Casamentos Casa & Decor 15 anos
Topo

Colunas

Exibindo página 5 de 949

Navegue como ou

Preparando uma lancheira saudável

Ultimamente, a maior dúvida que ouço dos pais que frequentam meu consultório é a de como montar uma lancheira saudável para os seus filhos. Confesso a vocês que não é uma missão muito fácil, já que os alimentos preferidos das crianças são justamente aqueles que não podem estar frequentemente presentes dentro da lancheiras. Os lanches, também chamados de refeições intermediárias, são de extrema importância para o desenvolvimento e crescimento das crianças. Se ela ficar muito tempo sem se alimentar entre as refeições ou não se o fizer de uma maneira correta, ela poderá ficar cansada, perder peso e até sentir tontura. Por isso, um lanche saudável se torna imprescindível. Quanto mais completo for o lanche da criança, mais nutritiva será a alimentação da mesma. Sendo assim, a regra é fácil. Um lanche equilibrado deverá ser, principalmente, com baixos teores de açúcar, sal e gordura. Veja logo abaixo como montar uma lancheira saudável: Importante salientar que alimentos que são perecíveis (queijos, iogurtes, leite fermentado, frios e sucos naturais) deverão ser acondicionados em lancheiras térmicas, principalmente em dias de temperatura muito alta. Além disso, pelo menos uma vez por semana, as lancheiras deverão ser higienizadas com detergente e hipoclorito. Preparei um cardápio diversificado e prático com sugestões de lanches para 15 dias. Espero que aproveitem a dica! Heloísa Tavares é nutricionista graduada pelo Centro Universitário São Camilo, especialista em pediatria clínica pelo Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da FMUSP, graduada em pedagogia na Faculdade de Educação da USP e atua há mais de 10 anos em consultório junto à...
Leia mais

Bolsa de passeio - o que levar?

Uma das minhas (inúmeras) dúvidas como mãe de primeira viagem era o que deveria levar na bolsa de passeio. Logo nas primeiras saídas, criava mil situações na minha cabeça e, com isso, acabava praticamente carregando a casa junto comigo. Com o tempo, percebi que era mais simples do que imaginava. Hoje, o Pipo está com um ano e dois meses e levo os mesmos itens comigo. As únicas variações - que dependem do tempo do passeio - são: a quantidade de fraldas e as porções de comidinhas. De um modo bem prático, consigo sair com a maior tranquilidade com a bolsa contendo o seguinte: - Kit troca: trocador, pomada contra assadura, lenço umedecido, paninho para enxugar o bumbum e fraldas descartáveis. Também gosto de incluir aqui um rolinho de sacos plásticos para qualquer emergência; - Uma fralda grande (que pode servir de toalha, cueiro, naninha...) e duas fraldinhas ou paninhos de boca; - Chupeta; - Uma mantinha; - Lencinhos umedecidos para limpar as mãozinhas e a boquinha do Pipo e outro para limpar a chupeta; - Uma troca de roupa para o Pipo; - Uma camiseta para mim, para qualquer situação inesperada como uma regurgitada ou fralda vazada. [author] [author_image]http://babies.constancezahn.com/wp-content/uploads/sites/2/2014/04/debora-posh-moms.jpg[/author_image] [author_info]Débora Ortenblad é mãe do Pipo, 1 aninho. Além de ser a rainha do lar, Débora também comanda a loja de bebês e crianças The Posh Little Store. Revezando-se com sua amiga e sócia, Patricia Fava, dividirá um pouco de suas experiências na maternidade aqui na coluna Posh Moms.[/author_info]...
Leia mais

A maternidade me fez uma pessoa melhor

Olá, mamães! A Cons me convidou para escrever aqui no blog e não sabia por onde começar... No Dia das Mães me peguei pensando como a maternidade me mudou e achei que poderíamos começar por aí! Toda mãe concorda que a maternidade naturalmente transforma a gente de uma maneira positiva, não? Como empresária, passei boa parte da vida em busca de cursos e workshops e palestras e coachings pra aprimorar os meus conhecimentos e melhorar meus pontos fracos. Como é difícil enxergar as próprias falhas, largar velhos hábitos, rever o jeito de pensar, não é? Aí veio a maternidade, que trouxe algumas mudanças positivas para mim de uma maneira tão eficaz! E o engraçado é que em parte foi por vontade própria e em parte foi sem eu nem perceber. Não sou mais a mesma Malu de antes. Longe, muito longe de pensar que cheguei à perfeição (nem como mãe, nem como mulher). O processo de crescimento pessoal não para nunca. É uma delícia ver o quanto aprendo e cresço como pessoa a cada dia, à medida que os meus filhos também crescem. Mas resolvi fazer uma listinha de 8 coisas que mudaram em mim depois da maternidade: - O tal do #amormaiordomundo, o amor incondicional (que a gente não sabe como é até experienciar) aumentou a minha capacidade de amar e aumentou a minha compaixão. Fiquei mais amorosa com outras pessoas e com a vida de modo geral. Passei a me colocar no lugar de outras mulheres e as entender melhor, fiquei mais compreensiva em tantas situações. Hoje, o sofrimento de uma criança me toca...
Leia mais

Carreira x gravidez

O cenário do mercado profissional está mudando. Ao mesmo tempo que a mulher quer construir uma família, também luta para atingir melhores posições no trabalho. Este é um dos motivos que explica a queda da taxa de fecundidade no Brasil de 6,16 filhos por mulher em 1940, para a média de 1,9 em 2010. Por mais que se casem, cada vez mais as mulheres estão adiando a maternidade. Segundo o IBGE, entre os anos de 1991 a 2000 o número de gestantes com mais de 40 anos cresceu 27%. Estamos estudando mais e podemos conquistar bons cargos – e salários. “Eu acredito que as mulheres têm potencial de assumir cargos de gestão. Só que para conseguir chegar lá não tem segredo… tem que saber se impor e ter um perfil mais duro”, afirma Lea Federmann, sócia da consultoria 2get, empresa que presta serviços de recrutamento de executivos em posições de liderança. Dificuldades na carreira Acredite, você pode conquistar o cargo que deseja e as mulheres podem dar um jeito de driblar tudo com maestria. “Ao meu ver, ainda há preconceito no processo de seleção. Existem empresas que tem restrição a mulheres em cargos mais altos. Muito homem acha que na hora do vamos ver, a mulher vai chorar. Além disso, também acreditam que a mulher vai engravidar assim que entrar na empresa”, diz Lea. Gravidez pode atrapalhar? Ter um filho é o dilema de muitas mulheres que estão indo bem em suas carreiras. Temos que mudar a nossa forma de pensar. É possível trabalhar e manter uma família. “Estou no terceiro mês...
Leia mais

Primeira comunhão - por onde começar?

Minha fase do momento é a Primeira Comunhão do Guto, meu filho mais velho (9 anos). A escola que ele estuda não segue nenhuma religião, então qualquer tipo de orientação fica totalmente como responsabilidade dos pais. Eu, como católica, comecei a me preocupar em como prepará-lo para esse momento, pois lembrava que era mais ou menos nessa idade que a catequese começa. Minha grande sorte foi que a mãe do melhor amigo do Gu é catequista na Igreja Nossa Senhora do Brasil (aqui em São Paulo) e pôde me dar todas as dicas antes que eu entrasse em desespero! A Igreja (assim como grande parte das paróquias) disponibiliza algumas turmas em horários diversos para crianças de 7 a 12 anos. Também é possível montar grupinhos e, alcançando um número mínimo de participantes, o catequista vai dar a aula na casa de algum dos participantes. Nossa opção foi na própria Igreja, pois vários amigos fariam na mesma turma, o que motivou bastante os pequenos a se empenharem mais nas aulas. Para quem é de São Paulo e mora perto da Nossa Senhora do Brasil, estamos muito felizes com a preparação do Guto. Nesse final de semana ele irá se confessar e no outro já é o grande dia. Por sinal, ontem fomos buscar o santinho na mesma loja que eu fiz o meu (Cathedral do Shopping Iguatemi) – impressionante como certas coisas não mudam! Ele mesmo escolheu o modelo –um super tradicional (foto abaixo). Hoje é o dia de comprar a roupa – calça e camisa social com gravata azul...
Leia mais

Cuidados com o bebê no inverno

Com a chegada do frio, aumenta a preocupação das mães em torno da saúde e bem estar do bebê. "A primeira reação é agasalhar ao máximo os pequenos, como se fossem cebolas, com várias camadas de roupas", comenta Patricia Tsukada, da Mommy in Bloom. Para não cair nessa tendência de transformar o bebê em "boneco de neve" (rs), veja abaixo algumas dicas úteis. 1. Roupas: dê preferência as de tecido de algodão, principalmente quando entram em contato direto com a pele do bebê. A lã pode causar alergia em alguns bebês. Gorros, luvas e meias são aconselhados, pois os bebês perdem muito calor nas extremidades. 2. Hora do banho: deixe tudo preparado antes de começar o banho, separe as roupas, fraldas e kit higiene. Prepare o ambiente deixando o chuveiro ligado para aquecer. A temperatura da água deve ser morna, em torno de 37ºC. O horário ideal é no período da tarde, entre 15h e 16h, onde a temperatura está mais elevada durante o dia (mas adapte de acordo com a rotina do bebê). O banho deve ser rápido, por isso evite brinquedos que distraiam o bebê. Evite o uso excessivo de sabonete para evitar o ressecamento da pele. Use produtos específicos para a pele do bebê. Se você fizer a troca de roupa no quarto da criança, evite as correntes de ar, por isso deixe janelas e portas fechadas. Prepare  o quarto aquecendo um pouco o ambiente com aquecedor elétrico, para deixar a temperatura mais agradável. 3. Passeio: evite sair com o bebê após o banho. Evite os...
Leia mais

Itens de enxoval que não podem faltar logo que o bebê nasce

Lembro que, logo após as comemorações da tão aguardada confirmação da minha gravidez, passei a pesquisar o que precisava comprar para montar o enxoval do Pipo. Como mãe de primeira viagem, tentava compilar as várias listas que encontrava e confesso que ficava completamente perdida, sem saber por onde começar! Hoje, percebo que vários itens que constam nessas listas não precisavam ser comprados de imediato, antes mesmo do bebê nascer. Parece besteira, mas isso representa uma bela economia não só em termos financeiros, como de espaço e de tempo. Pensando nisso, montei a seguinte tabela (tá bom, confesso meu vício por tabelas, hahaha...) com os itens, na minha opinião, indispensáveis desde o primeiro momento: Preferi não incluir aqui as roupinhas indispensáveis nessa fase, pois este será assunto para um próximo post. Aguardem! [author] [author_image]http://babies.constancezahn.com/wp-content/uploads/sites/2/2014/04/debora-posh-moms.jpg[/author_image] [author_info]Débora Ortenblad é mãe do Pipo, 1 aninho. Além de ser a rainha do lar, Débora também comanda a loja de bebês e crianças The Posh Little Store. Revezando-se com sua amiga e sócia, Patricia Fava, dividirá um pouco de suas experiências na maternidade aqui na coluna Posh Moms.[/author_info]...
Leia mais

8 carrinhos de bebê leves e compactos

Hoje, Patricia Tsukada, da Mommy in Bloom, mostrará algumas sugestões de carrinhos de bebê leves e compactos, os chamados "luxury lightweight". A diferença entre esses carrinhos e os tradicionais é que eles possuem três posições de inclinação (facilitando a soneca do bebê ao sair para um passeio) e assento reversível. Os carrinhos de bebê escolhidos abaixo são referentes aos últimos lançamentos dos anos de 2013 e 2014, entre os mais procurados pelas mamães que viajam para fazer o enxoval nos Estados Unidos e, em geral, são referência. ( Carrinho de bebê Quinny Zapp ) 1. Quinny Zapp Xtra with Folding Seat (lançado em 2013): design moderno e elegante, projetado para a vida urbana, leve e compacto, o assento é reversível, reclinável e dobrável, sem termos a necessidade de desacoplar da base. Está pronto para onde a vida nos levar! Suporta até 22kg. Indicação: recém-nascido até 3 ano e meio idade. (tenho a versão que é sem o folding seat e amo, mas imagina só se na época tivesse este modelo com folding seat? E sou super adepta dos carrinhos compactos e leves!) 2. Stokke Scoot (lançado em 2013): opção "compacta" para a linha de luxo que são os Xplory. Pesando quase 10kg, é uma opção conveniente, pois conseguimos fechar o carrinho com a ajuda de uma única mão. O assento é reversível, fácil de transportar e, assim como o Xplory, o assento é alto o suficiente para alcançar a altura de uma mesa e servir como um cadeirão. 3. Mountain Buggy Mini (lançado em 2013): carrinho leve e com design super compacto,...
Leia mais

Álbum da Copa - a mania do momento!

O novo vício da casa começou... Desde o dia que o álbum da Copa foi lançado não se fala em outra coisa. Aqui estamos colecionando dois - um para o Guto e outro para o Gui. Na hora que os pacotinhos são abertos já começa a briga... Quem tirou mais brilhantes, quem está mais próximo de completar o Brasil e por aí vai. O bacana é que eles começam a entender melhor a Copa, os grupos, a visualizar e questionar onde fica cada país; resumindo, começam a curtir mesmo esse grande acontecimento, ainda mais com o privilégio de vivenciar uma Copa aqui no Brasil. O único problema é que as figurinhas já estão em falta em várias bancas, o que deixa os meninos desesperados. Então, quando eu encontro uma banca com estoque, compro um pouco a mais (para deixar escondido e ir dando aos poucos) para me livrar do stress de passar de banca em banca! Para acompanhar a coleção, nós baixamos um aplicativo - Panini Collectors - funciona assim: você digitaliza as suas figurinhas (as repetidas também) e ele te mostra um panorama do que já está completo e da sua lista de troca - a qual você pode compartilhar na internet. É muita modernidade, né?? E ontem, jantando fora com os pequenos, eles levaram álbum e repetidas e não é que o restaurante inteiro estava no mesmo esquema?? [author] [author_image]http://babies.constancezahn.com/wp-content/uploads/sites/2/2014/03/pat-fava-spinelli.jpg[/author_image] [author_info]Patricia Fava é mãe do Guto, 9, e do Gui, 5. Além de ser a rainha do lar, Patricia também comanda a loja de bebês e crianças...
Leia mais

Como identificar o choro do bebê

O choro do bebê,  para muitos pais, é um enigma sem solução…eles não sabem por onde começar a acalmar o pequeno e o som emitido pode se torna desesperador. Muitas vezes, a choradeira só dura um minuto, mas a impressão é de que dura horas! Pensando nisso, Patricia Tsukada, da Mommy in Bloom, separou algumas dicas para identificar o choro do bebê.   "Antes de entrar em desespero, o importante é se acalmar, respirar fundo e escutar o que o bebê está querendo dizer. Isso mesmo, o choro é a única forma que o bebê possui de se comunicar com o mundo. O choro pode ser de fome, cansaço, super estimulação, frio, cólicas, febre, reação à vacinação, necessidade de mudança de ambiente, alimentação excessiva, pedido de carinho.... Seguir uma rotina diária ajuda e muito as mamães de primeira viagem a identificar o que o choro do bebê está dizendo. Se o choro não passar, consulte o seu pediatra". TIPOS DE CHORO - Cansaço ou excesso de cansaço: choro longo e alto que começa com uma inquietação. - Super estimulação: choro longo e alto, semelhante ao do excesso de cansaço. - Fome: choro curto no começo, mas que vai adquirindo um ritmo cadenciado. - Dor/Gases: grito muito alto, o bebê pode prender o fôlego entre os gritos e recomeçar, o bebê estica e encolhe as perninhas e se contorce de dor. - Frio: choro a plenos pulmões com lábio inferior tremendo. - Calor: lamento inquieto, que parece com um ofego baixo. - Fralda suja: choro fraquinho de incômodo. - Movimentos...
Leia mais

Checklist de festa infantil

O tempo passa tão rápido! Não consigo acreditar que meu bebê já completou 1 aninho. Fazendo um balanço, foram muitas alegrias, descobertas, acertos e também - por que não assumir - incertezas, cansaço e erros (sim, na vida materna não são só flores, rs!). Mas como resultado, não dá para negar "ser mãe é uma bênção" e a maior lição de amor e doação. Cada sorriso naquele rostinho me mostra como a vida vale a pena. Estava completamente na dúvida se fazia ou não alguma comemoração, pois sempre escutei que, na primeira festinha, quem menos aproveita é a criança, tendo em vista o risco dela ficar assustada ou cair no sono. Mas só de pensar que há chance (ainda que bem pequena) de ver o Pipo feliz e curtindo seu aniversário, resolvi arriscar e planejar algo em que pudesse compartilhar esse momento tão especial com família e amigos. Como mãe de primeira viagem, confesso que fiquei sem saber por onde começar e o que exatamente queria fazer. Mas, enfim, superada a trava inicial, comecei a me organizar. Percebi que, fosse a festa em buffet ou um gostoso bolinho em casa, não dava para fugir muito do seguinte esquema: Talvez esse esquema não seja o melhor, mas ele me ajudou bastante e certamente o utilizarei nas próximas festinhas. Não há o certo ou errado, basta adaptar do jeito que você achar melhor. [author] [author_image]http://babies.constancezahn.com/wp-content/uploads/sites/2/2014/04/debora-posh-moms.jpg[/author_image] [author_info]Débora Ortenblad é mãe do Pipo, 1 aninho. Além de ser a rainha do lar, Débora também comanda a loja de bebês e crianças The Posh...
Leia mais

Tipos básicos de carrinhos de bebê

Depois das dicas para comprar o carrinho de bebê, a Mommy in Bloom fala agora sobre os tipos básicos de carrinhos de bebê. Carrinho tradicional ou chamado Travel System (3 em 1): - Em geral são maiores - Em geral, são vendidos com o bebê conforto + Moisés - Reclinam totalmente para serem usados desde recém-nascido - Peso entre 8 e 23kg - Possui locais para colocar objetos - São confortáveis Guarda-chuva ou Carrinho Passeio Leve: - Ideal para bebês a partir dos 6 meses (mas depende do modelo) - Alguns modelos podem até reclinar totalmente e ser usados por recém-nascidos, depende do modelo e marca - Mais baratos e menos duráveis - peso entre 4 e 6kg - Ótima opção para viagens - Fácil para manusear e guardar Carrinho de 3 Rodas para Cooper: - Ideal para papais que querem praticar exercícios com o bebê - Possui base mais leve, estrutura para absorver choques, rodas maiores e freio - Ideal para bebês a partir de 6 meses - Peso entre 13 e 20kg - Eles são maiores que os carrinhos tradicionais Carrinho Duplo: - Gêmeos ou para quem vai ter o segundo filho com pouca diferença de idade - Dependendo do modelo, os bebês ficam lado a lado, um na frente e outro atrás, ou tipo trenzinho - A partir de recém-nascido - Importante: verificar se cabe no porta mala e nos lugares que a família frequenta (casa/apartamento, casa dos avós, restaurantes, lojas etc) [author] [author_image]http://babies.constancezahn.com/wp-content/uploads/sites/2/2014/03/patricia-tsukada.jpg[/author_image] [author_info]Patricia Tsukada é baby planner certificada pela International Academy of Baby Planner...
Leia mais

Viajando com os pequenos!

Eu estava super ansiosa para escrever minha primeira colaboração aqui - blog que eu tanto acompanho e admiro. Minha ideia era falar da mala que montei para os pequenos no feriado. Foi tudo tão corrido que eu decidi mandar o texto assim que chegasse na praia; já que eu saí na quinta antes do Carnaval para evitar a loucura da véspera do feriado prolongado e daí teria tempo de sobra. Mas qual a minha surpresa?? Meus dois filhos – Gui, 5 e Guto, 9 - ficaram doentinhos já no decorrer da viagem. Os dois com febre alta (mais de 39) e muita tosse seca. A tosse começou forte no avião. E o Gui quando tosse acaba passando mal... e daí o caos se estabeleceu! Ele se sujou, eu também e o Guto ficou enjoadíssimo com toda a situação. A senhora ao lado não sabia se ajudava ou se saía correndo da família atrapalhada... Daí vem a dica número 01: mesmo com crianças maiores, sempre vale a pena levar uma troca na mala de mão, não somente para eles, mas para a mamãe também! E a dica número 02: termômetro, antitérmico e analgésico também na mala de mão. Bom, a partir desse momento meu foco mudou totalmente – eu que chegaria, relaxaria e trabalharia... já comecei no esquema de tirar a febre de um, dar banho em outro, mandar whatsapp para pediatra. E no dia seguinte chegavam todos os convidados que vinham passar o Carnaval com a gente. Já me senti super aliviada porque uma das minhas amigas que vinha era...
Leia mais

Dicas para comprar o carrinho de bebê

Faz tempo que estamos para falar sobre carrinho de bebê por aqui! Como o assunto rende muitas dúvidas, vamos começar dando algumas dicas básicas para comprar o carrinho de bebê. Veja abaixo os conselhos da Mommy in Bloom na hora de escolher o modelo ideal.  1. Itens para se levar em conta na hora da compra: -  Segurança -  O perfil da família -  O valor a ser investido -  Locais onde o carrinho será utilizado (passeios, viagens, dia a dia)   2. Dicas de segurança de acordo com Inmetro e ABNT: - Rodas: grandes e resistentes para ficar fora do alcance das crianças, possuir travas e freios grandes para terrenos acidentados e pequenos para calçadas. - Dobradiças: não devem ser pontiagudas. - Cinto segurança: 5 pontos, aquele que passa pelo ombro e quadril do bebê. - Para choques: em torno da cabeça do bebê para evitar as sacudidas ao andar com o carrinho e manter a cabeça do bebê firme. - Estrutura: alumínio para não esquentar quando expostas ao sol. - Selo do Inmetro para carrinhos nacionais.   3. Dicas na hora da compra para facilitar a vida das mamães: - Possuir cesta de baixo para colocar bolsa, objetos e compras. - Assento fácil de lavar e higienizar. - Verificar as inclinações do carrinho, se ele deita o suficiente para colocar um recém nascido para dormir. - Cinto de segurança: 5 pontos, fácil de prender. - Verificar se o carrinho é compatível com algum bebê conforto. - Verificar se a altura da barra para empurrar o carrinho é...
Leia mais

Picolé de fruta

Com essas temperaturas tão altas em todo território brasileiro, nada melhor do que se refrescar com um delicioso picolé. Mas, será que os picolés fazem mal para a saúde dos nossos pequenos? A resposta para essa pergunta é bem fácil. Não, se não houver exageros e se optarmos por um bom picolé de fruta e de boa procedência. Ricos em vitaminas e minerais, os picolés de frutas são menos gordurosos que os cremosos, não possuem lactose (para os pequenos que são intolerantes à lactose) e não possuem gordura trans. Além disso, são poucos calóricos (em média, não ultrapassam 60 calorias) e são importantes fontes de hidratação. Sem exageros, os picolés de fruta são sempre uma boa opção para os lanches e podem ser utilizados como opção de sobremesas. Mas é sempre bom optarmos por marcas conhecidas. Dessa forma, não se corre o risco de oferecer às crianças um picolé que seja feito com água contaminada. E por que não preparar picolés caseiros? Eles trazem muitos benefícios, já que podemos utilizar  água de boa qualidade e tratada, frutas frescas, iogurte, entre outros alimentos que fazem parte de uma alimentação saudável. O legal  disso tudo é que nos permite acrescentar o que quisermos e na quantidade desejada. O açúcar, por exemplo, pode ser ou não utilizado. Quanto menor a quantidade de açúcar, mais saudável será o picolé -  principalmente para as crianças que possuem alguma restrição quanto ao consumo de açúcar. Além de escolher bons alimentos para fazer um picolé saudável, você pode contar com a ajuda do seu filho na...
Leia mais

Dicas para ensinar os filhos a lidar com dinheiro

Você sabe (e como!) que dinheiro não nasce em árvore. Que é difícil de ganhar e ainda mais de poupar. No entanto, como fazer para ensinar isso para os seus filhos? A educação financeira para crianças é fundamental – é uma forma de passar valores corretos na hora de lidar com o dinheiro e ainda prepará-las para o futuro. Especialistas apontam que a partir dos seis anos as crianças já podem começar a lidar com dinheiro. Mas isso depende de cada criança. Avalie o desempenho do seu filho ou da sua filha e veja as nossas dicas para ensiná-los o valor do dinheiro. Crie uma poupança para seus filhos. Além de começar a guardar um dinheiro para o futuro deles, é uma das melhores formas de ensiná-los a poupar. Pode virar um programa: conte a eles que você vai dar um dinheiro para cada um, mas que vai guardar esse dinheiro no banco para ele poder sempre render um pouquinho e crescer. Você pode levá-los ao banco para mostrar como funciona e criar uma caderneta de poupança para cada um deles. Quando receber os extratos, mostre a eles, ensinando que o dinheiro que fica no banco sempre rende e cada vez vale mais. Estabeleça uma mesada. Criança adora pedir. Brinquedos, de preferência! Mas quem já levou os filhos no supermercado sabe bem do que estamos falando. Em vez de ceder sempre ou então correr o risco de ser a “chata” por dizer não, aproveite a oportunidade para ensiná-los sobre o valor do dinheiro. Ao criar uma mesada, você estabelece um limite de gastos a eles...
Leia mais

Suco, néctar ou refresco?

Eba, o verão chegou! Nada melhor, com todo esse calor, do que nos refrescarmos com um bom suco de frutas. Mas você ainda tem dúvidas sobre qual suco é a melhor opção para oferecer para os nossos pequenos? Qual a diferença, afinal, entre suco, refresco, néctar e suco de caixinha? Você acha que é tudo igual? Foi pensando nisso que resolvi desmistificar a diferença entre eles. Na maioria das vezes, a palavra “suco” é utilizada popularmente para se referir a toda bebida que é feita de frutas. Mas, na verdade, o que poucos sabem é que há muitas diferenças entre essas bebidas. Como podemos perceber logo abaixo: - Suco Natural É o líquido resultante do esmagamento da fruta. De acordo com a legislação brasileira, os sucos são aqueles que possuem apenas fruta em sua composição, sem adição de água, açúcar, corantes ou conservantes. Por esses motivos, além de ser ricos em vitaminas, do ponto de vista nutricional o suco é sempre o campeão e a melhor opção. Mas devemos ter cuidado ao oferecer em quantidades muito grandes, pois por serem concentrados podem ter o valor calórico maior e algumas frutas, tais como uva, melancia e laranja, têm índice glicêmico alto, o que dificulta o controle da glicemia em crianças diabéticas. - Néctar Já ouviu a expressão “néctar dos deuses”? Ela tem um sentido muito positivo e acaba confundindo os consumidores na hora da compra. Por esse motivo, o governo já estuda outra nomenclatura para classificar este tipo de bebida, já que o nome sugere que o néctar é superior...
Leia mais

Cuidados com o bebê no verão

O verão está chegando! A estação mais quente do ano é sinônimo de praia e diversão, mas também é importante tomar alguns cuidados! No calor, os bebês podem ficar mais irritados, com dificuldade para dormir durante as sonecas e no sono noturno. Se o bebê já se alimenta de sólidos, pode ficar irritado sentado no cadeirão durante as refeições. Pensando nisso, Patricia Tsukada, da Mommy in Bloom, dá algumas dicas para deixar o bebê mais fresquinho no verão. 1.  Sinais de calor: bebê suando, bochechas vermelhas e sinais de irritação. 2. Roupas: vestir o bebê com uma roupa leve (body manga curta, camiseta regata ou só de fralda). 3.  Berço fresquinho: não deve ter protetor de berço, ursinhos e outros objetos, até por medida de segurança, caso você nunca tenha recebido a orientação. 4. Janelas abertas: para arejador o ambiente e circular o ar. 5.  Ventilador: pode-se usar desde que ele não esteja direcionado diretamente para o bebê, e sempre ligar antes do bebê dormir para arejar o quarto. 6. Umidade do ar: você pode deixar toalha molhada no quarto  para umidificar o ar, pois a evaporação contribui para evitar o ar seco e baixar a temperatura. 7. Piscina ou Praia:  usar protetor solar específico para a pele do bebê. 8. Passeio ao ar livre: usar chápeus ou bonés sem esquecer o protetor solar. 9. Bebês que já se alimentam de sólidos: ofereça muito líquido durante o dia, de preferência água; sucos naturais são bem vindos. 10. Bebês que estão só no aleitamento materno: o intervalo entre as mamadas...
Leia mais