Casamentos Casa & Decor 15 anos

Navegue como ou

Dicas para prevenir as crianças das doenças do inverno

O inverno chegou e isso significa que a temperatura começa a cair e o tempo tende a ficar mais seco, evidenciando a poluição e facilitando a propagação e a sobrevivência dos vírus no ambiente. Com a mudança de estação e, consequentemente, do clima, acompanham as temidas doenças respiratórias e a preocupação com os pequenos. Para ajudar os pais neste momento, conversamos com a médica pediatra dra. Gabriela Ochoa, que deu boas dicas para prevenir as crianças das doenças do inverno. Vem ver:

(Foto: reprodução)

– Por que as crianças ficam mais doentes nessa época?

Nas épocas mais frias as pessoas se concentram em locais fechados (salas de aula sem circulação de ar adequada, janelas de casa fechadas… ), o que facilita a propagação de vírus e bactérias. Além disso, para as crianças que tem predisposição (asma, bronquite, bebês chiadores…) o ar mais frio e seco pode desencadear o broncoespasmo. A contração dos brônquios leva ao edema das vias aéreas, ao chiado e ao temido desconforto respiratório. Outra consequência é o aumento da produção de secreção pelo organismo com a função de lubrificar as vias aéreas superiores, levando ao acúmulo de muco no nariz, garganta e congestão.

– Quais são as doenças mais comuns da época?

Resfriado: é uma infecção respiratória leve, causada por diferentes tipos de vírus (rinovirus, adenovírus, vírus sincicial respiratório, parainfluenza,…). Espirros, coriza, congestão nasal e tosse, podendo ou não apresentar febre, são alguns dos sintomas mais comuns.

Gripe: também é uma infecção respiratória, porém um pouco mais “intensa” que o resfriado. É causada pelo vírus influenza e seus vários subtipos (A – H1N1, H3N2,…, B e C). Possui início súbito, com febre alta, tosse, mal estar, dores de garganta, cabeça e no corpo, calafrios e indisposição. A complicação mais comum é a pneumonia, causada pelo próprio vírus da gripe ou por bactérias, que se proliferam devido à baixa resistência provocada pela doença.

Bronquiolite: é uma infecção respiratória viral, que pode ser causada por mais de 10 tipos de vírus, sendo o mais comum e o mais grave o vírus sincicial respiratório (VSR). Acomete crianças de até 2 anos de idade, mas principalmente até 1 ano. Começa com tosse, coriza nasal, febre, chiado no peito e, em alguns casos, falta de ar. Na maioria das vezes é uma doença simples, assim como o resfriado, com tratamento domiciliar. Porém, pode haver complicações: baixa oxigenação no sangue, pneumonia e até insuficiência respiratória, necessitando de tratamento hospitalar.

Asma: A asma é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas inferiores, manifestando-se com episódios recorrentes de chiado no peito, falta de ar e tosse. Resulta-se basicamente de fatores genéticos e exposição ambiental.

Rinite alérgica: A rinite nada mais é do que a inflamação da mucosa nasal, causada por alergia a algum fator ambiental (pó, bolor, pêlo de animais, poluição, mudança de temperatura,…). Tem como sintomas: espirros, coriza clara, obstrução e coceira nasal. Podem piorar nessa época do ano, graças ao clima mais seco e às constantes variações e quedas bruscas de temperatura. Além disso, a gripe e o resfriado podem servir como um “gatilho” para desencadear uma crise.

Otite: existe mais de um tipo, mas a mais comum nessa época é a otite média, que é a inflamação do ouvido médio, podendo ou não cursar com rompimento da membrana timpânica e saída de secreção. Pode ser decorrente de gripe ou resfriado.

Amigdalite: é a inflamação das amígdalas, que são gânglios linfáticos localizados na parte lateral da garganta. Tem como causa infecção viral ou bacteriana. As manifestações clínicas mais comuns são: febre (que pode ser bem alta dependendo do agente causador), dor de garganta, dificuldade para engolir e mau hálito.

Sinusite: é um processo inflamatório dos seios da face, decorrentes de infecção. A rinossinusite na infância é quase sempre sequela de uma gripe ou resfriado.

– Como prevenir?

A gripe e o resfriado, que são os maiores vilões da estação (não necessariamente por serem as doenças mais graves, e sim as mais frequentes), são transmitidos através de gotículas respiratórias contaminadas (secreções provenientes do espirro, tosse ou da própria saliva) e também através de contato direto com outras crianças e as superfícies que elas tocam (Ex.: colocam a mão na boca e depois nos brinquedos,…). Então,  é importante evitar o contato com pessoas doentes. Porém, se seu filho frequenta escolinha, creche ou berçário ou tem contato com crianças que vão, dificilmente essa prevenção será bem sucedida. Lembrando que o vírus pode ser transmitido mesmo antes de o indivíduo desenvolver os sintomas. Sendo assim, é melhor focar nas outras formas de prevenção, como os cuidados de higiene usuais: 

  • Lavar bem as mãos com água e sabão e fazer uso de álcool gel com frequência;
  • Higienizar bem os brinquedos;
  • Usar lenços descartáveis para assoar o nariz;
  • Evitar locais fechados e aglomerações
  • Deixar os ambientes bem arejados e com circulação de ar adequada
  • Levar seu filho para tomar a vacina da gripe anualmente e, se possível, vacinar a família toda
  • Nos casos de rinite e asma, evite o contato com substâncias que podem desencadear a crise. Tire coisas que podem acumular pó (tapetes, cortinas, bichos de pelúcia,…) e passe pano úmido no chão diariamente.

Dicas:

1 – Está frio… você pode, e deve, agasalhar o seu bebê, mas com cautela e bom senso. Não exagere para não deixar ele molhado de suor e para evitar o aparecimento da miliária (aqueles carocinhos chatos que aparecem no rosto do bebê, as “famosas” brotoejas). Cubra bem a cabeça e as extremidades do bebê, que são os locais onde eles mais perdem calor.

2 – A tendência desta estação é trocar os passeios ao ar livre por ambientes fechados e o conforto de casa. Mas o ideal é que as atividades normais da criança sejam mantidas, desde que bem protegidas do frio. Passeios são muito bem-vindos, só evite locais com aglomerações e sem circulação de ar adequada.

3 – Se tiver aquecedor pode usar para climatizar o quarto do seu pequeno. Mantenha-o em uma temperatura agradável, em torno de 25 graus, e a uma distância de cerca de 1 metro da criança. Lembrando que o aquecedor tira a umidade do ar, ressecando-o. Então ou não deixe ligado durante muito tempo ou use um umidificador de ar, regulando a umidade em torno de 60-70%.

. . . . . . . . . 

Veja também: Os perigos de acrescentar açúcar e sal na papinha do bebê

E mais: Como e quando esterilizar chupetas e mamadeiras

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *