Casamentos Casa & Decor 15 anos
Topo

Alimentação

Navegue como ou

Como e quando esterilizar chupetas e mamadeiras

A Sociedade Brasileira de Pediatria não recomenda o uso de chupetas e mamadeiras, alertando que as mães que não tenham condições de amamentar seus filhos devem recorrer aos copos desde cedo. No entanto, elas ainda são itens muito utilizados em casa. Para os pais que recorrem a elas, cuidados com higiene e esterilização são importantes em cada fase dos bebês e crianças. Para entender cada processo, conversamos com médica pediatra dra. Gabriela Ochoa. Vem ver: QUAL A FORMA CORRETA DE HIGIENIZAR E ESTERILIZAR? Limpeza e esterilização são procedimentos diferentes! A limpeza se destina à remoção de resíduos e pode ser feita com água corrente, sabão neutro e escovas próprias para a higienização. Já a esterilização tem como objetivo a eliminação de germes e bactérias, e pode ser feita de duas maneiras: Forma convencional: coloque água para ferver em uma panela. Em seguida, os itens a serem esterilizados (bicos de mamadeira e chupetas; recipientes de mamadeira...), de forma que fiquem totalmente cobertos. Deixe ferver por, pelo menos, 5 minutos. Os objetos devem ser colocados para secar naturalmente sobre um pano limpo. Certifique-se que o objeto resfriou completamente antes de dar para o bebê. Esse processo de fervura também pode ser feito com recipiente de vidro no microondas. Esterilizador elétrico: é um aparelho próprio para esterilizar os utensílios por meio do vapor quente. Deve-se seguir as recomendações do fabricante. A vantagem desses esterilizadores é a praticidade e a conservação dos objetos, já que ele desgasta menos, prolongando a vida útil. TODA VEZ QUE FOR UTILIZAR A MAMADEIRA É PRECISO ESTERILIZAR? Não. Antes do...
Leia mais

Como proteger seu filho das doenças causadas por mudanças de temperatura

No verão é comum usarmos e abusarmos de ar-condicionado, mas o uso deve ser feito com cautela. As mudanças de temperatura que enfrentamos quando entramos e saímos desses ambientes podem ser prejudicial ao nosso organismo. Para crianças e bebês, essa variação pode ser ainda pior, tudo por conta da imaturidade do sistema imunológico. Para entender mais sobre os riscos, bem como pegar boas dicas para proteger as crianças das doenças causadas por mudanças de temperatura, conversamos com a médica pediatra dra. Gabriela Ochoa. Vem ver as recomendações dela: QUAIS OS RISCOS QUE OS PEQUENOS CORREM AO ENTRAR E SAIR DE UM AMBIENTE COM AR-CONDICIONADO? O sistema respiratório possui cílios em todas as suas células, que, em situações normais, se movimentam constantemente para expulsar vírus e bactérias que entramos em contato, funcionando como uma barreira de defesa para o nosso organismo. Quando somos expostos à mudanças bruscas de temperatura, o batimento desses cílios é inibido, facilitando a entrada de vírus e bactérias, predispondo assim à infecções. Quando falamos em crianças e bebês, isso é ainda mais nocivo, pois os efeitos são mais intensos e o mecanismo de defesa do organismo é menos competente. Além disso, temos que ficar atentos ao choque térmico, que é a mudança instantânea da temperatura corporal, sem que o organismo passe pela adaptação adequada. Esta situação pode levar desde incômodos leves, como dores e desconfortos, até alterações pulmonares, arritmias cardíacas e paralisia facial. COMO AMENIZAR AS DIFERENÇAS DE TEMPERATURA E EVITAR SUAS COMPLICAÇÕES? Quando utilizar o ar-condicionado em um local que você possa controlá-lo, como em...
Leia mais

3 opções de café da manhã infantil por idade

Na hora de preparar o café da manhã dos pequenos, diversos fatores precisam ser levados em conta. Entre eles, faixa etária e fase de desenvolvimento são dois dos principais. A nutricionista da Mãe Terra, Tatiana Barão, compartilhou com a gente três opções saudáveis de café da manhã infantil por idade. Vem ver como deixar as manhãs dos pequenos balanceadas e mais saborosas: PARA CRIANÇAS DE 3 ANOS 1 copo pequeno de suco do Hulk (maracujá, laranja, limão, couve, castanha do pará) + 1 tigela pequena de creme de frutas vermelhas com extrato de soja (banana, morango, amora) + 2 colheres de sopa de granola infantil de cacau. O suco do Hulk é uma forma saborosa e lúdica de acrescentar vegetais e castanhas na alimentação da criança. Os cremes de frutas são ótimas alternativas aos iogurtes industrializados, e por conterem o extrato de soja, fornecem proteínas, ferro, cálcio e ômega-3. São práticos de fazer e adequados para crianças menores, por serem cremosos, coloridos e fáceis de comer. A granola estimula a mastigação e garante fibras, vitaminas e minerais ao café da manhã, fornecendo menos açúcar em comparação aos cereais matinais convencionais. PARA CRIANÇAS DE 5 ANOS 1 copo de leite vegetal (aveia, castanha, quinua, soja ou coco) batido com banana, sementes de girassol e cacau em pó + 1 tigela média de frutas picadas (morango, mamão e manga) + ½ xícara de chá de granola infantil original. O cacau em pó fornece ferro, fibras e proteínas, além de conferir o sabor e aroma de chocolate tão apreciado pelos pequenos. A semente...
Leia mais

Coca-cola, PepsiCo e Ambev param de vender refrigerantes para escolas

Tem novidade boa para os papais e mamães que lutam pela saúde de seus pequenos. A Coca-Cola, a PepsiCo e a Ambev (fabricante do Guaraná Antártica, Soda e Sukita) anunciaram na última semana que vão deixar de vender refrigerantes para escolas com alunos de até 12 anos de idade. A iniciativa, segundo as empresas, tem como objetivo combater a obesidade infantil, e começa a valer a partir de agosto deste ano. No comunicado oficial distribuído à imprensa, tal decisão foi justificada pelo fato de que, no recreio, os pequenos vão à cantina sem orientação ou supervisão correta e podem consumir açúcares em excesso, prejudicando assim o seu bem estar. No lugar do refrigerante, serão vendidos nas cantinas escolares apenas água mineral, suco com 100% de fruta, água de coco e bebidas lácteas. E para não perder uma parcela lucrativa das vendas, as três fabricantes pretendem lançar produtos que respeitem aos critérios nutricionais específicos e recomendados para as crianças. Leia o comunicado na íntegra:  "A obesidade é um problema complexo, causado por muitos fatores, e as empresas de bebidas reconhecem seu papel de ser parte da solução. A partir de agosto, a Coca-Cola Brasil, a Ambev e a PepsiCo Brasil vão ajustar o portfólio de bebidas vendidas diretamente às cantinas de escolas no país. A principal mudança é que as empresas venderão às escolas para crianças de até 12 anos (ou com maioria de crianças de até essa idade) apenas água mineral, suco com 100% de fruta, água de coco e bebidas lácteas que atendam a critérios nutricionais específicos. O novo portfólio tem como...
Leia mais

Doação de leite: mitos e verdades

Assistindo ao programa “Fantástico”, da Globo, desse domingo, vimos a história da Sofia e o quão importante foi para ela receber doações de leite materno. E, depois de algumas sessões de No Ninho que fizemos, percebemos que muitas mamães encontraram dificuldades ou falta de informações para doar. Pensando nisso, lemos bastante sobre o assunto, perguntamos para quem já doou e reunimos em um tira-dúvidas as principais questões e procedimentos para você também conseguir realizar a doação de leite materno sem problema. Vem ver: A DOAÇÃO PODE INTERFERIR NA AMAMENTAÇÃO DO MEU FILHO?  MITO - Pelo contrário. A verdade é que, quanto mais a mãe estimular a produção do leite, mais ela o terá. Assim que a mama é esvaziada, o corpo recebe um sinal para preparar mais. A retirada para doação é uma forma de estímulo e, dessa forma, não faltará para o bebê. O PRAZO DE DOAÇÃO É DE 24H APÓS A RETIRADA?  MITO - O prazo para doar o leite é de 10 dias, contando a partir da primeira retirada. O importante é colocar o pote com o leite no freezer ou no congelador logo depois que tirá-lo. E não esqueça de colocar a data e o horário na tampa para ter certeza de que o doará no prazo correto. HÁ UMA QUANTIDADE MÍNIMA DE LEITE PARA SER DOADO?  MITO – Qualquer quantidade doada é relevante para bebês que estão em UTIs. Um litro de leite materno pode alimentar por um dia até 10 recém-nascidos prematuros. MEU LEITE PODE SER FRACO PARA ALGUM BEBÊ?  MITO - Nenhum...
Leia mais

Receita: Biscoito de Polvilho

Na semana passada, dei dicas valiosas para curtir a praia com as crianças. Como sugestão de lanche saudável, sugeri o biscoito de polvilho. Como muita gente me pediu um passo a passo, ensino uma receita fácil, gostosa e nutritiva. Dá uma olhada: Receita: Helô Tavares, coluna "Nutrição em Família" Ingredientes:  - ½ kg de polvilho azedo - ½ xícara (chá) de leite. 240 ml - 1 xícara (chá) de óleo.200 g - 1 xícara (chá) de água fervente. 240 ml - 1 ovo - Sal a gosto Modo de preparo: Em uma tigela grande, coloque o polvilho, o leite, o sal, o óleo e misture bem. Depois, com cuidado para não se queimar, vá acrescentando a água fervente e misture bem novamente. Por último, acrescente o ovo (sem bater), misturando bem, até obter uma mistura bem homogênea, lisa e brilhante. Despeje a massa em um saco de confeiteiro ou em um plástico mais rígido. De formato aos biscoitos com o auxílio de um saco para confeitar, já colocando-os em assadeira grande. Deixe um espaço entre eles. Leve para assar a 200°C, por 20 minutos, ou até eles ficarem levemente dourado.   Rendimento: 30 unidades | Tempo de preparo: 15 minutos (20 minutos para assar) (Foto: Pinterest) [author] [author_image]http://babies.constancezahn.com/wp-content/uploads/sites/2/2013/02/heloisa-pacheco-03.jpg[/author_image] [author_info]Heloísa Tavares é nutricionista graduada pelo Centro Universitário São Camilo, especialista em pediatria clínica pelo Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da FMUSP, graduada em pedagogia na Faculdade de Educação da USP e atua há mais de 10 anos em consultório junto à Clínica Len de Pediatria. Contato: helotavares@terra.com.br.[/author_info]...
Leia mais

Receita: Bolo de chocolate sem glúten e lactose

Nossa nutri-colunista Helô Tavares preparou um post especial para hoje. Uma receita de bolo de chocolate sem glúten e lactose. Dá uma olhada no passo a passo: Ingredientes: Massa - 6 ovos - 6 colheres (sopa) de achocolatado - 8 colheres (sopa) de açúcar - 1 colher (sopa) de fermento em pó - 2 colheres (sopa) margarina - 100g de coco ralado Calda - 1/4 xícara (chá) achocolatado - 1/4 xícara (chá) de açúcar - 200 ml de leite de amêndoa Cobertura - 1/4 xícara (chá) achocolatado - 1/4 xícara (chá) de açúcar - 300 ml de leite de amêndoa - 2 colheres (sopa) de amido de milho Modo de preparo:  Em batedeira bata o açúcar e a margarina até obter um creme claro e liso. Sem parar de bater acrescente os ovos um a um. Em seguida, acrescente o achocolatado e misture bem. Desligue a batedeira e incorpore o fermento e o coco ralado. Unte uma forma redonda (26-30cm) com margarina e forre o fundo com papel vegetal e unte-o também. Despeje a massa na forma e leve ao forno preaquecido a 180ºC por 20 a 30 minutos. Calda: em uma panela misture todos os ingredientes e leve ao fogo. Ao ferver retire e regue o bolo com a calda. Cobertura: Dissolva o amido de milho no leite de amêndoas. Leve ao fogo o açúcar, o achocolatado e o leite com o amido de milho até engrossar. Espalhe a cobertura por cima do bolo. [author] [author_image]http://babies.constancezahn.com/wp-content/uploads/sites/2/2013/02/heloisa-pacheco-03.jpg[/author_image] [author_info]Heloísa Tavares é nutricionista graduada pelo Centro Universitário São Camilo, especialista em pediatria clínica...
Leia mais

Passo-a-passo para congelar papinhas de forma correta

Dando continuidade ao assunto papinha, tema da nossa coluna anterior, agora chegou a vez de dar algumas dicas de como congelar papinhas salgadas. Como falei aqui, as papinhas podem ser congeladas por até três meses: esse processo de conservação mantém as características nutricionais dos alimentos, desde que sejam tomados alguns cuidados no procedimento de preparo. 1. Alimentos frescos: use sempre alimentos frescos, pois o congelamento não mascara a qualidade nutricional. 2. Choque térmico: após o preparo, a papinha deve ser colocada, ainda quente e na própria panela, em um recipiente com gelo para parar o cozimento. Dessa maneira, fica preservada a textura depois do descongelamento. 3. Porções individuais: após resfriada, a papinha deve ser colocada em porções que dêem para uma refeição do bebê, ou seja, em um recipiente pequeno de modo que não sobre espaço. Feche em seguida (retire todo ar) e leve ao freezer. 4. Congelando: use somente o freezer no processo de congelamento. O congelador da geladeira não tem temperatura adequada para esse tipo de conservação de alimentos. Espero que tenha contribuído para que você se anime e faça de maneira caseira e com muito carinho a papinha do seu bebê. Com certeza ele aprovará seus dotes culinários e zelo! [author] [author_image]http://babies.constancezahn.com/wp-content/uploads/sites/2/2013/02/heloisa-pacheco-03.jpg[/author_image] [author_info]Heloísa Tavares é nutricionista graduada pelo Centro Universitário São Camilo, especialista em pediatria clínica pelo Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da FMUSP, graduada em pedagogia na Faculdade de Educação da USP e atua há mais de 10 anos em consultório junto à Clínica Len de Pediatria. Contato: helotavares@terra.com.br.[/author_info]...
Leia mais

A primeira papinha salgada a gente nunca esquece

Queridos leitores, vocês que me acompanham sabem que sou uma ferrenha defensora do método BLW (DESMAME GUIADO PELO BEBÊ). Nele, a introdução de alimentos na dieta do bebê é feita através de palitos macios de vegetais e frutas, e não se utiliza papas ou sopa. Mas, temos que admitir que não são todas as mães e pediatras que aderem a essa metodologia. Sendo assim, atendendo a muitos pedidos, resolvi dar dicas de como preparar uma papinha caseira e nutritiva. STEP BY STEP A alimentação da criança precisa ser bem planejada para que não haja o risco de faltar qualquer nutriente. O primeiro passo é elaborar um cardápio de acordo com os hábitos da família, fazer uma lista de compras e por último e o mais importante: fazer boas compras e se possível com alimentos orgânicos. A primeira papinha deve ser oferecida ao bebê após o sexto mês e a amamentação deve ser mantida. A introdução de alimentos deve ser feita em pequenas quantidades e com critério para observar possíveis reações alérgicas. Três princípios básicos devem ser considerados no preparo das papas salgadas: a textura, o sabor e o equilíbrio entre os nutrientes. Seguindo as orientações da Sociedade Brasileira de Pediatria, a elaboração da papa deve ser feita com três alimentos de grupos distintos: proteína, carboidrato e hortaliça (esse grupo pode ter mais de um alimento). Para facilitar, preparei tabelas com os grupos de alimentos, quantidades e faixas etárias. Confira: QUANTIDADE ADEQUADA DE ALIMENTOS PARA PAPA SALGADA (6 meses) QUANTIDADE ADEQUADA DE ALIMENTOS PARA PAPA (7 meses – 9 meses) QUANTIDADE ADEQUADA DE ALIMENTOS PARA...
Leia mais

Receita: Nuggets de frango caseiros e saudáveis

Nossa nutri-colunista Helô Tavares preparou uma surpresa para animar as tardes dos pequenos: receita de nuggets caseiros e saudáveis! Dá uma olhada no passo a passo e mão na massa! Rendimento: 20 unidades Tempo de preparo: 20 minutos (mais 25 min para assar) Ingredientes:  - 500g de peito de frango orgânico cortado em cubos - 3 dentes de alho - 1 cebola inteira - Farinha de rosca suficiente para empanar os nuggets - 1 ovo (para empanar) - sal rosa e pimenta do reino a gosto Modo de Preparo:  Em um processador, acrescente o peito de frango junto com o sal, pimenta-do-reino, cebola e os dentes de alho. Bata até formar uma mistura homogênea. Faça o formato de nuggets de acordo com a sua vontade, de preferência no formato dos nuggets industrializados, para obter maior semelhança. Para empanar, separe em dois recipientes distintos: a farinha de rosca e o ovo. Para o frango processado não grudar nos dedos, passe um pouco de margarina nas mãos. Passe o nuggets na farinha de rosca, depois no ovo e depois na farinha de rosca novamente. (Repita esse procedimento duas vezes) Disponha os nuggets em uma assadeira untada com margarina e leve para assar em forno médio (180°C), por 25 minutos, ou até dourar. [author] [author_image]http://babies.constancezahn.com/wp-content/uploads/sites/2/2013/02/heloisa-pacheco-03.jpg[/author_image] [author_info]Heloísa Tavares é nutricionista graduada pelo Centro Universitário São Camilo, especialista em pediatria clínica pelo Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da FMUSP, graduada em pedagogia na Faculdade de Educação da USP e atua há mais de 10 anos em consultório junto à Clínica Len de Pediatria. Contato: helotavares@terra.com.br.[/author_info]...
Leia mais

Como a dieta paleolítica pode ajudar na formação dos hábitos alimentares do bebê

Um tema que está se tornando muito comum nas rodas de conversas do mundo fitness e nos meios de comunicação é a Dieta Paleolítica. Quando ouvimos pela primeira vez a respeito de tal dieta, automaticamente pensamos nos homens primatas que moravam nas cavernas. Será que a dieta de nossos ancestrais é saudável e pode ser usada nos dias de hoje? Será que esse tipo de alimentação traz benefícios para a saúde meu bebê? DIRETO DO TÚNEL DO TEMPO: entendendo a essência da polêmica Dieta Paleolítica Apesar de ter conquistado popularidade recentemente e tendo como maior mentor o professor da Universidade Estadual do Colorado (EUA) Loren Cordain, tal teoria surgiu em um estudo publicado em 1985 no The New England Journal of Medicine. O artigo cientifico argumentava que o genoma humano não teve tempo de se adaptar a alimentos que não faziam parte da nossa dieta antes do advento da agricultura. Segundo seus defensores, a dieta ideal para o homem é aquela praticada pelos nossos ancestrais pré-históricos. Ou seja: devemos comer apenas aquilo que poderíamos caçar, matar, colher ou tirar da terra, como um homem das cavernas. O homem está na Terra há mais de 2 milhões de anos e a agricultura foi desenvolvida há menos de 10 mil anos, o que corresponde a apenas 0,5% do tempo da nossa existência. A agricultura, portanto, é muito recente do ponto de vista evolutivo, e é evidente que estamos geneticamente adaptados à alimentação do período paleolítico, e não à atual. No período paleolítico, os fatores geográficos eram determinantes e diversas dietas eram...
Leia mais

21 ideias criativas para introduzir frutas na alimentação das crianças

A primavera já está batendo na porta e as altas temperaturas que a acompanham pedem uma alimentação mais leve e refrescante! Para ajudar na hora de introduzir as frutas no lanche dos pequenos, fizemos uma seleção divertida e inspiradora. Vem ver! (Fotos: reprodução) Gostou? Veja 10 idéias criativas de lanchinhos para você conquistar seu filho pelo estômago!...
Leia mais

O bê-a-bá das mamadeiras

A Sociedade Brasileira de Pediatria não recomenda o uso de mamadeiras, alertando que as mães que não tenham condições de amamentar seus filhos devem recorrer aos copos desde cedo. No entanto, a mamadeira ainda é o item mais utilizado. E para ajudar na escolha, pedimos para a dra. Patrícia Almeida, fonoaudiologista da Pro Matre Paulista, algumas dicas valiosas para preservar a saúde do bebê. MODELOS E MATERIAIS “Existem as de vidro, plástico e até descartável. Não há regra para o uso de cada uma, o importante é avaliar a necessidade de cada mãe e, de acordo com a escolha, ter atenção aos materiais”, explica a dra. Patrícia. E como os modelos plásticos são os mais usados, ela faz um alerta importante. “Eles devem ser BPA free (Bisfenol A). Desde 01/01/2012, por determinação da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), está proibida a fabricação e comercialização de mamadeiras com a presença desta substância.” Aproveitamos para pedir à nutricionista e nossa colunista dra. Karina Al Assal que esclareça o risco do Bisfenol A. “Diversos estudos mostram que essa substância pode provocar câncer, influenciar a má formação de órgãos masculinos do feto, ser responsável por puberdade precoce em meninas e até causar hiperatividade.” BICOS Os bicos também precisam de cuidados. O mais importante é respeitar o fluxo de alimento que o bebê consegue ingerir em cada fase, e nunca alargar os furos para facilitar a saída do alimento. Isto pode causar sérios riscos de engasgos. Os modelos anti-cólica e refluxo podem ajudar, mas não anulam o risco. "Elas propõem menor ingestão de ar, porém, não há comprovações científicas sobre a eficácia contra o refluxo",...
Leia mais

10 maneiras divertidas de servir lanche para as crianças

Quanto mais divertida e animada for a hora do lanche, mais as crianças gostam e se adaptam com a rotina de alimentação. E como é neste momento que eles se familiarizam e até conhecem mais sobre os alimentos, encontrar a melhor forma de introduzir diferentes sabores é muito importante. Para ajudar, separamos aqui 10 idéias criativas de lanchinhos para você conquistar seu filho pelo estômago! (Fotos:...
Leia mais

Adeus papinha? Como o método BLW (Baby-led weaning) pode ajudar na introdução de alimentos na dieta do bebê

No nosso último No Ninho, a mamãe Emanuelle nos contou que aderiu ao BLW (baby-led weaning). Como a técnica vem ganhando cada vez mais adeptos, pedimos para a nossa nutricionista-colunista, Heloísa Tavares, nos contar tudo sobre o assunto! Uma das principais angústias que ouço em minhas consultas é de mães, principalmente as de primeira viagem, que não sabem como fazer a introdução correta de alimentos sólidos na dieta dos seus bebês. Esse tipo de preocupação é bastante pertinente, pois é nessa fase que os hábitos alimentares do bebê se formam, com grande influência na vida adulta do mesmo. Depois de muito pesquisar o método BLW (baby-led weaning), receber testemunhos de mães que já aplicavam o método e por tido uma resposta positiva com meus pacientes e com as minhas sobrinhas, virei a maior fã e entusiasta. Você sabe no que consiste esse método? Entendendo a técnica BLW A expressão em inglês baby-led weaning (BLW) pode parecer bem complicada e causar estranheza quando ouvimos pela primeira vez. Mas de complicada a técnica não tem nada! O método BLW teve o nome criado pela agente de sáude e mãe britânica Gill Repley, e em tradução livre para o português significa DESMAME GUIADO PELO BEBÊ. A ideia fundamental dessa metodologia consiste em oferecer a comida em pedaços para o bebê e permitir que ele se sirva sozinho. Sendo assim, os pais e cuidadores não devem oferecer um prato diferente do que a família habitualmente se serve, tipo papinha para o bebê. Mas, sim, deixar que eles se sentem à mesa, participem das refeições familiares...
Leia mais

Nada de férias para uma alimentação saudável

Se já não é tarefa fácil controlar a alimentação das crianças em dias comuns, imagina nas férias! Nesse período, as crianças saem de sua rotina e os horários de brincar, dormir e de se alimentar ficam desorganizados e muito mais flexíveis. Afinal, é férias e todos devem aproveitar e descansar! Só que sair totalmente da rotina, pelo menos no quesito alimentação, está longe de ser o mais indicado! Não é por que a criança está de férias que alimentos ricos em gorduras e açúcares devem ser liberados e que os horários das refeições devam ser desrespeitados. Podemos dar férias para nossas obrigações, mas jamais para uma boa alimentação. Normalmente, esquecemos que é nesse período de férias que os pequenos mais brincam, gastam energia e desfrutam do convívio familiar e dos amigos. Portanto, é importante oferecer às crianças uma alimentação rica em vitaminas e nutrientes para fortalecer o organismo e aproveitar a maior disponibilidade de tempo para introduzir novos sabores ao paladar. Foi pensando nisso que preparei algumas dicas simples e práticas para tornar as férias mais saudáveis, sem perder a diversão: A falta de regularidade nos horários das refeições faz com que a criança emende uma refeição na outra e procure por alimentos não saudáveis na hora da fome. O ideal é que a criança coma menos quantidades mais vezes ao dia. Fracionar o dia em 5 refeições, no mínimo, é a melhor saída (café da manhã, lanche 1, almoço, lanche 2 e jantar). No inverno, a vontade de parar de brincar para beber algo é bem menor, mesmo que a criança...
Leia mais

O novo menu infantil delicioso do Zest Kids

Sob o comando do Chef Juliano Cordeiro e de Daniela Kishimoto, o Zest Kids surgiu com a proposta de servir as comidinhas preferidas das crianças de uma maneira saudável e divertida. Agora, o buffet está lançando novidades deliciosas, para deixar até os adultos com água na boca! Um dos destaques é a estação batizada de "Ice Cream Sandwich Station" - onde as crianças montam seus próprios sanduíches de cookies com sorvete e seus acompanhamentos. Tem também um novo sabor de mini burguer, shake de ovomaltine, micro dogs e caixinhas de edamame com flor de sal. O editorial de apresentação ficou uma graça: Fotos: Rogerio Voltan /...
Leia mais

A alimentação do Otávio e do Miguel

Oi, mamães! Hoje vim contar para vocês sobre a alimentação do Miguel e do Otávio. Muitas pessoas têm me perguntado no Instagram (@mariarudgealbuquerque) como preparo o pratinho dos meninos e o que eles comem, por isso, vim contar para vocês! Quando eles estavam com 7 meses, eu comecei a acrescentar um suco e uma fruta, tudo bem amassadinho, para eles irem se acostumando... Com 8 meses, quando começaram a estimular a mastigação, introduzi alimentos um pouco mais sólidos, como sopas, que no início eram bem líquidas e com o tempo foram ficando pastosas, sempre incluindo verduras e legumes. Eles nunca me deram problema para comer, o Otávio foi mais fácil que o Miguel, mas lógico que cada um tem o dia de não querer muito ou querer comer mais, até nós somos assim. O pediatra disse que é normal e que é importante respeitar o tempo do bebê, não forçar. A gente insiste um pouquinho, porque as vezes eles estão com preguiça, mas não forçamos. Eu procuro fazer pratos bem saudáveis e coloridos para incentivar eles, mas sempre respeitando o limite de cada um. Com o tempo, nós começamos a sentir o que eles gostam mais ou menos. ( O Otávio é louco por strogonoff! ) | Foto: Instagram @mariarudgealbuquerque Os meninos costumam comer arroz, feijão e uma carne ou frango. Uma vez por semana, eu faço peixe e duas vezes por semana, ovo. E sempre tem alguma verdura ou legume também: cenoura, brócolis, espinafre etc. De sobremesa, uma frutinha. Mas deixo eles comerem doce de vez em quando também, geralmente,...
Leia mais