, a maternidade é algo surpreendente (até para quem entende muito sobre bebês)! Os cliques pra lá de fofos são da fotógrafa e nossa parceira Carla D'Aqui! COMO FOI A GESTAÇÃO DO FELIPE?: "Tive uma gestação inicialmente tranquila, sem enjoos ou outros sintomas. Mas, acabei evoluindo com um quadro de polidrâmnio (que é quando se tem muito líquido amniótico no útero). Com isso, tive bastante contrações e fiquei de repouso no último trimestre. O Felipe nasceu com 39 semanas." FEZ ALGUMA PREPARAÇÃO FÍSICA PARA O PARTO?: "Fiz atividade física direcionada para gestantes, drenagens linfáticas e acompanhamento nutricional para ganhar peso adequadamente (mas a vontade de comer era tão grande, que confesso que não fui muito comedida)." COMO FOI O RETORNO ÀS ATIVIDADES PROFISSIONAIS?: "Voltar é sempre difícil. Parte de mim queria muito sair de casa e retomar a profissão, mas deixar meu Felipe aos cuidados de outra pessoa foi muito doloroso. Ainda mais porque não tive muita...
Leia mais