Casamentos Casa & Decor 15 anos
Topo

Cuidados e Dia-a-Dia

Navegue como ou

Lei da Cadeirinha: multa aumenta em mais de 50%

Novidade para proteger ainda mais os pequenos! A multa para quem não usar de forma correta a cadeirinha aumentou em mais de 50%. A nova regra, que entrou em vigor no começo deste mês de novembro está valendo em todo o território nacional, prevê substituição do valor de R$ 191,54 para R$ 293,47. A qualificação de gravíssima e os 7 pontos à carteira da Lei da Cadeirinha continuam os mesmos. A decisão foi tomada com foco na diminuição dos casos de acidentes de trânsito ocorridos pelo uso inadequado e não uso do equipamento infantil. Segundo pesquisa realizadas pelo departamento de trânsito, o Brasil é campeão de acidentes. De acordo com dados de 2014, 1.654 crianças faleceram em acidentes de trânsito. (Foto: reprodução) Veja também: Licença-paternidade sobe de cinco para 20 dias E mais: Lei obriga escolas e clubes a combaterem o...
Leia mais

Licença-paternidade sobe de 5 para 20 dias

Tem novidade boa para os futuros papais! A presidente Dilma Rousseff sancionou, nessa terça-feira (8), a lei que cria a Política Nacional Integrada para a Primeira Infância, que permite, entre outras coisas, o aumento de 5 para 20 dias a duração da licença-paternidade pelas empresas. A boa nova também vale para quem adotar crianças. Porém, só os funcionários das empresas que fazem parte do Programa Empresa Cidadã tem direito. Para quem desconhece, este é um programa criado em 2008 pelo governo, que dá isenção de impostos para empresas que aceitem aumentar de quatro para seis meses a licença-maternidade de suas funcionárias. (Vou deixar aqui o link para os empresários que quiserem se cadastrar no programa). Só que para ter o benefício da licença-paternidade, o futuro pai deve comprovar participação em "programa ou atividade de orientação sobre paternidade responsável". No texto oficial, ainda não ficou claro quais seriam esses programas ou atividades. Assim que tivermos alguma novidade, a gente passa para vocês! Ah, e eles não podem exercer nenhum trabalho remunerado, se não perdem o direito. (Foto: Reprodução) Veja também: Saiba como escolher o pediatra do seu bebê E mais: Calendário de vacinação sofre mudanças em...
Leia mais

Enquete CZ: mães escolhem entre canguru e sling

Depois dos carrinhos preferidos, chegou a vez das mães escolherem entre canguru e sling na Enquete CZ do nosso Instagram (@babies_cz). Foram quase 60 comentários, e o vencedor foi o sling, que muitas argumentaram ser o mais confortável para elas e os bebês. Abaixo, você pode ver comentários interessantes e dicas que algumas mamães compartilharam com a gente: "Usei o sling até os 3 meses do bebê, e depois o canguru" "Uso sling e acho muito confortável tanto pra mim como para o meu bebê! Uso desde que ele tinha 3 semanas e é uma delícia tê-lo tão pertinho de nós!" "Uso o canguru da ergobaby, é ótimo e não faz mal nenhum para as perninhas da bebê! E ajustando certinho também não dá dor na coluna!" "Canguru ergonómico (a criança fica sentadinha com as pernas em W). Uso o Manduca, marca da Alemanha" "Para denguinho em casa, passeio no bosque: sling. Para aeroportos: canguru!" Veja também: O carrinho de bebê mais usado pelas mães E mais: Dicas valiosas para viajar com...
Leia mais

Cama compartilhada

Se pra gente que é filho é uma delícia tirar um cochilo na cama dos pais, imagine qual a sensação para eles de nos terem por perto. É tão gostosa, que muitas mamães e papais adotam a prática da cama compartilhada - tradicionais em alguns países europeus -  não só durante o dia, mas à noite também. Porém, tal decisão gera muita polêmica no mundo todo, uma vez que até as sociedades médica e psicológica ficam divididas quando o assunto são os benefícios e danos que ela pode causar aos filhos e aos próprios pais. A discussão começa já na Organização Mundial da Saúde, que recomenda, no máximo, que os bebês de até seis meses durmam em berços e carrinhos ao lado da cama dos país, mas nunca com eles. Porém, engana-se quem pensa que a orientação é focada apenas no futuro psicológico dos filhos. "Para um bebê recém-nascido, o grande problema da cama compartilhada é o risco de sufocamento, de hiper aquecimento, de inalar excesso de gás carbônico emitido pela respiração dos pais e de esmagamento", contou em entrevista ao blog, a psicóloga e psicoterapeuta especialista em sono do bebê Renata Soifer Kraiser. Quem defende, diz o que?  Um dos mais famosos defensores da cama compartilhada no mundo é o pediatra espanhol Carlos Gonzáles, autor do livre Besáme Mucho. Segundo ele, dormir com os pais só é um risco nos primeiros três meses, e que os argumentos de quem é contra não fazem sentido. “Alguns dizem que ‘nós temos de ensinar as crianças a dormirem como se deve’. Acontece que a forma normal...
Leia mais

10 truques para criar a rotina de sono do bebê

Criar uma rotina de sono para o bebê nem sempre é tarefa fácil. Mas acredite, o resultado pode ser reconfortante! Abaixo, a Dra. Eduardina Telles Tenenbojm, médica pediatra e psicoterapeuta especialista em sono de bebês, ensina 10 truques para fazer o bebê dormir tranquilamente. Organizar a rotina de sono com horários e práticas repetidos diariamente é a regra de ouro. As crianças são bastante sensíveis aos rituais, às coisas que se repetem. Assim, repita todos os dias, cerca de uma hora antes, atividades como banho, mamada, troca de fralda e cantar uma música enquanto o prepara para adormecer. Tudo isso fora do quarto, com ele ainda acordado. Leve o bebê para o quarto dele quando estiver perto de terminar os rituais, coloque-o no berço, diminua a luminosidade e não embale. Assim, ele perceberá que a repetição lhe trará calma e o relaxamento necessário para adormecer. Não acostume o bebê a dormir ninado no colo, na cama dos pais ou em outro lugar que não seja o berço. O ideal é colocá-lo ainda acordado no berço e ficar ao lado. Independente da idade, o bebê deve entender que você está firme na decisão e, aos poucos, ele irá reconhecer o bercinho como seu local de sono. Naninhas e brinquedinhos transmitem segurança para o bebê e fazem com que ele aprenda a dormir sozinho. O ideal é que o bebê durma no escuro. Mas uma luzinha bem fraca, fora do quarto onde ele está, pode trazer tranquilidade para os pais, e tudo bem. Um ambiente silencioso é importante. Há crianças, assim como adultos, que não se importam muito com barulho na hora de...
Leia mais

Alergias: 10 medidas práticas que você deve adotar na sua casa

É fácil saber se seu filho tem predisposição genética a desenvolver alergias respiratórias. Se um dos pais é alérgico, a probabilidade da criançar ser alérgica é de 30 a 40%. Caso os dois sejam alérgicos, essa probabilidade sobe para 70%. Pensando nisso, a Dra. Lelia Josuá, médica especialista em alergologia e pneumologia, fez uma lista de cuidados para amenizar o problema e deixar a casa mais adequada para quem sofre com alergias. Confira 10 dicas para adaptar o ambiente para alérgicos: 1. Ao decorar o quarto do bebê ou criança, invista numa decoração inovadora. Evite cortinas e tapetes, a melhor opção é colocar painéis de PVC, que são fáceis de limpar, e tapetes de borracha; 2. Evite bichinhos de pelúcia. Os ácaros também adoram brincar com eles. Deixe-os ensacados e lave-os de 10 em 10 dias; 3. As poltronas, divãs e almofadas devem ser revestidos com couro ou matéria plástica. Os travesseiros devem ser trocados a cada 6 meses e os colchões de 3 a 5 anos. 4. Troque a roupa de cama de 3 em 3 dias. 5. Passe pano úmido diariamente no chão; 6. A umidade do quarto também é importante. Muito seco irrita a mucosa respiratória e desencadeia os sintomas de rinite alérgica, em compensação, muito úmido favorece o desenvolvimento de fungos, que também provoca alergia. A umidade ideal é em torno de 60%; 7. Elimine toda umidade que pode estar em casa. Resolva as infiltrações e use antimofos em armários e gavetas; 8. Os ácaros também gostam de dormir em um colchão fofinho e num travesseiro gostoso. Por isso, use capas antiácaros...
Leia mais

Vídeos: rotina do sono do bebê e organização

Durante a Baby Bum 2013.2, nós organizamos dois bate-papos super bacanas voltados para mães! O primeiro foi com Patricia Tsukada, da Mommy in Bloom, que falou sobre a rotina do sono do bebê; o segundo foi com a personal organizer Luciana Morgado, que falou sobre a importância da organização no dia a dia de pais e filhos. O Studio See You registrou os melhores momentos dessas conversas em vídeo. Vale a pena apertar o play! Bate-papo com a Mommy in Bloom: http://vimeo.com/87013817 Bate-papo com Luciana Morgado: http://vimeo.com/87072364 Vídeos: Studio See...
Leia mais

Tirando manchas das roupas das crianças

Toda mãe já se deparou com aquela mancha difícil na roupa da criança, que parece que não vai sair de jeito nenhum, fruto de um belo dia de farra ao ar livre. Pensando nisso, resolvemos compartilhar algumas dicas da Omo para remover três tipos comuns de manchas. Andando de bicicleta: é assim que as roupas das crianças costumam ficar cheias de graxa. Primeiro, não deixe a mancha secar, lave a peça manchada assim que possível. Aplique um pouco de detergente líquido no tecido em cima do local manchado e depois lave normalmente. Se a mancha não sair na primeira lavagem, é só repetir o processo. Chiclete: passe uma pedra de gelo sobre o local que grudou. A goma vai endurecer e é só raspar até que todo o chiclete seja removido. Depois lave a peça com detergente em pó. Tinta para pintura à base de água: enxágue o tecido em água morna enquanto a tinta ainda estiver fresca.  Depois aplique um detergente líquido (a sugestão da OMO é o OMO Multiação líquido) nos locais onde existem os pontos de manchas e prossiga a lavagem normalmente. Atenção: depois que a tinta seca, é muito difícil de removê-la. Atenção: para melhores resultados, utilizar a dosagem do produto que consta na embalagem e fazer a aplicação direta, que é recomendada apenas para os formatos...
Leia mais

Para não perder as crianças nas férias

Férias são sinônimo de diversão para as crianças - e de preocupação para os pais. Afinal, nessa época do ano os shopping, parques e hotéis estão lotados e, portanto, o cuidado é redobrado para não perder os pequenos na multidão. Pensando nisso, separamos algumas opções de identificação para aproveitar as férias com mais tranquilidade. 1. Pulseiras de identificação: Names2Glue | Etiquetas adesivas personalizáveis: Zoopi | Mochila com cinto guia: Jeep | Tatuagem temporária de identificação: Cacarecos da...
Leia mais

Acessórios para passear de carro

Na hora de passear de carro com o bebê, a segurança é fundamental! Já demos algumas dicas aqui de como escolher a cadeirinha, agora selecionamos mais alguns acessórios úteis: 1. Protetor de pescoço com prendedor de chupeta: Baby Stuff | 2. Organizador para assento de carro: Baby Stuff | 3. Protetor para cinto de segurança Jeep: Baby Stuff | 4. Cortina protetora Safety 1st.: Tulipa Baby | 5. Espelho para encosto do banco traseiro:...
Leia mais

Cuidados com as crianças durante o carnaval

O Carnaval é uma das festas mais celebradas no Brasil, adorada tanto por adultos como por crianças, que também querem aproveitar a data para brincar, dançar e se divertir. “É uma época propícia para elas imaginarem um mundo de fantasias e isso é bastante positivo, pois pode contribuir para torná-las adolescentes e adultos criativos e com raciocínio mais rápido”, afirma o pediatra do Hospital e Maternidade São Luiz, Dr. Marcelo Reibscheid. Não há restrições para começar a aproveitar a folia, contudo, o especialista aconselha os pais a levarem os filhos a bailes e eventos carnavalescos quando os pequenos já estiverem andando, por volta dos 10 meses a um ano e meio. Nesta idade, já é possível interagir e participar das brincadeiras, promovendo a socialização entre os colegas. “As atividades coletivas fazem com que as crianças sejam mais sociáveis e tenham a oportunidade de adquirir experiências e visões de vida diferentes”, diz o médico. “Elas aprendem também a compartilhar o que têm com outras pessoas, já que geralmente dividem serpentinas e confetes, por exemplo.” Para aproveitar as festividades com segurança e bem-estar, vale atentar-se para alguns pontos: 1. Hidratação: Em virtude do calor e consequente sudorese, é imprescindível beber líquidos no decorrer da festa, como água, leite ou suco. 2. Alimentação: O ideal é ingerir alimentos leves e práticos, como frutas ou mesmo sucos. Mas, como o momento é de descontração, são permitidas guloseimas, como doces e pipocas, desde que sem exagero. 3. Vestuário: Roupas confortáveis dão liberdade de movimento e, por isso, são recomendadas. As fantasias, porém, são as...
Leia mais

Como escolher a cadeirinha para carro

Quem tem filhos e costuma andar de carro deve saber que o uso da cadeirinha de automóvel é obrigatório no Brasil. O equipamento ajuda a segurar o corpo da criança em uma freada brusca ou batida e, portanto, é imprescindível para a segurança dos pequenos. Mesmo se o passeio for rápido, é importante usar a cadeirinha toda vez que a criança entrar no carro, pois isso diminui o risco de trauma toráxico em caso de acidentes. “Até se acostumar, é normal a criança chorar por não gostar da cadeirinha, porém o uso não pode ser negociado, uma vez que, além de protegê-la em caso de acidentes, a falta do acessório pode gerar multa. Ouvir música ou entreter com brinquedos é sempre uma boa opção para distraí-la”, aconselha a Dra. Alessandra Cavalcante, pediatra do Hospital e Maternidade São Luiz. A partir dos sete anos, não há mais necessidade da cadeirinha e a criança já pode sentar no banco, mas sempre usando o cinto de segurança. Mas como escolher a cadeirinha ideal? Segundo a especialista, é preciso prestar atenção no peso do bebê, pois se a criança ficar solta ou apertada demais, a cadeirinha pode acabar não protegendo adequadamente. Abaixo, ela indica qual o tipo de assento correto para cada fase da infância: Separamos alguns modelos com tipos de assentos diferentes: 1. Cadeirinha Fero Maxi Cosi: Indicada para crianças com peso entre 18kg a 36kg, essa cadeirinha tem o sistema "Air Protect", que consiste em pequenos “air bags” nas laterais dos encostos de cabeça. A altura do assento é ajustável e...
Leia mais

Segurança para o bebê dentro de casa

5 acessórios que garantem a segurança dos pequenos e ajudam a evitar acidentes domésticos: 1. Protetor de Tomadas: Chicco | Salva Dedos para Portas: Chicco | Protetor de fogão: Price Lionheart | Protetor de cantos: Safety 1st | Travas para gavetas: Safety...
Leia mais

Dicas de como lidar com o filho único

Os filhos únicos muitas vezes são crianças planejadas. É comum pais decidirem ter apenas um filho para poder dar tudo de forma integral, inclusive atenção exclusiva. Mas tudo que é demais pode gerar saciação ou despreparo para lidar com a falta - e os pais precisam ficar atentos. O desafio é dar todo o amor e atenção à criança de maneira tal que ela entenda que o mundo não gira em torno dela. Por isso, pedimos à psicóloga infantil comportamental e arte educadora, Jéssica A. Fogaça, algumas dicas para auxiliar no desenvolvimento saudável do filho único e facilitar o seu convívio com outras crianças.  Foto: sheknows.com Características do filho único "Como os filhos únicos convivem com muitos adultos, são crianças com vocabulário avançado para a idade e são muito criativos, já que desenvolvem habilidades brincando sozinhos. Mas, por outro lado, faltam modelos variados de conduta e, muitas vezes, elas apresentam dificuldades de relacionamento, principalmente com outras crianças que vivem em um padrão diferente. Por estar acostumado a ser o centro das atenções e ter seus gostos realizados pelos adultos, o filho único tem dificuldade em dividir e ser frustrado. Isso implica em uma inabilidade para lidar com o próximo quando esse não faz aquilo que ele espera. Na relação com outras crianças isso tende a se agravar, pois o outro pode não querer ceder. Sem habilidade para lidar com isso, é comum que o filho único arrume confusões e até mesmo bata em um coleguinha ou seja vítima de uma criança maior. Mas isso acontece só até a sua adaptação para lidar com um semelhante e reconhecer...
Leia mais

Sling: uma maneira prática e próxima de carregar o bebê

Depois do post da capa para amamentação, algumas leitoras comentaram sobre o sling em nossa página do facebook. Pesquisamos um pouco mais sobre o assunto e queremos ouvir a opinião de vocês! Enquanto algumas mães optam pelo carrinho, outras se incomodam com a diminuição de contato entre elas e o bebê. Uma solução prática para resolver esse impasse é usar o baby sling, uma espécie de faixa de pano com argolas, que pode ser ajustada junto ao corpo da mãe. Uma das grandes vantagens é que ele deixa os braços livres, dando liberdade de movimento, além de manter as pernas do bebê unidas. O método é antigo, quase primitivo, mas vem ganhando muitas adeptas nos últimos anos, incuindo celebridades como Julia Roberts e Angelina Jolie. Adriane Galisteu usou até no dia do seu casamento, lembram-se? Para garantir o conforto e a segurança do bebê, é importante procurar slings com um bom material e aprender o modo correto de usar (não deixar que o pano cubra o rosto do bebê, segurá-lo ao se inclinar para frente, entre outros cuidados). Foto: Universo Ecologico * Alguma de vocês é adepta do sling? Até que idade acham adequado...
Leia mais

Sem dedo na boca

Dica da Marcela, mãe do Bernardo (6 anos), que já tinha tentado de tudo para cortar o hábito dele de chupar o dedo: Thumbguard. Trata-se de uma "luva" de plástico não-tóxico que impede que a criança chupe o dedo. Ela vem com pulseirinhas coloridas (dá para colocar uma cor diferente a cada dia) que a criança não consegue abrir. Há três medidas: pequeno (3-4 anos), médio (5-6 anos) e grande (7 anos ou +). E pode-se comprar via ...
Leia mais