Casamentos Casa & Decor 15 anos

Mães

Exibindo página 3 de 1750

Navegue como ou

Uber de babás: aplicativo promete facilitar a vida dos pais

Após o nascimento das duas filhas, Taric Andrade e Luciana Pereira começaram a sentir falta de poderem sair apenas os dois para se divertir e namorar. O medo de contratar uma babá sem indicação ou qualificação os fizeram a criar um aplicativo, que segundo eles, promete ser o Uber de babás. A ideia do Click Babá é que ao fazer a solicitação, todas as babás próximas ou disponíveis possam se candidatar para a vaga. E foi através do aplicativo e indicação de amigos, que a publicitária Virgínia Patrocínio, mãe da Sabrina, 5 anos, e Gabriel, 3 anos, fez sua primeira chamada. “A principio fiquei com medo, mas ajudou saber que se tratava de educadoras com formação”, conta ela, que hoje virou cliente. “Me surpreendeu em diversos aspectos. Entrei em contato com a babysitter por WhatsApp para confirmar o horário e ela foi super simpática e atenciosa. Quando chegou, pediu que eu respondesse um formulário, para registrar a rotina das crianças e as regras da casa, o que me tranquilizou ainda mais. Além disso, ela me passou uma agenda com as atividades que iria realizar com eles no período contratado e fiquei bem mais tranquila, em saber que eles passariam uma tarde agradável com uma programação adequada.” Para entender melhor como funciona e quem são as profissionais cadastradas, batemos um papo com Luciana. Vem ver o que ela explica: Como surgiu a ideia do Click Babá? A ideia do Click Babá surgiu ainda em 2014, após uma necessidade pessoal que tivemos. Queríamos ir ao cinema e não tínhamos com quem deixar nossas filhas, à...
Leia mais

Monitor de fertilidade aumenta em 89% as chances de engravidar

As mulheres que sonham com a maternidade ganharam uma ajuda de peso. A gente conheceu na semana passada o monitor de fertilidade da Clearblue, e ficamos impressionados com a funcionalidade. Ele é muito simples de usar, e basicamente funciona da seguinte maneira: após fazer xixi no palitinho e introduzir na máquina, ele rastreia os níveis de dois importantes hormônios relacionados à gravidez (estrogênio e luteinizante). Com os níveis em mão, o aparelho te mostra quais os dias mais certeiros para engravidar, e os menos. E o legal, é que o aparelho cria um histórico personalizado sobre o ciclo menstrual da mulher, o que ajuda também a identificar possíveis problemas de saúde. Segundo estudos feitos pela própria marca, tal ajuda proporcionou um aumento de 89% as chances de engravidar.  Este monitor de fertilidade ainda não chegou no Brasil, sendo possível encontrar apenas nos Estados Unidos e em alguns países da Europa. Para ficar ainda mais claro, encontramos o vídeo abaixo. Dá uma olhada: https://youtu.be/XmGltNyMzpo Veja também: A importância da vitamina D na gravidez E mais: A importância do pré-natal e os exames...
Leia mais

A importância da vitamina D na gestação

A deficiência de vitamina D no organismo de pessoas de diferentes idades já se tornou uma situação comum nos dias de hoje (cerca de 90% da população mundial apresenta essa defasagem). A grande causa disso é a vida indoor, sem exposição ao sol, que é a maior fonte dessa importante vitamina. E se para uma pessoa em condições normais, a falta dela pode causar doenças graves, como câncer, osteoporose, entre outras, para as grávidas o risco é ainda maior. De acordo com o dr. Guilherme Loureiro, obstetra da Maternidade Pro Matre Paulista, a carência de vitamina D pode ter consequências preocupantes para gestantes. “Baixos níveis de 25 OH Colecalciferol (vitamina D) podem induzir um parto prematuro, aumentar as chances de pré-eclâmpsia – que é a hipertensão arterial específica da gravidez – e fazer com que o bebê também nasça com a deficiência da vitamina”, explica ele. Além dos problemas gerados durante a gravidez, o médico ainda ressalta um para os bebês. “Outro fator comprovado ligado à falta do hormônio é que mães que não estão com seus níveis de vitamina D em dia durante a gestação dão à luz mais facilmente a bebês com autismo.” COMO TER BONS NÍVEIS DE VITAMINA D Para repor a vitamina D e evitar danos à saúde é importante: manter uma dieta saudável, composta por carnes, peixes, leites e ovos, por exemplo; E fazer banho de sol. “A vitamina D só é absorvida adequadamente com a exposição da pele direto ao sol, completamente livre de outras barreiras. O certo seria ficar no sol sem protetor solar por...
Leia mais

Os benefícios da shantala para o bebê

Quando fizemos o No Ninho com a Livia Colucci, da WhiteHall, ela nos contou que o presente que mais gostou de receber foi um curso de shantala, da Shantala Neles. A gente achou curiosa a lembrança, e foi conversar com a professora Patricia Lomonaco, para entender melhor o que é a shantala, como funciona e os benefícios para os bebês. Vem ver as explicações dela: O QUE É A SHANTALA E PARA O QUE ELA SERVE? A Shantala é uma massagem feita por pais em seus bebês. Trata-se de uma massagem indiana muito antiga que foi divulgada no ocidente por um médico francês na década de 1970. Esta tem vários benefícios: melhora cólica e alivia os gases, melhora qualidade do sono, alonga, fortalece o sistema imunológico, proporciona consciência corporal e aumenta o vínculo dos pais com o bebê. QUALQUER PESSOA PODE PRATICAR A TÉCNICA? Na teoria qualquer pessoa pode shantalar um bebê, entretanto, sempre mais gostoso que eles recebam dos pais. Como disse acima, este momento aumenta o vínculo, é um momento de intimidade, troca profunda de olhares, risadas, falas... É uma oportunidade de conhecer melhor este bebê, suas preferências e características, tudo através da linguagem corporal. QUALQUER BEBÊ PODE RECEBER A SHANTALA? A PARTIR DE QUANTO TEMPO É RECOMENDADO E ATÉ QUE IDADE? De maneira geral, os bebês que nascem com mais de 37 semanas podem receber a massagem depois de 30 dias. Saibam que 15 minutos de massagem para um bebê com esta idade é bastante coisa, então deve ser introduzido aos pouquinhos, para que o pequeno vá...
Leia mais

No Ninho: Ana Paula + Laura e Angelina

O No Ninho de hoje traz um trio muito querido. A chef Ana Paula Carrazza, da Fleur de Sucre, abriu as portas de sua casa para uma tarde de fotos e muita brincadeira ao lado das filhas Laura e Angelina. A Carla D'Aqui, que já é a fotógrafa oficial da família, fez cliques lindos e de muito amor entre as irmãs. Aproveitamos o encontro para bater um longo papo com a mãezona, que mostrou que a disciplina que tem na cozinha de seu negócio foi, talvez sem querer, a escola para ser uma boa mãe. Vem ver como ela preparou a Laura para a chegada da Angelina, o que aprendeu com a maternidade e como foi voltar ao comando de sua empresa de bolos e docinhos para festas e casamentos. Vem ver as dicas dela: QUANDO DESCOBRIU QUE ESTAVA GRÁVIDA PELA PRIMEIRA VEZ, O QUE PASSOU NA SUA CABEÇA?  Na primeira vez, estava tentando engravidar fazia uns meses e naquele mês, minha menstruação não desceu no dia previsto. Fiz o teste à noite, no mesmo dia. Quando apareceu aqueles dois pauzinhos, entrei em pânico. Chamei meu marido e ficamos lendo as instruções para ver se estava certo mesmo. Bom, naquela noite não dormi, pensando em como minha vida mudaria, o que seria daqui pra frente, em como eu contaria para todos... Até você se acostumar, a palavra que define é pânico rs! VOCÊ SE PREPAROU DE ALGUMA FORMA PARA O PARTO?  Não fiz muita coisa não. Gostaria de ter feito mais, mas acho que como me sentia muito bem e disposta,...
Leia mais

5 saídas de maternidade vermelhas para espantar mau olhado

Dentre as crenças e superstições que envolvem as roupinhas usadas pelos bebês na maternidade, a mais famosa é a escolha de saídas de maternidade vermelhas. E o motivo é trazer boas energias, proteger e espantar mau olhado. Pensando nisso, separamos 5 saídas de maternidade vermelhas para você se preparar na hora de ir para a casa com seu filho: 1. Macacão com casaquinho com detalhes brancos: Oi Sol | 2. Macacão de tricô com aplicações de flores: Oi Sol | 3. Macacão de tricô com abertura triangular: Oi Sol | 4. Macacão de tricô com casaquinho em ponto pipoca: Nana Petit Baby Store | 5. Macacão Saída de Maternidade Rose & Bleu: Nana Petit Baby Store ... Veja também: 7 enfeites de porta de maternidade E mais: 11 lembrancinhas comestíveis para dar na...
Leia mais

A importância do pré-natal e os exames obrigatórios

A gestação é um momento de muitas mudanças para a mamãe. Sejam físicas ou emocionais, as transformações precisam de um acompanhamento médico. E é ai que começa o pré-natal. A rotina de visitas ao médico e realizações de exames não é apenas para verificar a saúde do bebê, mas também para contribuir para que a gestante possa dar à luz uma criança saudável preservando sua saúde do começo ao fim da gravidez. Para entender melhor a importância do pré-natal, conversamos com o médico e mestre em obstetrícia e ginecologia pela USP Dr. Wagner Hernandez, que explicou cada etapa e os exames obrigatórios. Vem ver: QUANDO DEVE COMEÇAR O PRÉ-NATAL?  Idealmente deveria começar com uma consulta pré-concepcional, na qual o obstetra procura identificar problemas e fatores de risco que possam ser corrigidos antes mesmo da gravidez acontecer. Infelizmente, nem todas as mulheres tem acesso a este tipo de consulta e neste caso o pré-natal deve ser iniciado tão cedo ela perceba que está gestante. QUANTAS CONSULTAS SÃO RECOMENDADAS?  O Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde preconizam pelo menos 6 consultas de pré-natal para considerar que uma mulher tenha tido uma assistência adequada. Geralmente, indicamos que a mulher tenha uma consulta por mês até o sétimo ou oitavo mês. A partir daí, uma consulta quinzenal até o nono mês, quando as consultas passam a ser semanais. Desta maneira, se considerarmos uma mulher que iniciou seu pré-natal com 6 semanas de gravidez ela deveria ter em média de 10 a 12 consultas. QUAIS OS PRINCIPAIS ACONTECIMENTOS/AÇÕES DO PRIMEIRO TRIMESTRE DA GRAVIDEZ? ...
Leia mais

Incompatibilidade sanguínea: descubra se você e seu bebê correm este risco

Existem dois tipos de incompatibilidade sanguínea. A ABO, quando a mãe tem o tipo sanguíneo A e o bebê B; mãe B e o bebê A; mãe O e o bebê A; ou mãe B e o bebê AB. Já a outra incompatibilidade está ligada ou fator Rh, e é a mais grave. Ela ocorre quando a mãe tem o Rh negativo e o bebê Rh positivo. Neste caso, o organismo da mulher começa a produzir anticorpos anti-Rh para tentar destruir o agente Rh do feto, considerado um "intruso". Para entender como isto ocorre, as precauções e riscos para a gestante e bebê, conversamos com o médico e mestre em obstetrícia e ginecologia pela USP Dr. Wagner Hernandez. POR QUE OCORRE INCOMPATIBILIDADE SANGUÍNEA?  Durante a gravidez e parto, existe contato do sangue fetal e materno. Este contato quando ocorre entre mães e bebês que tem tipos de sangue diferentes, podem deflagrar uma reação imunológica (como em uma pessoa que recebe um transplante de órgão e o rejeita). Felizmente este problema só ocorre em mulheres que tem o tipo de sangue negativo e o pai do bebê sangue positivo, o que permite que o feto tenha o sangue positivo também. Nesta situação, grávidas com o sangue negativo podem reconhecer as hemácias (células do sangue responsáveis por carregar o oxigênio para os órgãos) positivas do seu bebê como um “intruso” e neste momento o sistema imunológico pode aprender a fazer células para destruir este invasor. QUAIS OS RISCOS PARA A GESTANTE?  Para a gestante, não há riscos. Os riscos são exclusivamente para o...
Leia mais

Doação de leite: mitos e verdades

Assistindo ao programa “Fantástico”, da Globo, desse domingo, vimos a história da Sofia e o quão importante foi para ela receber doações de leite materno. E, depois de algumas sessões de No Ninho que fizemos, percebemos que muitas mamães encontraram dificuldades ou falta de informações para doar. Pensando nisso, lemos bastante sobre o assunto, perguntamos para quem já doou e reunimos em um tira-dúvidas as principais questões e procedimentos para você também conseguir realizar a doação de leite materno sem problema. Vem ver: A DOAÇÃO PODE INTERFERIR NA AMAMENTAÇÃO DO MEU FILHO?  MITO - Pelo contrário. A verdade é que, quanto mais a mãe estimular a produção do leite, mais ela o terá. Assim que a mama é esvaziada, o corpo recebe um sinal para preparar mais. A retirada para doação é uma forma de estímulo e, dessa forma, não faltará para o bebê. O PRAZO DE DOAÇÃO É DE 24H APÓS A RETIRADA?  MITO - O prazo para doar o leite é de 10 dias, contando a partir da primeira retirada. O importante é colocar o pote com o leite no freezer ou no congelador logo depois que tirá-lo. E não esqueça de colocar a data e o horário na tampa para ter certeza de que o doará no prazo correto. HÁ UMA QUANTIDADE MÍNIMA DE LEITE PARA SER DOADO?  MITO – Qualquer quantidade doada é relevante para bebês que estão em UTIs. Um litro de leite materno pode alimentar por um dia até 10 recém-nascidos prematuros. MEU LEITE PODE SER FRACO PARA ALGUM BEBÊ?  MITO - Nenhum...
Leia mais

No Ninho: Fernanda Bozza + Olivia

Quem nos acompanha aqui no blog e no Instagram, já viu diversos cliques fofos da fotógrafa Fernanda Bozza. Mas hoje, ela passa para a frente das câmeras, de outra querida parceira nossa, a Vivi Guimarães, para um No Ninho ao lado da pequena Olivia, de sete meses. Fotografando bebês e famílias desde 2007, Fernanda Bozza fez um verdadeiro laboratório antes de decidir que era hora de começar sua própria família. Seus planos demoraram um pouco, foram dois anos de tratamento para engravidar e um quadro raro de vasa prévia (explicação abaixo), que fizeram Olivia, a estrela deste ensaio, chegar prematuramente, aos sete meses. Mas o importante, é que ela nunca desistiu, e o resultado é uma linda história com um "final" mais que feliz. Vem ver as dicas desta mãezona e o ensaio maravilhoso da Vivi Guimarães.  SEMPRE QUIS SER MÃE OU TEVE UM MOMENTO ESPECIAL? Chegou o momento que eu também queria viver tudo aquilo que fotografo na casa das pessoas. Já estava com 33 anos, e o relógio biológico pedia. Mas, acredito que o dia mesmo foi quando minha cunhada engravidou do segundo filho e eu ainda não tinha pensado no primeiro. Foi a hora de parar e focar na minha família. E FOI RÁPIDO ATÉ ENGRAVIDAR? Não, tive que fazer tratamento, demorou dois anos. Fiz primeiro indução à ovulação, com injeção, depois duas inseminações e, por último, duas fertilizações (FIV). Foi um pouco estressante, porque o processo de todo mês descobrir que não deu certo é frustrante. O que recomendo é fazer em lugares diferentes, com técnicas diferentes. VOCÊ PODE NOS CONTAR...
Leia mais