Casamentos Casa & Decor 15 anos

Cuidados e Dia-a-Dia

Exibindo página 2 de 249

Navegue como ou

Cuidados com as crianças durante o carnaval

O Carnaval é uma das festas mais celebradas no Brasil, adorada tanto por adultos como por crianças, que também querem aproveitar a data para brincar, dançar e se divertir. “É uma época propícia para elas imaginarem um mundo de fantasias e isso é bastante positivo, pois pode contribuir para torná-las adolescentes e adultos criativos e com raciocínio mais rápido”, afirma o pediatra do Hospital e Maternidade São Luiz, Dr. Marcelo Reibscheid. Não há restrições para começar a aproveitar a folia, contudo, o especialista aconselha os pais a levarem os filhos a bailes e eventos carnavalescos quando os pequenos já estiverem andando, por volta dos 10 meses a um ano e meio. Nesta idade, já é possível interagir e participar das brincadeiras, promovendo a socialização entre os colegas. “As atividades coletivas fazem com que as crianças sejam mais sociáveis e tenham a oportunidade de adquirir experiências e visões de vida diferentes”, diz o médico. “Elas aprendem também a compartilhar o que têm com outras pessoas, já que geralmente dividem serpentinas e confetes, por exemplo.” Para aproveitar as festividades com segurança e bem-estar, vale atentar-se para alguns pontos: 1. Hidratação: Em virtude do calor e consequente sudorese, é imprescindível beber líquidos no decorrer da festa, como água, leite ou suco. 2. Alimentação: O ideal é ingerir alimentos leves e práticos, como frutas ou mesmo sucos. Mas, como o momento é de descontração, são permitidas guloseimas, como doces e pipocas, desde que sem exagero. 3. Vestuário: Roupas confortáveis dão liberdade de movimento e, por isso, são recomendadas. As fantasias, porém, são as...
Leia mais

Como escolher a cadeirinha para carro

Quem tem filhos e costuma andar de carro deve saber que o uso da cadeirinha de automóvel é obrigatório no Brasil. O equipamento ajuda a segurar o corpo da criança em uma freada brusca ou batida e, portanto, é imprescindível para a segurança dos pequenos. Mesmo se o passeio for rápido, é importante usar a cadeirinha toda vez que a criança entrar no carro, pois isso diminui o risco de trauma toráxico em caso de acidentes. “Até se acostumar, é normal a criança chorar por não gostar da cadeirinha, porém o uso não pode ser negociado, uma vez que, além de protegê-la em caso de acidentes, a falta do acessório pode gerar multa. Ouvir música ou entreter com brinquedos é sempre uma boa opção para distraí-la”, aconselha a Dra. Alessandra Cavalcante, pediatra do Hospital e Maternidade São Luiz. A partir dos sete anos, não há mais necessidade da cadeirinha e a criança já pode sentar no banco, mas sempre usando o cinto de segurança. Mas como escolher a cadeirinha ideal? Segundo a especialista, é preciso prestar atenção no peso do bebê, pois se a criança ficar solta ou apertada demais, a cadeirinha pode acabar não protegendo adequadamente. Abaixo, ela indica qual o tipo de assento correto para cada fase da infância: Separamos alguns modelos com tipos de assentos diferentes: 1. Cadeirinha Fero Maxi Cosi: Indicada para crianças com peso entre 18kg a 36kg, essa cadeirinha tem o sistema "Air Protect", que consiste em pequenos “air bags” nas laterais dos encostos de cabeça. A altura do assento é ajustável e...
Leia mais

Segurança para o bebê dentro de casa

5 acessórios que garantem a segurança dos pequenos e ajudam a evitar acidentes domésticos: 1. Protetor de Tomadas: Chicco | Salva Dedos para Portas: Chicco | Protetor de fogão: Price Lionheart | Protetor de cantos: Safety 1st | Travas para gavetas: Safety...
Leia mais

Dicas de como lidar com o filho único

Os filhos únicos muitas vezes são crianças planejadas. É comum pais decidirem ter apenas um filho para poder dar tudo de forma integral, inclusive atenção exclusiva. Mas tudo que é demais pode gerar saciação ou despreparo para lidar com a falta - e os pais precisam ficar atentos. O desafio é dar todo o amor e atenção à criança de maneira tal que ela entenda que o mundo não gira em torno dela. Por isso, pedimos à psicóloga infantil comportamental e arte educadora, Jéssica A. Fogaça, algumas dicas para auxiliar no desenvolvimento saudável do filho único e facilitar o seu convívio com outras crianças.  Foto: sheknows.com Características do filho único "Como os filhos únicos convivem com muitos adultos, são crianças com vocabulário avançado para a idade e são muito criativos, já que desenvolvem habilidades brincando sozinhos. Mas, por outro lado, faltam modelos variados de conduta e, muitas vezes, elas apresentam dificuldades de relacionamento, principalmente com outras crianças que vivem em um padrão diferente. Por estar acostumado a ser o centro das atenções e ter seus gostos realizados pelos adultos, o filho único tem dificuldade em dividir e ser frustrado. Isso implica em uma inabilidade para lidar com o próximo quando esse não faz aquilo que ele espera. Na relação com outras crianças isso tende a se agravar, pois o outro pode não querer ceder. Sem habilidade para lidar com isso, é comum que o filho único arrume confusões e até mesmo bata em um coleguinha ou seja vítima de uma criança maior. Mas isso acontece só até a sua adaptação para lidar com um semelhante e reconhecer...
Leia mais

Sling: uma maneira prática e próxima de carregar o bebê

Depois do post da capa para amamentação, algumas leitoras comentaram sobre o sling em nossa página do facebook. Pesquisamos um pouco mais sobre o assunto e queremos ouvir a opinião de vocês! Enquanto algumas mães optam pelo carrinho, outras se incomodam com a diminuição de contato entre elas e o bebê. Uma solução prática para resolver esse impasse é usar o baby sling, uma espécie de faixa de pano com argolas, que pode ser ajustada junto ao corpo da mãe. Uma das grandes vantagens é que ele deixa os braços livres, dando liberdade de movimento, além de manter as pernas do bebê unidas. O método é antigo, quase primitivo, mas vem ganhando muitas adeptas nos últimos anos, incuindo celebridades como Julia Roberts e Angelina Jolie. Adriane Galisteu usou até no dia do seu casamento, lembram-se? Para garantir o conforto e a segurança do bebê, é importante procurar slings com um bom material e aprender o modo correto de usar (não deixar que o pano cubra o rosto do bebê, segurá-lo ao se inclinar para frente, entre outros cuidados). Foto: Universo Ecologico * Alguma de vocês é adepta do sling? Até que idade acham adequado...
Leia mais

Sem dedo na boca

Dica da Marcela, mãe do Bernardo (6 anos), que já tinha tentado de tudo para cortar o hábito dele de chupar o dedo: Thumbguard. Trata-se de uma "luva" de plástico não-tóxico que impede que a criança chupe o dedo. Ela vem com pulseirinhas coloridas (dá para colocar uma cor diferente a cada dia) que a criança não consegue abrir. Há três medidas: pequeno (3-4 anos), médio (5-6 anos) e grande (7 anos ou +). E pode-se comprar via ...
Leia mais