Casamentos Casa & Decor 15 anos

Mães

Exibindo página 4 de 1750

Navegue como ou

Como evitar câimbra na gravidez

A câimbra na gravidez é comum e atinge a grande maioria das gestantes. A contração da fibra muscular dói, e muito! Geralmente, ocorre pelo excesso de exercícios físicos ou devido à ausência de sais minerais no organismo. E como o corpo da grávida está em constante transformação, principalmente na reta final dos nove meses, é quase que certo que o problema apareça. Pensando nisso, conversamos com o médico e mestre em obstetrícia e ginecologia pela USP Dr. Wagner Hernandez, que deu boas dicas para se prevenir. Vem ver: POR QUE A INCIDÊNCIA DE CÂIMBRA É ALTA NA GRAVIDEZ?  Até agora não temos uma resposta exata. Existem diversas possíveis causas para este incomodo tão grande que acomete muitas gestantes, especialmente na segunda metade da gravidez. Acreditamos que as principais causas se devam a sobrecarga que os músculos são submetidos durante a gravidez, devido ao aumento de peso e mudança de postura com o passar da gestação. Falta de vitaminas e não estar bem hidratada também pode estar relacionados. EXISTE ALGUM ALIMENTO, POSIÇÃO OU ATO DA GESTANTE QUE PROPICIA O SURGIMENTO?  Gestantes sedentárias e que apresentem um ganho de peso excessivo, costumam ter uma tendência maior de apresentar câimbras. Exagerar também no esforço físico não é uma boa, por isso a gestante deve sempre respeitar seus limites. QUAL A MELHOR FORMA DE PREVENIR?  A melhor estratégia de prevenção é manter um bom alongamento, estar bem condicionada, manter uma boa alimentação e estar sempre bem hidratada. Usar calçados confortáveis ajudam e evitar o salto alto pode fazer a diferença. ALIMENTAÇÃO INTERFERE NESTE CASO?  Uma...
Leia mais

No Ninho: Mari Dedivitis + João Pedro e Dudu

Pense em um dia divertido, com direito a brincadeira na piscina, pega-pega fantasiado e muita risada. Foi assim a nossa tarde com a família da assessora de casamentos Mari Dedivitis, que abriu as portas de sua casa para um No Ninho ao lado dos filhos, o João Pedro e o Dudu. O Estúdio Raio fez cliques lindos e o bate-papo ficou especial. Vem ver as impressões sobre a maternidade e as dicas valiosas da mãezona! VOCÊ PLANEJOU OS MENINOS? "Foram dois sustos! Estava em um ritmo super louco no trabalho e um dia percebi algo errado. Uma amiga comprou um teste de farmácia e deu positivo. Chorei, dei risada, fiz tudo junto. Na segunda, foi a mesma coisa. Mas desta vez o primeiro teste de farmácia deu negativo. Só depois de três tentativas que percebi que podia ser a marca. Troquei e dai deu positivo!" COMO FORAM AS GESTAÇÕES? "Na primeira, fiquei muito chata. Tudo me irritava, desde o telefone tocando até os outros perguntando se eu estava bem a todo momento. Foi muito difícil para o meu marido, porque sempre fui brincalhona. Cheguei naquele momento do “não toque em mim”. E acho que o motivo foi o choque do começo. A gente tinha dois anos de casados e três de relacionamentos. Era uma relação muito jovem, na fase de viajar bastante, curtir um namoro que a gente quase não teve." "Para mim, ficar grávida não foi tão legal como para outras mães. Fiquei muito inchada, o peito e as costas doíam, sofri um pouco. Isto também contribuiu para eu...
Leia mais

Os nomes de bebês mais populares no Brasil

Já repararam que existe moda de nomes de bebês? Dependendo da época alguns nomes estão mais em alta do que outros. Quando eu era criança, tinha muita Camila, Carolina, Juliana e Mariana na minha classe! De uns tempos para cá, comecei a reparar nos nomes mais comuns entre as festinhas que postamos aqui no blog e pelas minhas amigas e conhecidas que estão tendo bebês. Tenho visto com freqüência: MENINAS: Olivia, Sofia, Isabella, Valentina, Alice e Stella MENINOS: Antonio, Bernardo, Benjamin, Miguel, Lucca e Teo Claro que a minha amostragem é pequena e apenas uma percepção, não se trata de uma pesquisa. Por isso, achei interessante divulgar a pesquisa de nomes que o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) fez recentemente. Segundo o levantamento, Maria lidera a lista dos nomes mais comuns com mais de 11,7 milhões ocorrências, enquanto José aparece em seguida com cerca de 5,7 milhões registros. O estudo tem como base o Censo Demográfico de 2010, que considera em torno de 200 milhões de habitantes com mais de 130 mil nomes diferentes. Além de Maria, estão na lista Ana, Francisca e Antonia. Já no time dos meninos, os prediletos depois de José são: João, Antonio e Francisco. Dá uma olhada na lista: Os nomes mais comuns no Brasil 1º Maria 2º José 3º Ana 4º João 5º Antonio 6º Francisco 7º Carlos 8º Paulo 9º Pedro 10º Lucas Os nomes mais comuns de meninas 1º Maria 2º Ana 3º Francisca 4º Antonia 5º Adriana 6º Juliana 7º Márcia 8º Fernanda 9º Patrícia 10º Aline Os nomes mais comuns de meninos 1º José 2º João...
Leia mais

No Ninho: Andrea Viera + Alix

Se você conhecer um pouquinho da rotina da estilista e diretora criativa Andrea Viera, você provavelmente diria que ela não seria a pessoa mais indicada para ter um filho. Porém, mesmo com uma vida louca – ela mora em São Paulo (onde tem sua própria marca, a Pat Pat’s), no Rio (cidade na qual é diretora da marca da mãe, a estilista Patrícia Viera) e no Uruguai (onde o marido trabalha) - ela foi contra tudo (- e todos), hoje é mãe da pequena Alix, de oito meses, e garante: “Sou mãezona, não tive filho para não cuidar!” A gente passou um dia muito gostoso com elas em São Paulo, onde a fotografa Fernanda Bozza fez um ensaio lindo da dupla para um No Ninho pra lá de especial. Vem ver os cliques e um bate-papo sobre enxoval, gestação e o lado nada glamuroso da maternidade, segundo Andrea: VOCÊ SEMPRE QUIS TER FILHO? “Nunca quis ter filho como projeto de vida. Ter um bebê seria uma consequência de uma vida de casada, de um processo natural. E a Lix não é a minha vida, e sim parte dela. Para começar, comprei um cachorro para ver se eu conseguiria cuidar, pelo menos dele. Claro que não tem comparação um bebê com um cachorro, era apenas para entender se conseguiria ter alguém dependendo de mim. E deu certo, percebi que estava pronta.” E COMO FOI O PROCESSO DE TENTATIVAS? “Achei que seria fácil, mas não foi. Descobri que não ovulava. Entrei em uma paranoia achando que a culpa era minha, que...
Leia mais

7 enfeites de porta de maternidade

Cuidar de cada detalhe da chegada do bebê é muito gostoso e torna a espera ainda mais emocionante. E para receber bem seus convidados ainda no hospital, os enfeites de porta de maternidade são uma boa maneira de dar as boas-vindas a quem for visitar o bebê. Em geral, eles ganham o nome da criança e, posteriormente, podem ser usados para decorar o quartinho. Abaixo, separamos alguns modelos lindos, vem ver: Atelier Alexandra Abujamra: Jeniffer Bresser: Bia Coutinho Conviteria: Veja também: 10 opções de kit higiene com o tema ursinho E mais: 7 almofadas para o quarto do...
Leia mais

Tira-dúvida: vacinação contra a gripe H1N1 em crianças

Atenção papais e mamães, começa nesta segunda-feira (11) a vacinação contra a gripe H1N1 para gestantes, crianças entre 6 meses e 5 anos e idosos. Para entender toda a polêmica envolvendo a doença e suas formas de prevenção, fomos conversar com a dra. Paula Woo, pediatra neonatologista da Universidade de São Paulo, que além de salientar a importância da vacina, também deu dicas de rotina para proteger os pequenos. Dá uma olhada: Por que houve essa antecipação no programa de vacinação contra a gripe H1N1? A campanha de vacinação contra a gripe foi antecipada pelo aumento no número de casos. Em São Paulo, iniciou no dia 04 de abril para os profissionais da área de saúde. No dia 11/4 o foco serão as gestantes, idosos (acima de 60 anos) e crianças entre 6 meses e 5 anos. A partir do dia 18/04 o alvo serão as puérperas (mulheres que acabaram de ter filhos) e pacientes com doenças crônicas. No programa, apenas crianças acima dos seis meses e menores que cinco anos estão no grupo de maior risco. Por que essa faixa etária é tão preocupante? Nessa faixa etária, as criança estão mais susceptíveis às doenças infectocontagiosas. Isso se deve a diversos motivos. Entre eles, porque possuem um repertório imunológico menos vasto, fazendo com que adoeçam com mais frequência. Outro motivo é que nessa idade, as crianças possuem rotina de higiene menos rigorosa, isto é, lavam as mãos com menos frequência, se esquecem de cobrir o rosto ao espirrar e tossir, por exemplo. E nessa idade, elas brincam compartilhando tudo, inclusive...
Leia mais

No Ninho: Flávia + Camila e Caio

No começo do ano, recebemos uma festinha linda com o tema safari. O aniversariante de um ano era um bebê fofo com olhos azuis de tirarem o fôlego. Não resistimos e logo pedimos para fazer um No Ninho com ele e a mamãe, a Flávia. Para nossa surpresa, o Caio tem uma super irmã, a Camila, de cinco anos. Passamos uma tarde deliciosa na casa da família e batemos o maior papo com esta mãeozona, que nos contou como foi ter o primeiro filho fora do País (a família morava no México), o momento de decidir voltar, como preparou o primeiro filho para a chegada do segundo, entre várias outras coisas. Vem ler ótimas dicas e ver as fotos lindas que a Carla D’Aqui fez: VOCÊ SEMPRE QUIS TER FILHO? “Sempre! Porém, comecei a trabalhar muito cedo e em determinado momento, fui para o México fazer intercâmbio pelo escritório que trabalhava. Lá, conheci meu marido, que também é brasileiro e fazia intercâmbio profissional, e não voltei. Adiamos bastante, mas uma hora percebemos que nossa vida era lá, que não tinha sentido esperar para voltar. E assim veio a Camila.” FORAM MUITO DIFERENTES AS GESTAÇÕES? “As gestações em si não foram diferentes, em ambos os casos trabalhei até o último dia. Já os partos, completamente diferentes. No parto da Camila, como era a primeira filha e estávamos longe do Brasil e da família, fizemos cursos de tudo, literalmente. Nos preparamos da melhor forma. Tive o parto normal, com a ajuda da doula e foi ótimo. A recuperação foi maravilhosa.” “Diante disso, quis seguir...
Leia mais

No Ninho: Bianca Comolatti + Maria Clara

A gente adora reencontrar pessoas queridas que já passaram por um dos nossos sites. A Bianca, mãe do No Ninho de hoje, foi uma das "nossas" noivas no blog de Casamentos (veja mais aqui), e agora vem para o Babies ao lado da Maria Clara. Clicada pela fotógrafa Vivi Guimarães, a dupla posou para um ensaio muito fofo! Durante o bate-papo, essa mãezona nos contou como foi a chegada da pequena, onde fez o enxoval e todas as mudanças que a maternidade trouxe para a sua vida. Dá uma olhada: QUANDO DESCOBRIU QUE ESTAVA GRÁVIDA, QUAL A PRIMEIRA COISA QUE PASSOU NA SUA CABEÇA? "Acho que a primeira coisa que pensei foi como esperei tanto tempo para engravidar e sentir essa mistura de alegria com ansiedade." A GRAVIDEZ FOI TRANQUILA? "A gestação foi tranquila sim! Não tive nenhuma complicação, e só fiz um pouco de repouso no final para ela ganhar peso. Ela nasceu de 39 semanas, de cesariana programada pois estava sentada e não virou." VOCÊ SE PREPAROU DE ALGUMA FORMA PARA O PARTO? "Fiz pilates até o oitavo mês, o que me ajudou muito a não ter dores nas costas, e drenagem linfática até a semana do nascimento para melhorar o inchaço das pernas - ajuda muito!" NO QUE A MARIA CLARA MAIS TE SURPREENDE? "A cada dia me surpreendo mais com a sua facilidade de aprender e de observar tudo que ela tem." ELA DORME BEM? "Ela ainda não dorme a noite toda, acorda uma vez para mamar e só dorme no colo, não tenho coragem de fazer o nana neném, acho que...
Leia mais

Spotify lança playlist para a hora do parto

Tem novidade para as grávidas que estão prestes dar à luz. Um obstetra inglês chamado Jacques Moritz decidiu fazer sua contribuição para este momento tão especial e, em parceria com o Spotify, criou uma playlist para a hora do parto. Em entrevista ao jornal britânico Daily News, o médico diz que 90% de seus pacientes contam com ajuda da música para encontrar conforto e força. "A música influencia fortemente o sistema límbico do nosso sistema nervoso central, que gerencia nossas memórias, emoções e como lidamos com o medo e a dor." E olha que máximo. A Birthing Playlist, como foi batizada, traz músicas para todas as etapas do trabalho de parto. Ou seja, começa com canções suaves e músicas com batidas fortes para a hora "H". "Além da ajuda emocional que a música pode trazer, os hospitais, especialmente as salas de parto, podem ter ruídos desconcertantes - uma boa lista de reprodução ajuda a distrair as mães destes sons e administrar melhor o medo e a dor, tendo uma experiência de entrega mais positiva", continua Jacques Moritz. E, ao final da entrevista, ele ainda deu dicas para as gestantes que querem montar suas próprias playlist: - Escolha músicas confortantes e familiares, para que você possa relaxar o máximo que puder. - Escolha algumas instrumentais, porque as letras podem ser uma distração quando você mais precisa se concentrar. - Abuse da quantidade de músicas. Monte a lista pensando, em média, em 5 horas - embora 10 horas seja melhor, especialmente para mães de primeira viagem. - A lista deve ser bonita e fazer você se...
Leia mais

Mitos e verdades sobre gravidez de gêmeos

Será que toda mulher com histórico de gêmeos na família terá uma gravidez de gêmeos? E que todo descendente de oriental não pode gerar filhos aos pares? O risco na gestação é maior ou menor? Estas são alguns dos mitos e verdades que o médico e mestre em obstetrícia e ginecologia pela USP Dr. Wagner Hernandez tirou em entrevista ao blog. Vem ver as explicações: COMO ACONTECE A CONCEPÇÃO GEMELAR?  Existem duas maneiras para que ocorra uma gestação gemelar. Uma dá origem à gravidez conhecida como monozigótica, na qual um óvulo é fecundado por um espermatozoide: após a formação do ovo, este sofre uma divisão e dá origem a dois fetos geneticamente iguais. E a outra, conhecida como dizigótica, na qual dois ou mais óvulos são fecundados pelo mesmo número de espermatozoides, dando origem a dois ou mais fetos geneticamente diferentes. As monozigóticas tem frequência constante na população, enquanto as dizigóticas variam de acordo com alguns fatores de risco, como as gestações oriundas de reprodução assistida e a idade da mulher. COMO FUNCIONA A QUESTÃO GENÉTICA? SEMPRE PULA UMA GERAÇÃO?  A questão genética é sim um fator que pode aumentar a chance de uma gestação gemelar espontânea. Este fator é predominantemente da família da mulher. Não pula geração e quanto mais próximo o familiar com gêmeos, maior é a chance. Ou seja, a mulher que tem um irmão/irmã gêmeo, acaba tendo as maiores chances. É VERDADE QUE QUANDO O TESTE DE GRAVIDEZ ESTÁ MUITO ESCURO É UM SINAL DE GÊMEOS?  Não exatamente. O que acontece é que numa gestação gemelar a quantidade...
Leia mais